quinta-feira, 3 de março de 2011

PIB de 7,5% não é motivo para comemorar

Foi divulgado hoje, um dia depois do aumento da taxa básica de juros para 11,75%, pelo IGBE o Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro mostrando uma expansão de 7,5% no acumulado em 2010 e de 0,7% na passagem do terceiro para o quarto trimestre do ano passado. O governo entrou em rítimo de carnaval e comemorou bastante o resultado do PIB brasileiro, que obteve o maior avanço em 24 anos, porém parece que algumas pessoas esqueceram que existe macroeconomia. Não estou criticando o resultado brasileiro que veio dentro das estimativas do mercado, vou apenas colocar os "pingos nos is".

O forte crescimento é explicado pelo reaquecimento da economia após a crise econômica que começou em 2008 e culminou na variação negativa do PIB brasileiro em 2009, portanto é perfeitamente normal crescer forte após uma retração econômica, baseado principalmente nos incentivos do governo para reanimar a economia e espantar a recessão. Não é à toa que o forte crescimento do PIB em 2010 está baseado no consumo interno que aumentou muito (puxando a inflação), o crescimento da nossa indústria por exemplo, está praticamente estagnado desde Abril do ano passado. 

Outra questão a ser observada é que o Brasil é um país em desenvolvimento, portanto devemos comparar o nosso PIB com os nossos "colegas de classe", os países emergentes. A partir daí a situação muda totalmente, entre os BRICS ficamos apenas com o terceiro melhor PIB de 2010, a frente apenas da Rússia. A China registrou uma forte expansão de 10,3% enquanto a Índia fechou 2010 com um crescimento de 8,6%. Quer mais? Nossa grande rival no futebol (quem nem faz parte dos BRICS), a Argentina, cresceu 9,1% em 2010 e vamos ter que engolir isso. É meus amigos, parece que tem muita gente no governo comemorando o PIB brasileiro sem saber que está dançando tango.

Agora chega de falar de PIBs superiores ao nosso e vamos ver porque os mercados subiram hoje. A grande notícia veio dos Estados Unidos, os novos pedidos de seguro-desemprego atingiram o menor nível em dois anos e meio, esta notícia animou os investidores e as expectativas para o relatório de emprego que sai amanhã. Dow Jones subiu 1,59% e conseguiu recuperar a linha central de bollinger com um candle expressivo de rompimento, porém não houve volume para dar segurança no trade e nem sinalizou de que esta puxada será duradoura, primeiramente o alvo está nos 12.383 pontos.


No Brasil o Ibovespa seguiu o rastro de Wall Street, subindo 1,28% fechando praticamente na máxima do dia conforme podemos observar logo abaixo.


Olhando no gráfico o próximo objetivo do índice é superar a média móvel simples de 50 períodos que dará suporte para um futuro teste na região dos 71k. Será importante o rompimento desta região amanhã para não marcar topo duplo em baixo desta importante média pois chamaria atenção para operações vendedoras.

Nenhum comentário:

Postar um comentário