sexta-feira, 21 de janeiro de 2011

Fechamento da Semana

O que fez levar a China aos Estados Unidos?

O destaque desta semana sem dúvida foi a visita histórica do governo chinês na terra dos yankees. De um lado temos um governante ingênuo e bastante ineficaz que não consegue tirar a maior economia do mundo da lama e precisa contar com seus amigos do FED para injetar bilhões de dólares na economia com a intenção de se evitar um colpaso na matriz do sistema capitalista. Do outro lado temos um governo pouco amigável, audacioso e o mais importante, muito inteligente. A China foi o único país do mundo que saiu por cima na crise do subprime, eles provaram que, quando a situação aperta utilizam todas as ferramentas possíveis em prol da economia chinesa. Utilizando uma "simples ferramenta" (o câmbio) a China dominou o comércio internacional e cresce seus 10% a.a. enquanto o resto do mundo (salvo algumas exceções) rasteja atrás de 1 ou 2%.

Mas então o que o nosso amigo Hu Jintao foi fazer nos Estados Unidos? Passear? Não, foi fazer negócio da China! O gigante asiático está com sérios problemas de inflação, sua economia é um monstro, não pára de crescer e tem um potencial enorme em seu mercado interno ainda a ser explorado. A China não consegue atender este mercado, é muita demanda, então o que fazer? Para se evitar uma bolha vamos "abrir" nosso mercado para os yankees. Porque eu coloquei "abrir" entre aspas? Os chineses querem dos americanos o que eles ainda não tem, tecnologia. É como se fosse uma brechinha na muralha da China para os Estados Unidos, nada mais.

Mas e o principal? O que está desestabilizando o comércio internacional a anos? O Iuan! A China vai parar de manipular o câmbio e deixar a sua moeda se valorizar? Não! Hu Jintao volta pra casa feliz da vida e o nosso amigo Obama continua sorrindo para as câmeras "Mr. China agora é nosso parceiro comercial".

Voltando aos mercados vamos dar uma passada rápida no fechamento da semana dos principais mercados mundiais. Começando pela China, podemos reparar que a bolsa de Shangai continua caindo devido ao aperto monetário promovido pelo governo chinês para tentar controlar a inflação. Canal de baixa, mercado perdendo médias importantes de sustentação.


No principal mercado da Europa (Alemanha) podemos reparar que o índice deu uma brecada após o belo rali de alta do ano passado. Níveis de sobrecompra altos demais desanimam abertura de novas posições compradas por lá. Está na mão dos ursos (bom pra vender), resta saber se eles vão entrar pra valer ou vão continuar dormindo.


Nos Estados Unidos o rali de alta é inquestionável, mas também mercado está movido ao dinheiro do quantitative easing do FED. Todo mês são centenas de bilhões de dólares entrando na economia e este dinheiro busca o retorno rápido (na especulação). Dow Jones continua esticado conforme podemos observar logo abaixo, porém uma realização não passa de uma mera correção para manutenção da tendência.


Finalizando com o Brasil, fechamos a semana com um péssimo candle de baixa devolvendo os ganhos conquistados nas duas últimas semanas. As bolsas dos países emergentes estão em "outro mundo", lateralizando e/ou realizando lucros enquanto as bolsas dos países desenvolvidos não param de subir. É claro, pois nos mercados do norte os ativos estão mais baratos. 

Voltando ao Ibovespa, podemos reparar que estamos na corda bamba no semanal, testando mais uma vez a linha de tendência de alta (LTA) que vem do fundo em 29k e não será nada bom perder esta linha de sustentação. Em caso de perda ainda existe a possibilidade de haver um refugo no rompimento desta com o teste da média móvel simples de 50 períodos em 67.4k. O cenário voltou a ficar nebuloso para a bolsa que necessita de uma reação imediata na semana que vem.

7 comentários:

  1. gostei do seu ponto de vista. bela sacada!

    ResponderExcluir
  2. Sobre os Chineses. O mundo ocidental devido a suas constantes guerras e manipulações culturais vindas desde o Império Romano tem memória curta.
    O Império Chinês tem mais de 5mil anos e viu outros tantos impérios surgirem e caírem. Os chineses in­ventaram o papel, a impressão, a pólvora, a bússola, o macarrão e o sorvete. Não os subestimem e sim entendam que a força deles é a coesão. Enquanto os outros impérios se espalham territorialmente mundo afora, se tronam grandes, pesados, caros e logo obsoletos e ineficientes, os chineses se fecham, aglutinam, controlam e selecionam. Quando avançam são certeiros como o tigre. Eles não buscam territórios eles querem divisas: ouro, petróleo, alimentos e riquezas.

    ResponderExcluir
  3. Muito boa sua observação.

    Jamais devemos subestimar os chineses, mas também não devemos ficar aceitando suas imposições de braços cruzados. O que a China faz com o câmbio é desleal e inaceitável. Tem de haver contra-resposta ou restrições comerciais. Por exemplo, no caso do Brasil:

    Vendemos facilmente matéria-prima para os chineses mas sem agregar valor algum aos nossos produtos (ex: soja e minério de ferro). Essa matéria-prima chega na China e é industrializada lá, porque não industrializamos aqui? Porque eles não aceitam e o pior, o governo brasileiro respeita essa imposição. Ora, se o Brasil parar de vender alimentos e matéria-prima para China a economia deles entra em colapso. Porque não engrossar o tom de voz com os chineses e fazer negócio justo para os dois lados? Querem soja? então comprem o óleo. Querem laranja? Então comprem o suco. E por aí vai...

    O que a China mais precisa no momento são: minerais, alimentos e energia. E tudo isso nós podemos oferecer em larga escala, basta o governo jogar do nosso lado.

    ResponderExcluir
  4. bom dia, uma boa aula de economia nesses posts.

    ResponderExcluir
  5. Bom dia maximações,

    O Brasil está economicamente muito bem posicionado em relação ao resto do mundo, basta usar estratégia e ter visão de mercado pra tirar proveito da situação. Vamos torcer para que nosso governo tenha essa visão.

    Abcs,

    ResponderExcluir
  6. Caro Editor, boa noite.

    Muito boa materia "China ir aos EUA", mas o comentario acima lamentavelmente é muito ingênuo
    em relação à pratica, senão vejamos;
    1-Para que a China possa mandar no valor de sua moeda primeiramente temos que analisar varios
    aspectos, nivel de corrupção, nivel de crimina-
    lidade, nivel de desenvolvimento educacional,
    seiredade no desenvolvimento de programas esta-
    belecidos por nucleos de governo etc.
    2- A quantidade de reservas de moedas fortes e
    ouro.
    3- Aspectos da economia fiscal e produtiva.
    4- Entre outros.

    Outro item com motivação equivocada é o Valor Agregado :
    Você não pode umpor nada ao seu comprador, se vc tem X e Y para vender não se esqueça que vc não é o unico a ter, para isso exite o mercado
    internacional de commodities e vc não pode fugir das cotações.
    Para vc agregar valor à sua mercadoria e poder
    exportá-la precisa haver uma seria politica fiscal em não colocar impostos na sua produção
    e isso não acontece no Brasil, compare:
    Energia Eletrica - Caríssima com impostos mal
    calculados para não dizer
    bi tributados, lucros exor-
    bitantes para as Cia setor.
    Infra Estrutura - Totalmente sem investimento
    Rodovias Ferrovias Portos
    Aeroportos.
    Parque Industrial- Muito sucateado, bens de Ca-
    pital com valores elevados.

    Produção - No ponto final de venda,
    bens caríssimos em relação
    ao mercado mundial.

    Existem N situações a mais que ficariam muito
    longo nesse comentário. sergioclaro@bol.com.br

    ResponderExcluir