segunda-feira, 6 de junho de 2011

Agora somos parceiros da... Venezuela !

Antes de começar a análise de hoje gostaria de fazer uma pergunta a você caro leitor do Finanças Inteligentes. Você investiria suas economias num determinado país chamado Venezuela? Pois é, o nosso "competente" governo acaba de estreitar os laços com este "respeitoso" e "credibilíssimo" país. Não faltaram elogios entre ambas as partes na visita de Hugo Chávez ao Brasil, inclusive o ministro da Casa Civil, Antonio Palocci, recebeu apoio do presidente da Venezuela desejando força. "Fuerza, fuerza” disse Chávez à Palocci.

A presidente brasileira disse que Brasil e Venezuela têm um papel fundamental na integração regional e acrescentou que os países da região já avançaram significativamente na criação de um ambiente de harmonia. Dilma também afirmou que ela e Chávez olham com muita esperança o futuro da região e que eles têm certeza de que construirão países desenvolvidos e democráticos. Espetacular não? Chávez está no poder da Venezuela desde 1999, viva a democracia! E viva o desenvolvimento, pois se não fosse a PDVSA (companhia petrolífera venezuelana) este país já estaria praticamente quebrado com grande parte da população vivendo na linha da pobreza.

E para fechar com chave de ouro, Dilma salientou que deseja aumentar as importações de produtos venezuelanos e investir mais na infraestrutura do país. É isso mesmo, você não está ficando doido, nem lendo errado, vamos investir na infraestrutura da Venezuela por meio da petroquímica Braskem com aproximadamente 4 bilhões de dólares no programa "Minha Casa, Minha Vida" da Venezuela (mais conhecido como "Misión Vivienda").

Hugo Chávez, o "presidente" que violou os princípios constitucionais venezuelanos, com restrições à liberdade de imprensa e fechamento de emissoras de TV que criticam o governo está sendo apoiado fortemente pelo governo populista do PT.

Infelizmente estas preocupações políticas estão tomando conta do humor dos negócios no mercado nacional. Hoje a Bovespa caiu quase 2% perdendo novamente a importante linha dos 64k e testando o suporte dos 63k no qual destacamos na semana passada. Este suporte não pode ser perdido, caso contrário poderemos testar o último fundo no curto prazo em 61.7k.


Nos Estados Unidos o dia foi de leve baixa com Dow Jones testando a região dos 12.1k conforme alertado na semana passada. O índice encontrou um bom ponto para tentar engatar um repique no curto prazo, mas a queda dos últimos dias está mais forte do que o normal inviabilizando abertura de posições compradas em Wall Street. Os investidores devem aguardar um sinal do mercado para voltar a comprar Dow Jones, apostar no suporte com este cenário é assumir um risco alto demais.

3 comentários:

  1. Olá, o interessante é que os estrangeiros estão comprando mais que vendendo, será que o mercado repetirá 2009, montou figura de queda em maio, inclusive tinha muitos "analistas" falando em ibov novamente nos 30K e derrepente uma baita virada na qual eu dancei bonito, até hoje não tirei o preju!!! Sai da Vale e Petro na faixa dos R$ 27,50, ainda bem que a Petro teve esta correção, se até o ano que vem chegar pelo menos no topo desta congestão será ótimo, isto sendo conservador, talvez rompa e vá bater cabeça nos R#35,00, bom dia!!!
    Ivan

    ResponderExcluir
  2. Ivan,

    Eu me lembro muito bem do comportamento do mercado em 2007 e principalmente 2008, levei uma pancada pra nunca mais esquecer. Mas confesso que esse tombo foi uma das melhores aulas que tive com o Sr. Mercado. No final da tendência de alta puxaram ainda mais o índice levando a bolsa pra uma euforia final de alta no qual pegou muito investidor pessoa físia de surpresa. Naquele momento o subprime já tinha estourado (2007) mas o mercado desconsiderou os efeitos da crise e continuou subindo. Depois disso todo mundo sabe o que aconteceu.

    Depois dê uma olhada nos gráficos mensal da PETR4, USIM5, etc... Tem figuras bears detonadas que indicam mais queda para esses papéis no longo prazo. Eu só acreditaria numa retomada da tendência de alta quando visse um fundo confirmado nos gráficos de longo prazo, não sei quando isso irá acontecer, mas podemos ir monitorando. Para curto prazo já muda a história.

    Abcs bons negócios,

    ResponderExcluir
  3. Uma beleza. Na América Latina se exige diploma até para o sujeito ser lixeiro, mas depois escolhe para presidente da república um índio, um motorista, um operário, uma mulher que nem vereadora foi. Por que temos que imitar a Venezuela, em vez de imitarmos países verdadeiramente civilizados
    e progressistas?

    ResponderExcluir