sexta-feira, 11 de fevereiro de 2011

Democracia no mundo árabe derruba mais um, adeus Mubarak

14 de janeiro de 2011, uma forte rebelião popular derruba o presidente da Tunísia, Zine al Abidine Ben Ali, 11 de fevereiro de 2011, mais uma rebelião popular inspirada no modelo tunisiano derruba o presidente do Egito, Hosni Mubarak. Tudo começou no "dia D". O mundo árabe está passando por um processo democrático que já derrubou dois regimes em menos de um mês e este processo está apenas começando, a revolta popular está mostrando sua verdadeira força contra as ditaduras árabes.

Revoltados com o discurso de Mubarak na quinta-feira em sua última tentativa de se manter no poder, uma furiosa onda de protestos estava indo em direção ao palácio presidencial quando o vice-presidente Omar Suleiman anunciou a renúncia de Hosni Mubarak após 30 anos no poder. Um conselho militar irá assumir o controle do país e uma eleição presidencial livre e democrática foi prometida para setembro. Mais uma vitória da democracia no mundo árabe que provavelmente irá desencadear mais uma onda de protestos em outros países tais como Marrocos, Jordânia e Iêmen. 

As bolsas ao redor do mundo que estavam funcionando reagiram positivamente à renúncia de Mubarak. Wall Street fechou em alta na semana apesar do alto nível de sobrecompra impulsionada pelas notícias do cenário externo e também pela enxurrada de dólares no mercado proporcionado pelo FED (banco central norte-americano) desde novembro do ano passado. Abaixo podemos observar o índice Dow Jones que fechou na máxima da semana aos 12.273 pontos sem deixar um candle de topo. Alta turbinada pelo FED.


S&P500 também fechou na máxima da semana conforme demonstra o gráfico abaixo e sem deixar candle de topo, o nível de sobrecompra está muito alto assim como no Dow Jones. Reparem que a média móvel simples de 200 períodos semanal está sendo um divisor de águas para definição da tendência de médio/longo prazo, após o rompimento desta importante média o mercado passou a subir com mais consistência.


Na Europa a situação se mantêm bem parecida com a de Wall Street. Mercados em forte tendência de alta porém com nível alto de sobrecompra. DAX (Alemanha) fechou a semana também na máxima aos 7371 pontos e também com bastante espaço para correção. Quando o movimento de realização de lucros aparecer os mercados norte-americanos e europeu deverão seguir o mesmo rítimo.


Agora vamos dar um pulo no mercado de commodities, após a forte alta que se iniciou em julho do ano passado o principal índice de commodities parece ter encontrado o topo do canal de alta. Onde está circulado no gráfico representa um grande oscilação nos preços da semana passada com recuo de quase 50% desde a máxima adquirida e uma indecisão no movimento desta semana. Justamente na linha de resistência deste canal de alta. Pode indicar que os preços das commodities podem entrar em correção nas próximas semanas, mas ainda sem afetar a trajetória de alta no longo prazo. O nível de sobrecompra está tão alto que ultrapassou o nível do Dow Jones e S&P500.


No mercado doméstico o índice bovespa conseguiu reverter em dois dias as perdas da semana. A grande alta foi no pregão desta sexta-feira impulsionada pela renúncia de Mubarak no Egito. Podemos observar que a linha de suporte em 63.8k foi respeitada e com isso veio um candle de indecisão para o fechamento da semana. É como se fosse um respiro após a pancada que sofreu nas últimas 4 semanas que pode favorecer a continuação do movimento de repique na próxima semana. Mas o cenário de queda para o médio prazo não mudou, portanto stops devem continuar curtos para preservar o lucro da operação.

2 comentários:

  1. FI,

    O que esperar para esta semana?
    A queda de Mubarak proporcionará forte alta?

    Abraço!

    ResponderExcluir
  2. Jônatas,

    Não acho que o fator Egito esteja pesando nos mercados, mesmo porque a sua economia não é muito relevante a nível mundial e o canal de Suez está salvo. Na verdade a crise no Egito não afetou os mercados de países desenvolvidos, mas serviu como "desculpa" para as vendas continuarem nos mercados emergentes.

    O Ibovepa caiu muito rápido e por isso mesmo está trabalando um repique mais consistente que já dura 2 dias, mas no momento é apenas isso, repique. O mercado está na mão dos bears, quando eles quizerem socar venda vão conseguir derrubar, pois o movimento comprador está fraco e os gringos começaram a pular fora do mercado à vista. E tem mais, se eles resolverem sair do mercado à vista igual fizeram com os futuros na BM&F vamos pra lona num piscar de olhos.

    A tendência de médio prazo continua sendo de baixa, confirmada inclusive pelas técnicas japonesas do Renko e Three Line Break. No curto prazo podemos dar continuidade no repique, mas sempre com um olho no gato e outro no peixe porque o mercado está na mão deles (bears).

    Abcs,

    ResponderExcluir