sexta-feira, 4 de fevereiro de 2011

Mercados emergentes descendo a ladeira

A situação das bolsas de valores nos mercados emergentes continuam assustando os investidores. Há poucos dias ficamos sabendo que a indústria tombou e pegou o mercado de surpresa. O cenário é totalmente diferente dos mercados norte-americano e europeu. Há quem possa dizer que a bolsa de valores de um país reflete a real situação econômica de uma nação. Mas é uma pena que isso não seja verdade, bolsa e economia não devem andar juntas necessariamente, justamente porque bolsa de valores está sempre precificando a economia. Bolsa é expectativa, é análise e projeção. Pense bem, quando um investidor compra uma ação na bolsa, ele está comprando porque na sua avaliação esta empresa vai crescer e dar lucros ao acionista num futuro próximo em consequência do crescimento econômico do país. A partir do momento que o investidor passa a enxergar que um cenário de retração econômica está pra chegar, ele pula fora do mercado. Não são todos os tipos de investidores que atuam desta forma, mas é a grande maioria.

É o que está acontecendo com os mercados emergentes atualmente. A economia vai muito bem obrigado, mas desde o ano passado criou-se uma expectativa de retração econômica nesses países puxada pelas pressões inflacionárias, provocando aumento na taxa básica de juros e aumento no compulsório. A falta de estrutura para manter o forte crescimento econômico também pesou. Os preços dos ativos ficaram caros (comparando-se com outros mercados, principalmente do hemisfério norte) e a relação risco x retorno passou a ficar alta demais para se operar nesses mercados. Reparem por exemplo no gráfico abaixo que a bolsa de Shangai marcou topo em agosto de 2009 e está em uma tendência de baixa há quase dois anos. E mesmo assim a economia chinesa continuou crescendo, ou melhor "bombando".


Olhando o mercado indiano poderíamos dizer que parece até o nosso novo "Dow Jones", o índice Bombay (Índia) tomou o lugar de Wall Street e passou a ser a nossa nova matriz nesses últimos meses. Reparem no gráfico abaixo que o índice Bombay estava dentro de um canal de baixa que foi estourado para baixo acelerando o movimento de queda perdendo a média móvel simples de 50 períodos. O índice trabalha abaixo da média móvel simples de 20 períodos e está abrindo suas bandas de bollinger dando espaço para mais quedas. Exatamente o cenário do Ibovespa.


Nos mercados de países desenvolvidos o cenário continua totalmente diferente. Logo abaixo podemos observar o gráfico do principal índice da bolsa de Frankfurt - Alemanha, que mantém forças para continuar subindo dentro de sua forte tendência de alta rompendo último topo ascendente, porém o nível de sobrecompra continua alto e perigoso. Segue em alerta para uma correção mais forte dentro da tendência.


Em Wall Street, Dow Jones, S&P500 e Nasdaq continuam fazendo a alegria dos investidores. Forte tendência de alta com poucas correções. Dow Jones mais uma vez rompeu o último topo ascendente e conseguiu fechar a semana acima da muralha dos 12k. O cenário é parecido com o europeu, uma correção mais forte poderá ocorrer nas próximas semanas mas nada que atrapalhe a tendência de alta, tem bastante espaço para corrigir.


Na Bovespa o cenário não mudou nada, aliás só piorou. índice Bombay, oops.. Bovespa, estava dentro de um canal de baixa que foi estourado para baixo acelerando o movimento de queda perdendo a média móvel simples de 50 períodos. O índice trabalha abaixo da média móvel simples de 20 períodos e está abrindo suas bandas de bollinger dando espaço para mais quedas. Eu simplesmente copiei e colei a análise do mercado indiano, o movimento das suas bolsas são semelhantes. Com este fechamento do semanal, o Ibovespa só confirma que o mercado é fortemente vendedor. Operar comprado somente nos repiques de alta e mesmo assim em trades rápidos. Não é prudente afirmar que devemos tocar novamente a base da congestão em 60k, mas as probabilidades de isso acontecer estão aumentando.


Na semana que vem o governo brasileiro deverá anunciar um contingenciamento orçamentário. É de extrema importância que o governo não deixe dúvidas no mercado sobre sua disposição de ajustar as contas públicas. 2011 é um ano para o governo pisar no freio se quiser ter um bom planejamento para 2012.

8 comentários:

  1. Parabéns Finanças !
    Bela analíse.

    Abraço,
    Xico

    ResponderExcluir
  2. FI,

    Operar no curto prazo com tamanha oscilação não é tarefa para amador. É claro que permite grandes ganhos, mas também é onde muitos ficam pobres.

    Abraço!

    ResponderExcluir
  3. Anônimo,

    O mundo não vai acbar, apesar de que os uros adoram tocar o terror no mercado. Aliás uma boa hora pra comprar é quando você acha que o mundo vai acabar, mas ainda não houve pânico. Vamos aguardando aparecer algum ponto de entrada para position, ainda sem sinal.

    Abcs,

    ResponderExcluir
  4. Jônatas,

    Realmente, tem que estar preparado pra operar no curto prazo, ter muito sangue frio e ter uma estratégia de saída já montada antes mesmo de abrir posição. De preferência operar os mesmos ativos e evitar ficar pulando de galho em galho.

    Abcs,

    ResponderExcluir
  5. Legal a análise. Parabéns.

    ResponderExcluir