terça-feira, 3 de maio de 2011

Sell in may and go to "inflação"

O famoso jargão do mercado "sell in may and go away" (venda em maio e vá embora, ao pé da letra) pegou a Bovespa de jeito este ano. A queda abrupta nos dois primeiros dias do mês acionou mais um pivot de baixa no curto prazo e renovou mínima no gráfico semanal e mensal. As vendas entraram pesadas este mês junto com o "sell in may..." acelerando ainda mais a tendência de queda na Bovespa. Nas atuais circunstâncias, cair rápido pode ser considerado um bom sinal (já que faríamos fundo mais rápido para trabalhar uma reversão de tendência), pois a análise técnica não está emitindo nenhum sinal de mercado bull. E isso vem desde o ano passado quando a congestão foi respeitada em 72k. Na visão de curto/curtíssimo prazo podemos estar próximos de um repique já que o Ibovespa está colado nos 64k, região de força compradora.


Voltando ao título do post, você deve estar se perguntando, porque será que está escrito a palavra inflação no lugar de "away"? Eu resolvi trocar os nomes pois a inflação é o grande fator que afasta a pessoa física da bolsa de valores, portanto ela é a grande responsável pelo "sell in may". Sem pessoa física para comprar bolsa o mercado vai continuar caindo e estourando suportes, já que o investidor estrangeiro está pulando fora da Bovespa, somente em abril o fluxo negativo ficou em mais de 1 bilhão. Como se não bastasse além de sair do mercado à vista os estrangeiros vendem contratos futuros na BMF (que antes era utilizado para hedge) e ganham dobrado nos dois mercados.

Uma novidade sobre a inflação é que agora pouco, em entrevista pela Globonews, o presidente do Banco Central (Alexandre Tombini) admitiu pela primeira vez que a inflação deve superar o centro da meta (que é de 6,5%) este ano, confirmando as incansáveis vezes em que chamei atenção para este "perigo". Pode-se perceber também que o tom do "discurso" mudou, parece que o ciclo de aperto monetário ainda não tem data para acabar.

Em Wall Street, o índice Dow Jones fechou estável, S&P500 caiu 0,34% e Nasdaq perdeu 0,78%. S&P500 caiu mais do que Dow Jones pois este índice está mais vulnerável às oscilações de commodities que caíram hoje. Olhando pelo gráfico do Dow Jones podemos perceber que o sinal de topo deixado ontem continua valendo para amanhã, com dois dojis seguidos de indecisão em nível alto de sobrevenda.

Nenhum comentário:

Postar um comentário