segunda-feira, 18 de outubro de 2010

Mercados Hoje

E Tome IOF...

Mais uma vez o governo volta a subir o IOF na tentativa de se conter a valorização do real frente ao dólar. Lembrando que a última vez em que houve aumento da tarifa para renda fixa (a duas semanas atrás) foi questionado ao ministro da fazenda - Guido Mantega - quanto a eficácia da medida e segundo ele seria como se fosse um "remédio" para o câmbio e que o efeito poderia não ser de imediato (seria como se fosse um antibótico, segundo ele). Mas parece que o Sr. Guido Mantega esqueceu de ler a bula deste tal "remédio" e o efeito foi contrário, o real se valorizou mais ainda. Agora o governo resolveu aumentar a dose pra ver se faz algum efeito, a tarifação para investimentos estrangeiros em renda fixa saltou para 6% e para completar a cesta de medidas anti-real o IOF sobre operações estrangeiras com derivativos saltou de 0,38 para 6%, isso representa quase 1.500% de aumento e poderá gerar impacto significativo no mercado de derivativos. É claro que é muito mais conveniente para o governo combater a famosa guerra cambial com medidas em prol do aumento da arrecadação de impostos do que realizar cortes nos gastos públicos conforme explicado no último post.

Na agenda internacional o destaque foi para queda na produção industrial dos Estados Unidos no mês de setembro/2010 indicando desaceleração continuada do crescimento econômico, porém ao mesmo tempo joga mais pressão para o FED (banco central norte-americano) anunciar novas medidas de estímulo à economia no segundo quantitative easing dos dias 2 e 3 de novembro. Dow Jones confirmou o toque na LTA mais curta que vem do fundo em 10k e está bem próximo de romper a fortíssima barreira dos 12k, mas devido a este alto nível de sobrecompra pode ser que não consiga este rompimento de imediato e venha a aparecer a força vendedora nesta linha que está entre uma das últimas resistências mais importantes de médio e longo prazo.


Ibovespa também segue respeitando sua LTA mais curta que vem do fundo ascendente dos 64k, mas também encontra-se em alto nível de sobrecompra nos indicadores. A tendência de curto e médio prazo segue de alta mas com o sinal amarelo para prováveis realizações de curto prazo, que não comprometeriam em nada a tendência de alta no médio prazo que aguentaria uma correção maior (se for o caso) até a região dos 68k. Como nosso mercado é muito dependente das oscilações de Nova York e do fluxo estrangeiro ainda é cedo pra afirmar se o IOF vai impactar no índice bovespa, mesmo porque a tarifação para investimentos na bolsa se mantêm em 2%. Amanhã vai ser o dia pra monitorar o fluxo estrangeiro e a oscilação do índice bovespa.


Nenhum comentário:

Postar um comentário