segunda-feira, 14 de março de 2011

Nikkei arrasta os mercados, com exceção dos emergentes

A bolsa de Tóquio tombou mais de 6% no pregão de abertura desta semana e acabou levando junto o mercado inteiro, com exceção das bolsas de países emergentes que foram na contra mão (recomendamos reler o artigo "Desastre no Japão vai afetar economia". Nem mesmo o anúncio de que o BOJ (Banco Central do Japão) injetou 183 bilhões de dólares (cerca de 15 trilhões de ienes) no sistema bancário e a manutenção da taxa de juros próxima de zero, foram suficientes para acalmar os ânimos dos investidores reagindo ao devastador terremoto que atingiu o Japão na semana passada.

Os mercados emergentes não caíram porque vai haver uma demanda maior por commodities pelo Japão que serão utilizadas justamente para reconstrução do país. Mas o investidor deve estar bem posicionado na escolha de suas ações, por exemplo, empresas de turismo, exportação e seguros serão claramente prejudicadas pelo encolhimento da demanda no Japão. Há também um risco de que esta nova crise no Japão gere pressões inflacionárias no mundo inteiro que atingiriam em cheio aos países emergentes que no momento lutam para não perder o controle sobre a inflação.

Os índices na bolsa de Nova York fecharam em baixa, Dow Jones recuou 0,43%, Nasdaq caiu 0,54% e o S&P500 perdeu 0,60%, os investidores tentam avaliar quais serão os impactos da economia japonesa no mundo, mas ainda é cedo para tentar prever alguma coisa, porém as possibilidades do mercado voltar a subir como nos meses anteriores são bem remotas. Olhando pelo gráfico Dow Jones iniciou o rompimento de sua LTA e continua renovando mínimas a cada dia que passa.


Na Bovespa a situação foi bem diferente devido a forte alta de alguns papéis como Usiminas e Gerdau que acabaram puxando o índice e revertendo a queda ocorrida no início do pregão. A subida foi parar exatamente na média móvel simples de 200 períodos que está perdendo a sua importância pois o mercado está andando de lado (entre 66 e 68k) há mais de 3 semanas e deve continuar dentro desta faixa por mais alguns dias aguardando definição.


Hoje também tivemos a divulgação do famoso Boletim Focus do Banco Central e ele veio salgado. As estimativas para o IPCA em 2011 voltaram a ser revisadas para cima (passou de 5,78% para 5,82%), enquanto as projeções para o PIB seguem recuando (queda de 4,29% para 4,10% em 2011). Será que o Banco Central está otimista demais com a inflação? Pois o que deu pra entender na última ata é que o Copom já pensa em cortar o ciclo de aperto monetário na selic (após este provavél último aumento na reunião de abril) e utilizar mais as medidas macroprudenciais para esfriar as pressões inflacionárias. Acho cedo demais para se pensar em mudar alguma estratégia na política monetária, é como eu sempre digo, com inflação não se brinca.

3 comentários:

  1. Japão pode desencadear uma crise energética devido aos acontecimentos desta madrugada. Nikkei (bolsa de Tóquio) fechou em baixa de 10,55% e arrastou as demais bolsas da Ásia para o vermelho. Apesar de tudo recomenda-se ao investidor não tomar decisões precipitadas e seguir sua estratégia inicial, quem opera com stop ficar atento quanto a abertura do pregão para não pular seu preço de liquidação.

    ResponderExcluir
  2. Calma pessoal, deixem as bolsas cairem , e assim a gente possui descontos comprando mais e mais papeis com valores razoaveis.
    O Japão vai precisar de tempo para voltar a realidade, no curto prazo sera uma situação muito difcil para o mercado mundial como um todo.
    Forte Abraço

    ResponderExcluir
  3. Evertonric,

    Exato. O meu alerta foi para ninguém se precipitar e tomar decisões influênciadas pelo pânico do mercado externo. Seguir a estratégia traçada desde o início da operação é fundamental.

    Abcs,

    ResponderExcluir