sexta-feira, 18 de março de 2011

Semana termina mas as pendências ficaram

A semana terminou mas o mercado deixou um lembrete para a próxima semana: "fiquem atentos quanto à crise nuclear japonesa e aumento de tensão no oriente médio (veja o post: Onu autoriza zona de exclusão aérea)", esses são os dois causadores da grande volatilidade observada nas bolsas de valores do mundo inteiro esta semana. Começando pelo Japão, as notícias ruins pelo menos pararam de pipocar na mídia, os esforços do governo japonês em resfriar os reatores da usina de Fukushima parecem estar funcionando, técnicos japoneses conseguiram religar a corrente elétrica na usina de Fukushima para ajudar neste resfriamento. Mesmo assim a Agência de Segurança Nuclear do Japão elevou hoje de 4 para 5 o nível de gravidade do acidente nuclear na usina de Fukushima. Se este plano de religar a corrente elétrica na usina não funcionar ainda resta uma última opção a ser considerada: enterrar a usina em areia e concreto (este método foi utilizado para selar grandes vazamentos do desastre de 1986 em Tchernobil). Vamos torcer para que o plano de religar a corrente elétrica funcione.

Na Líbia, Gaddafi entrou em xeque, mesmo declarando cessar-fogo após a aprovação da zona de exclusão aérea pela ONU, há relatos de que as forças do ditador líbio continuaram a atacar cidades rebeldes nesta sexta-feira. Segundo a rede de TV Al Jazeera, forças pró-Gaddafi bombardearam a cidade rebelde de Misrata, no oeste do país, também houve relatos sobre forças do governo realizando ataques e cercando a cidade de Benghazi. Ao que parece o ditador líbio, Muammar Gaddafi, não está honrando o cessar-fogo imposto por ele mesmo e tomou um ultimato da França, Estados Unidos, Reino Unido e alguns países árabes para que cesse imediatamente os ataques contra civis. Uma coisa nós podemos ter certeza, a ditadura de Gaddafi está chegando ao fim, em breve ele vai ter que renunciar ao poder, voluntariamente ou involuntariamente.

Essas são as duas pendências que ficaram para semana que vem. O assunto é muito sério e exige uma resolução imediata caso contrário este nível de volatilidade nos mercados não irá se dissipar, pelo contrário, poderá aumentar ainda mais. Por falar em alta volatilidade reparem como ficou o fechamento do candle semanal da bolsa de Tóquio (Nikkei):


Candle expressivo ao estilo de mercado em crash com um grande pavio inferior sinalizando uma recuperação técnica no final da semana, a intervenção do G7 no câmbio japonês para impedir a valorização do iene permitiu que essa recuperação técnica ocorresse e foi bom porque jogou o Nikkei para dentro da zona de congestão no médio prazo. Ainda na Ásia a notícia destaque do dia nos mercados foi o 5º aumento consecutivo do depósito compulsório promovido pelo Banco do Povo da China (BC chinês) desde novembro/2010. A taxa subirá de 19,5% para 20,0% na tentativa do governo em controlar as pressões inflacionárias. Reparem no gráfico abaixo que a bolsa de Xangai está desenhando um triângulo simétrico dentro de um canal de baixa no médio/longo prazo, é como se fosse uma mistura de duas configurações perigosas que aumentam as probabilidades de um rompimento do triângulo para baixo.


Em Wall Street a semana terminou com desvalorização de 1,90% para o S&P500, 2,60% em Nasdaq e 1,50% de perdas para o Dow Jones. Conforme podemos observar logo abaixo, Dow Jones renovou nova mínima na semana mas conseguiu fechar acima da linha central de bollinger. Mesmo assim o cenário para o curto prazo não é bom, esta linha pode ser perdida e o volume das operações estão aumentando, ou seja, tem mais dinheiro girando posições. A buscar por treasuries (títulos públicos do governo norte-americano) pode impactar no desempenho do índice.


Na Europa, o principal índice do continente (DAX - Alemanha) fechou a semana testando e respeitando a sua linha de tendência de alta, houve o rompimento mas a recuperação apareceu com uma correção técnica no gráfico diário que empurrou o fechamento da semana acima desta linha. Mesmo assim a força da queda assusta, e o índice opera agora abaixo da linha central de bollinger em viés de baixa (podendo aparecer repiques técnicos durante a semana).


Na bolsa brasileira o mercado não apresenta novidades técnicas. Já faz um mês que estamos trabalhando dentro de uma zona de congestão entre 66 e 68k e por isso mesmo as operações continuam com spread reduzido, não dá pra ficar projetando rompimento da congestão se o mercado continua trabalhando dentro dela. Portanto quem está comprando na base em 66k tem que operar com o dedo no gatilho e liquidar o trade assim que perceber uma alteração na tendência de curto prazo, pois a virada está sendo muito rápida.


Para o médio prazo a tendência é de baixa, podemos reverter esta tendência não perdendo a região dos 64k e montando um pivot de alta a partir desta base recuperando a linha central de bollinger, porém as probabilidades de acontecer uma reversão deste tipo no curto prazo não são boas.

2 comentários:

  1. Olá, sempre acompanho a evolução do Ibov em dolares na enfoque, historicamente tivemos sequencias de altas e baixas intercaladas, esta última de alta acabou nos 73K, inclusive já testado novamente, será que já foi dado o sinal para uma nova correção??? Os gringos estão saindo aos poucos e ao meu ver não temos fundamentos para um raly altista, o sinal vermelho está aceso faz tempo, ja fico olhando o Ibov nos 30K novamente, ano que vem quem sabe!!!

    Ivan

    ResponderExcluir
  2. Ivan,

    O ibov em dólar que eu tenho já estou sim o TH e inclusive fez um leve rompimento (falso) e depois passou a cair mais forte. Esse movimento fez igualar o ibov dolarizado com o Dow Jones, ambos caminham juntos agora. Acredito que o momento ainda é de mercado em congestão para o Ibovespa (58 - 72k), mesmo porque não houve pânico após o início do movimento corretivo a partir dos 72k. Mas acho que devemos tomar cuidado pois como você mesmo disse não há motivos para um rally de alta, salvo algumas excessões, não estou enxergando muito papel barato na Bovespa, pra mim a maioria está num preço mediano. Por este motivo acho que o mercado está bom só pra trade na minha visão.

    Sobre os gringos eles estão saindo devagar porque não tem comprador suficiente pra recomprar na sua mão. O volume de pessoas físicas na Bovespa é descendente desde 2008 e acaba sobrando apenas para os institucionais recomprarem posições gringas. Infelizmente o risco para aplicar na Bovespa (pra quem é de fora) é muito alto pois além do pedágio que eles pagam (IOF) existe o risco do câmbio no qual há interferência constante do governo para segurar a moeda. Sendo assim o nosso melhor mercado pra eles está na renda fixa e não na renda variável, pois na renda variável eles tem um mercado "na sua esquina" com um risco bem menor do que o nosso.

    Abcs,

    ResponderExcluir