segunda-feira, 21 de março de 2011

Obama pisa no Brasil pra falar de democracia, e a economia?

O homem que exportou inflação para o mundo inteiro foi recebido com festa no Brasil e não podia ser diferente, já que somos o país do carnaval, nada contra o carnaval mas ao final das contas quem acaba sambando somos nós mesmos. Em primeiro lugar porque fazer festa ao homem que está distribuindo "dólares de helicóptero" na economia dos Estados Unidos? Já tratei deste assunto antes, apenas para relembrar bem rapidamente, essa injeção de dólares pelos programas de quantitative easing força uma desvalorização do dólar, barateando seus produtos no mercado internacional além de colaborar para enxurrada de dólares na economia mundial fabricando inflação no mundo inteiro e criando possíveis bolhas especulativas nos mercados emergentes. Pois bem, já que este assunto foi deixado de lado pelo menos saíram acordos comerciais, certo? Errado. Você ficou sabendo de algum? Eu não. Não lí e nem ouvi ninguém falando de queda de barreiras comerciais de meio alfinete que o Brasil tenta vender para os Estados Unidos. É claro que ainda é cedo pra falar em acordos comerciais, mas as conversas já deveriam estar em andamento. 

Porém o que mais se ouviu nos discursos de Obama foi a palavra democracia, "Brasil é exemplo de democracia para o mundo árabe", "Viva a democracia!, Viva o Brasil!". Agradeço enormemente ao Sr. Obama por me fazer lembrar que vivemos em uma democracia, realmente estou sem palavras, estou emocionado. Ok, ironias à parte, viva a democracia, agora vamos falar do que interessa, economia e acordos comerciais, queremos vender nossos manufaturados aos Estados Unidos, além de etanol e outros produtos agrícolas, aliás nós estamos aqui para defender nossos interesses e os americanos os deles, então vamos negociar e derrubar algumas barreiras. Não deu tempo, Obama já estava embarcando para o Chile onde lá eles já estão conversando sobre acordos comerciais e concretizando parcerias, inclusive na área tecnológica e ambiental.

Para finalizar ficou as custas do presidente da Fiesp, Paulo Skaf, escutar as críticas pesadas do secretário de Comércio dos Estados Unidos, Gary Locke, quanto à nossa infraestrutura precária, lentidão em alfândegas e pesada carga tributária. O ambiente de negócios aqui não é bom, isso é fato, é o famoso risco Brasil, o que sempre foi criticado aqui pelo Finanças Inteligentes. Mas nem tudo está perdido, os Estados Unidos se mostraram dispostos a rever algumas barreiras à entrada de produtos brasileiros em solo americano, porém além de fazer o nosso dever de casa (que não fazemos há muito tempo), vamos ter que ceder em outros pontos e isso inclui o pré-sal. Aguardem os próximos capítulos.

Passando por um giro rápido nos mercados observamos que a Bovespa foi na contramão do resto do mundo e fechou em baixa. Ásia, Europa e Estados Unidos fecharam esta segunda-feira em alta, a bolsa de Tóquio não funcionou. Dow Jones por exemplo está engatando um belo repique após o teste na linha de suporte em 11.6k mas a tendência ainda é de baixa.


No Brasil apesar de fechar em baixa, o Ibovespa não apresenta novidades já que continua dentro da zona de congestão entre 66 e 68k há quase um mês. Porém o candle deixado hoje não foi nada bom, martelo invertido após uma "puxadinha" que veio dos 66k sentindo a pressão da linha central de bollinger e LTB intermediária que vem dos 72k. Bandas de bollinger estão estreitas e prestes a estourar, significa que logo pode haver um movimento forte no índice, é bom estarmos preparados para um movimento descendente.



Hoje também o governo federal anunciou um corte adicional de R$ 577 milhões no Orçamento de 2011, o que eleva o valor do contingenciamento para R$ 50,7 bilhões devido ao reajuste da tabela do Imposto de Renda em 4,5% (este foi o motivo dado pelo governo, já que vai arrecadar menos com este ajuste). No Boletim Focus desta segunda-feira a expectativa para o IPCA deste ano passou de 5,82% para 5,88%. Ao mesmo tempo a projeção para o PIB de 2011 mostrou queda de 4,10% para 4,03%. Isso porque a nossa presidente Dilma disse que dá pra combater a inflação sem afetar o crescimento econômico, mas está acontecendo exatamente o inverso, a projeção do PIB está diminuindo e a inflação está aumentando.

4 comentários:

  1. Fala FI,

    O Obama veio passear aqui. Realmente, ele falou bonito, como lhe é peculiar, mas de vantagem para nós até agora nada.

    Abraço!

    ResponderExcluir
  2. Jônatas,

    Verdade, sem falar que a mídia americana não deu a atenção devida à vida de Obama ao Brasil, tanto é que não houve nem comentários após os discursos do presidente. Como você mesmo disse ele veio aqui pra passear, devem ter falando de carnaval e futebol o tempo todo no ouvido dele. Ganhou até camisa do Flamengo. Vamos ver se vai sair alguma novidade, o Gary Locke desceu a lenha no Brasil e com razão.

    Abcs,

    ResponderExcluir
  3. Caro FI.,
    O Seu Obama sabe o que esta fazendo, veio de visita a um país que é o maior puxa saco dos americanos, onde qualquer coisa que um politico norte americano dizer é considerado uma regra ou oração, tipo Pai Nosso...
    Temos uma grande porta aberta para eles nos exportar suas manufacturas.
    A infraestrutura do Brasil realmente é muito precária e não vai mudar no curto prazo, nem com a COPA14 na esquina, e nem com os J.O.2016 no próximo quarteirão, tudo aqui no Brasil é de puro interesse pessoal e por isso existe toda esta lentidão, tanto nas licitações como na execução dos projetos....QUE PENA!!!
    Sou otimista mas tbem realista.
    Quero o melhor para o Brasil, mas não vai ser uma visitinha rápida do presidente norte americano que vai mudar as coisas por aqui.
    Abraços.

    ResponderExcluir
  4. EvertonRic,

    Todos nós queremos o melhor para o Brasil, como você mesmo disse também sou otimista mas não podemos deixar de ser realistas. Quando tem alguma coisa errada é nosso dever cobrar para melhorar a situação. No nosso caso são várias as mudanças que devem ser feitas, sem falar que estamos correndo o risco de passar um vexame na copa do mundo. Isso que você citou é reflexo de toda essa ineficiência administrativa governamental. Pelo menos a nossa parte estamos fazendo, vamos continuar cobrando.

    Abcs,

    ResponderExcluir