sexta-feira, 25 de fevereiro de 2011

A volatilidade está de volta

Aliada ao clima de instabilidade nos países árabes, fortes especulações em cima do barril de petróleo e clima de aversão à risco no cenário mundial o mercado assistiu essa semana a volta da volatilidade nas bolsas de valores. E volatilidade entende-se por "stress", acabou aquele clima de tranquilidade nos mercados de países desenvolvidos onde as bolsas subiam semanas e mais semanas sem parar. Este clima mais pesado nos mercados pode ser confirmado pelo indicador de volatilidade, o famoso VIX, no qual havia comentado esta semana aqui mesmo no blog. O gráfico abaixo mostra a evolução do indicador desde fevereiro de 2008, nele podemos observar aonde foi parar o "stress" do mercado quando estourou a crise do subprime (aos 75 pontos) e o seu patamar atual de pontuação (aos 19 pontos).


Percebeu como o nível atual de "stress" está muito baixo? Isso não te preocupa um pouco? É muito bom ver o mercado subindo, mas todos nós sabemos que isso não dura para sempre e normalmente quando tudo está calmo, a bomba aparece. É assim que o mercado funciona, sempre imprevisível e os movimentos bruscos de queda aparecem de uma hora para outra aterrorizando os investidores. Não estou dizendo que vamos despencar, nem que vamos decolar, porém temos que estar preparados para uma possibilidade relevante de aumento na volatilidade nas bolsas de valores. Observem que quando o indicador CCI chega perto da faixa dos 85, o VIX normalmente sobe pelo menos até a casa dos 25 pontos. Atualmente o indicador CCI está marcando 84,80 pontos, portanto o momento exige atenção redobrada, esteja com uma estratégia preparada para o que der e vier nas próximas semanas.

Outro fator que me preocupa é a alta das commodities, não que isso seja ruim para as nossas empresas exportadoras de commodities, pelo contrário, basta olhar o balanço da Petro e Vale que saíram nesta sexta-feira. Mas o nível de preço está altíssimo e insustentável, além é claro de afetar a economia de vários países (inclusive a nossa). O gráfico abaixo é o Commodity Related Equity da Morgan, e mostra muito bem que a trajetória de alta das commodities começou em março de 2009. Não parece que o melhor da festa já se passou? Observem o CCI trabalhando em região de sobrecompra desde setembro de 2010, é um risco muito alto apostar que as commodities vão continuar subindo, apesar de não ser impossível de acontecer.


Bom, agora chega de falar de commodities e volatilidade, vamos para um giro rápido nos principais mercados mundiais. Começando pela matriz Dow Jones que deixou um topo na região dos 12.4k jogando o índice para a linha de suporte em 12k no qual alertei esta semana para um respiro nesta região. Observem a distância entre a pontuação do índice e média móvel simples de 200 períodos, tem espaço de sobra para realizar lucros (se for o caso) sem afetar a tendência de médio e longo prazo.


Seguindo o rastro de Wall Street o mercado europeu também deixou topo e entrou em correção esta semana. O principal índice da bolsa alemã também encontrou uma região de suporte para respirar nos 7k e apresenta uma boa margem para uma realização mais forte sem afetar a tendência de alta.


No mercado asiático a bolsa de Xangai foi barrada por uma LTB que vem do topo do canal de baixa de médio e longo prazo e linha central de bollinger, plotou um doji indicando volatilidade alta e indecisão dos investidores. Todo mundo ficou perdido na China esta semana.


A nossa bolsa irmã indiana está operando aos trancos e barrancos. O índice despencou no início desse ano e agora está brigando para se manter acima de uma importante linha de suporte aos 17.7k. Situação nada boa para o mercado indiano, operando abaixo da média móvel simples de 50 períodos e linha central de bollinger, esta última alterou a sua envergadura e já está apontando para baixo.


Finalmente chegamos no mercado brasileiro. A semana praticamente foi um sobe e desce, porém mais desce do que sobe, com alguns papéis fazendo o famoso contra-peso no índice (em especial a Petrobrás) camuflando o que seria uma queda maior no Ibovespa. Não é difícil ver algumas small caps caindo cerca de 20, 30 a 40% em um curto espaço de tempo, justamente porque é mais fácil bater nesses papéis quando há um clima de aversão a risco, pois a liquidez é menor. Quem opera venda sabe disso e se aproveita do "bom momento" para socar esses papéis.


No gráfico acima podemos reparar que não conseguimos passar pela média móvel simples de 50 períodos, estamos operando também abaixo da linha central de bollinger, o que não é muito bom. Porém, enquanto o índice se mantiver acima do suporte de 64k as esperanças continuam para uma tentativa de reversão de tendência no curto prazo. Abaixo deste patamar, segurem as perucas.

9 comentários:

  1. FI,

    Vendi na PERTC28 7k, tenho ainda 9k para vender. Estou achando esta alta da PETR4 um vôo de galinha, para depois voltar a MM de 200 na casa dos 27,xx. Veremos.

    ResponderExcluir
  2. Muitas indefinições, tanto no cenário internacional quanto no domésticos, geram esta montanha russa na bolsa.

    ResponderExcluir
  3. HEAVY METAL,

    Vendeu certo no teste da LTB histórica do papel, é normal tomar uma porretada aí. Muito difícil furar uma linha tão importante assim de primeira. Mas acho que é apenas questão de tempo a petro furar esta resistência, provavelmente irá fazer um fundo ascendente sobre a média.

    Abcs,

    ResponderExcluir
  4. dinheiroqrende,

    Sim, há muitas indefinições e a tensão reapareceu no mercado com o aumento do nível de volatilidade. Sem contar que o S&P registrou um upside histórico que não fazia desde os tempos da recuperação da grande recessão.

    No cenário doméstico há uma grande insegurança dos investidores quanto a atuação do BC no mercado de câmbio e também na política monetária que acaba afastando os investimentos em renda variável, entre outros fatores. A nível técnico não podemos perder os 64k de jeito nenhum, pois corre-se o risco de romper esta congestão do ibov para baixo acentuando a tendência de baixa. Do contrário se rompermos os 72k vamos ganhar impulso pra sair da congestão por cima iniciando uma boa pernada de alta para médio e longo prazo. Enquanto estivermos trabalhando dentro desta zona de congestão as operações devem ser as mais curtas possíveis.

    Abcs,

    ResponderExcluir
  5. Boa informação , enfim com o mercado indeciso vou operar no curto prazo tentando aproveitar a volatilidade.

    abços

    ITM

    ResponderExcluir
  6. Investindo todo Mês,

    A melhor estratégia do momento é essa mesmo, trades curtos minimizando o risco de ficar com a batata quente na mão.

    Abcs,

    ResponderExcluir
  7. Olá, estranho o movimento da Usiminas, e também da Csn, fiz uma compra neste suporte dos R$ 18,60, qual sua opinião??, e se vier a perder este suporte, vejo alvo por volta dos R$ 16,00, creio um preço muito bom para investimento, o cash-yeild fica bem interessante, obrigado;
    Ivan

    ResponderExcluir
  8. Olá Ivan,

    Sobre Usiminas é o seguinte, o spread entre usim3 e usim5 estava (e ainda está) alto demais, o mercado percebeu isso rapidamente e muita gente aproveitou pra fazer long x short (comprar usim5 e vender usim3) quando usim5 valia 18,xx e usim3 valia 29,xx. Só que o movimento durou uma semana ou menos, depois foi refugado com uma virada de mão nos dois papéis.

    É por isso que eu fico insistentemente escrevendo aqui para liquidarmos rápido as operações de curto prazo pra isso não acontecer. Os grandes players fazem o que querem na Bovespa, e quando fica banalizado demais uma operação (tal como foi esse long short da usiminas) eles entram pesado contra a tendência pra refugar o movimento e ganhar com muita gente sendo estopada. Não dá pra segurar papel com mercado desse jeito onde poucas pessoas fazem o que querem.

    Sobre o suporte da usiminas o que não pode ser perdido de jeito nenhum é o de 18,28. Caso contrário deve buscar rapidamente os 17,50 e depois 16,50. Lembrando que a ultima retração fibo do papel está nos 18,15 +- se perder esta linha descaracteriza toda a subida que se iniciou desde o fundo da crise no subprime.

    Pra investimento em yeld prefiro outros papéis, como cias elétricas, pequenos e médios bancos, etc.

    Abcs e bons negócios!

    ResponderExcluir
  9. Análise da USIM5 disponível no link "Pedidos de Análises"

    Abcs,

    ResponderExcluir