quarta-feira, 20 de abril de 2011

Balanços corporativos puxam os mercados

A quarta-feira foi de alta generalizada nas bolsas mundiais, o balanço da Intel reanimou o mercado que estava decepcionado com resultados corporativos de outras organizações, a empresa registrou ganhos recordes no primeiro trimestre de 2011 e as projeções para a companhia ficaram mais otimistas para o segundo trimestre deste ano. As commodities continuam em alta e ajudaram a impulsionar os mercdos, o ouro por exemplo está batendo a cotação recorde acima de 1.500 dólares a onça-troy e o petróleo perto dos 110 dólares o barril do tipo light, negociado em Nova York. Na Europa o dia também foi de forte alta, em Londres o FTSE subiu 2,13%, em Paris o CAC avançou 2,46% e em Frankfurt o DAX teve alta de 2,98%. Na verdade os bons balanços corporativos do setor de tecnologia serviram como "desculpa" para os investidores irem as compras na bolsa de valores aproveitando a recente queda para especular num repique de alta.

Nos Estados Unidos, Dow Jones disparou e rompeu o último topo histórico deste ano (região dos 12.4k) em um forte movimento de alta caracterizando o corte da resistência amparado pelo aumento considerável de volume nas negociações. A partir de agora 12.4k atuará como região de suporte e o índice tem caminho livre para continuar subindo, apesar de já estar em zona de sobrevenda.


No Brasil o dia também foi de alta, mas se compararmos com a força dos pregões no mundo afora o movimento foi bem tímido por aqui. A alta foi de 1,36% (longe dos quase 3% de alguns mercados de países desenvolvidos) pois o índice esbarrou no target de 67.1k no qual havíamos mencionado na análise de ontem. Agora o Ibovespa tem pela frente uma LTB mais rápida que vem dos 70k, resistência dos 67.1k e média móvel simples de 50 períodos, portanto pode haver algum enrosco nesta região.


Boa Páscoa !

Nenhum comentário:

Postar um comentário