sexta-feira, 3 de junho de 2011

A vergonha de ser o 20º colocado

O IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) divulgou nesta sexta-feira o PIB (Produto Interno Bruto) do Brasil referente ao 1ºTRI/2011, a expansão foi de 1,3% sobre o 4 ºTRI/2010 e de 4,2% em relação ao mesmo período do ano passado. Os números vieram em linha com as expectativas do mercado e agradaram o governo brasileiro. "É um crescimento satisfatório, mostrando que a economia continua tendo vitalidade, porém desacelerando em relação ao ano passado", disse o ministro da Fazenda, Guido Mantega.

Diferentemente do governo, o Finanças Inteligentes não se limita em analisar a economia brasileira sem ao menos olhar o cenário macroeconômico antes. Para sabermos se estamos bem ou mau, nada mais justo que comparar a nossa economia com países de mesma relevância que a nossa. O economista-chefe da agência de classificação de risco Austin Rating, Alex Agostini, ajudou neste ponto e fez um levantamento entre o PIB de 41 países comparando o crescimento do 1ºTRI/2010 com o 1º TRI/2011. Adivinha em qual colocação nós ficamos? Vigésimo!

Mais vergonhoso que ficar em vigésimo colocado é saber que uma economia da América Latina está ocupando a primeira posição do ranking (desbancou até mesmo a toda poderosa economia chinesa) devido à sua competente política econômica que faz o país aproveitar o ótimo momento do mercado latino-americano perante a economia mundial. Um pais encolhido entre a Cordilheira dos Andes e o oceano Pacífico esbanja um crescimento de 9,8%, simplesmente invejável. O Chile é um dos países mais  prósperos e estáveis da América do Sul, é o melhor em termos de desenvolvimento humano, competitividade, qualidade de vida, estabilidade política, liberdade econômica, índices comparativamente baixos de pobreza e principalmente: baixa percepção de corrupção.

E o Brasil, o que pode esbanjar? PIB de 4,2%? Até o Vietnã está crescendo mais do que o Brasil. Quer mais? Letônia, Finlândia, Ucrânia, Venezuela, Indonésia, Lituânia, Malásia, Estônia... Todos esses países possuem uma coisa em comum: um crescimento superior ao nosso. Além é claro dos consagrados China, Índia, Hong Kong e Tawian que sempre estão "dando uma lavada" no nosso PIB.

Felizmente o Brasil tem um grande potencial de crescimento, somos a potência dos recursos naturais, energéticos e alimentícios do mundo, só não estamos sabendo aproveitar esta oportunidade. O Brasil simplesmente não consegue crescer mais do que 4,5% ao ano pois esbarra em problemas banais como infraestrutura precária, má gerência da política econômica, educação baixa, tributação alta, alfândega arcáica e principalmente: corrupção descarada.

Fazendo agora um giro pelos principais mercados mundiais, podemos perceber que mais uma vez os mercados emergentes estão fora de sintonia com os mercados desenvolvidos no curto prazo, o que não deixa de ser um bom sinal neste momento pois Wall Street e Europa estão caindo há 5 semanas consecutivas. Abaixo podemos observar o gráfico do Dow Jones perdendo a linha central de bollinger em um candle de forte expressão. O suporte dos 12.1k foi praticamente testado e pode gerar um respiro para a próxima semana.


Na Alemanha o DAX também continua caindo perdendo a linha central de bollinger tentando se manter acima do suporte dos 7k. Movimento idêntico ao de Wall Street.


Na China a bolsa de Xangai conseguiu respirar fechando a semana em leve alta após a derretida da semana passada. O suporte mais importante está na casa dos 2.6k com boas probabilidades de repique pois a bolsa de Xangai está sobrevendida.


No Brasil o Ibovespa fechou a semana marcando um doji, mostrando indefinição no mercado para a próxima semana. Não ficou bonito (para os comprados) este doji de indecisão após o candle de alta marcando fundo na semana passada, pois indica que o fundo no gráfico pode ser temporário (de curto prazo). Sendo assim na semana que vem a bolsa terá que subir novamente para anular esta possibilidade de retomada da tendência de baixa. O fato de estarmos dentro de um canal de baixa no médio prazo limita o aparecimento contínuo da força compradora.


Mas existe uma boa possibilidade da bolsa engatar uma tendência de alta mais consistente no curto prazo. Essa possibilidade está no encerramento/redução drástica das posições vendidas no índice futuro e/ou no encerramento/redução drástica nos aluguéis de ações. Ambos estão em níveis altos demais (apostando na queda do índice), portanto se a força compradora forçar a barra no curto prazo o mercado pode disparar a subir as custas do prejuízo de quem teve que encerrar essas posições vendidas.

13 comentários:

  1. Caro FI,

    Sinto muito informar a vc que nosso potencial para crescer é quase nulo diante do alto índice de velhacarias e corrupção de nossos políticos e do povo brasileiro em geral, dos parcos investimentos em infra-estrutura (fundamental para escoar a produção agro-industrial de um país bem estruturado, que não é nosso caso) e da atual galopante política sócio-econômica do governo PETISTA, que preza por dar o peixe em troca de votos... mas nada de ensinar a pescar. Crescemos menos que o Peru! (sem analogias sexuais...) E nem falo do Chile, meu amigo. Chile que também teve regime militar e nem por isso tem picaretas intitulados "ex-perseguidos" se aproveitando do poder público. MInhas esperanças em relação ao Brasil morrem a cada noticiário de "mais bolsas família para 16 milhões de brasileiros, um valor de quase 20 bilhões de reais por ano já orçados pelo governo" - saiu hoje na CBN. O governo amassa a classe média com impostos cada vez maiores e repassa aos eleitores analfabetos que querem sua "boquinha" no dinheiro das "zelites". As elites somos nós...

    Vários investidores estrangeiros não aportam aqui pelo sabido alto índice de corrupção de Pindorama, pela demora absurda para se abrir uma empresa e pela burrocracia estúpida de nossos serviços públicos. Nossas estradas são uma vergonha, nossas redes aeroviária e ferroviária são piada para Inglês ouvir. Sem o combate real a corrupção, seremos sempre o "país do futuro" - que nunca vai chegar. Mas, o PT se interessa nisso??? Viva Pallocci!!!!!!!! Pau na cabeça do trabalhador Francenildo!!!!!!!

    ResponderExcluir
  2. Em tempo: sou SIM a favor de políticas sociais sérias (e não as eleitoreiras).
    De que adianta dar bolsa família sem dar educação de qualidade??? Para que massacrar empresários e a classe média? Por quê impostos tão absurdos? E tantos políticos imbecis em cargos importantes em nossas estatais??

    Pobreza não deveria existir num país rico como o nosso, CORRUPÇÃO também não. Que sejam dadas as bolsas família, mas também ensino de qualidade (e sem ideologias petistas embutidas), saúde de verdade e um país com infra-estrutura digna de suas riquezas e tamanho.

    ResponderExcluir
  3. Heavy Metal,

    Só vamos crescer quando estes problemas citados tanto pelo artigo quanto pelo seu comentário forem definitivamente resolvidos. Infelizmente a política é populista, esses programas sociais são uma ótima forma de conseguir votos e nada mais. A questão social é séria e só será resolvida quando o governo dar educação descente e criar emprego à população carente.

    Se a política fosse um pouco mais séria e inteligente nós não estaríamos passando por estes problemas e não estaríamos desperdiçando esta chance que o Chile demonstra estar aproveitando e muito bem.

    Outro ponto interessante. Porque o Jornal Nacional editou a entrevista de Palocci com os melhores momentos favoráveis ao entrevistado? Pouca gente deve ter visto a entrevista na íntegra que está disponível neste link: http://g1.globo.com/politica/noticia/2011/06/veja-integra-da-entrevista-do-ministro-palocci-tv-globo.html

    ResponderExcluir
  4. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  5. FI,

    Leia esta reportagem abaixo e CHORE: 10 - 7 = 4. Livro pago pelo MEC para as escolas públicas. Estamos literalmente na MERDA.

    http://exame.abril.com.br/economia/brasil/noticias/mec-gasta-r-13-mi-com-livros-para-ensinar-10-7-4

    ResponderExcluir
  6. E mais esta:

    São Paulo - Um dia depois de ir à TV para explicar o aumento expressivo de seu patrimônio, o ministro-chefe da Casa Civil, Antonio Palocci, é alvo de nova denúncia de negócio suspeito. Reportagem na edição desta semana da revista Veja revela que os proprietários do apartamento, avaliado em R$ 4 milhões, alugado por Palocci no bairro de Moema, em São Paulo, são "laranjas".

    De acordo com a revista, o apartamento pertence à Lion Franquia e Participações Ltda e está registrado no 14º Ofício de Registro de Imóveis de São Paulo em nome de dois sócios: Dayvini Costa Nunes, que tem 99,5% das cotas, e Filipe Garcia dos Santos, com o restante (0,5%). Filipe tem 17 anos e só foi emancipado no ano passado. O sócio majoritário, de 23 anos, é um representante comercial que mora nos fundos de um casa na periferia de Mauá, cidade do ABC. Ele trabalhou na prefeitura da cidade, que é governada por Oswaldo Dias (PT).

    Em entrevista à revista, Dayvini Costa Nunes admitiu que é laranja, explicando que fez isso para ajudar parentes. "Esse problema envolve pessoas com quem eu não tenho como brigar. Não tenho como bater de frente com Palocci", disse Dayvini à Veja, na última sexta-feira, ao telefonar para a revista para mudar a versão dada no dia anterior, quando mostrou-se surpreso com a informação de que seria um dos donos do apartamento.

    Segundo a revista, a Lion usou endereços falsos em suas operações nos últimos três anos. A Lion diz ter recebido o apartamento de Gesmo Siqueira dos Santos, tio de Nunes. Ele responde a 35 processos por fraudes em documentos, adulteração de combustível e sonegação fiscal. Um empregada doméstica na casa dele, Rosailde Laranjeira da Silva, também foi usada como laranja em outras quatro empresas abertas por Siqueira Santos. Filipe Garcia dos Santos forneceu ao cartório um endereço fictício no Paraná. A sede formal da Lion fica na cidade de Salto, a 100 quilômetros de São Paulo.

    O ministro Palocci é o centro de uma crise que estourou há 20 dias, quando foi divulgado que ele havia comprado um apartamento de 500 metros quadrados, avaliado em R$ 6,6 milhões, e uma sala comercial, avaliada em R$ 882,5 mil. Além disso, sua empresa, a Projeto, faturou R$ 20 milhões só em 2010.

    Em nota divulgada hoje, a assessoria de Palocci informa que o contrato de aluguel do apartamento foi firmado entre o ministro e os proprietários Gesmo Siqueira dos Santos, sua mulher, Elisabeth Costa Garcia, e a Morumbi Administradora de Imóveis. Ainda segundo a nota, Palocci e sua família nunca tiveram contato com os donos, "tendo sempre tratado as questões relativas ao imóvel com a imobiliária responsável indicada pelos proprietários."

    "O ministro, assim como qualquer outro locatário, não pode ser responsabilizado por atos ou antecedentes do seu locador", conclui a nota.

    O imóvel onde reside o ministro e pelo qual ele paga aluguel tem 640 metros quadrados, varandas, quatro suítes, três salas, duas lareiras e churrasqueira. A revista informa que o condomínio chega a R$ 4.600,00 e o IPTU é de R$ 2.300 por mês. Imobiliárias da região dizem que um aluguel no local custa em torno de R$ 15 mil mensais.

    ResponderExcluir
  7. Gostei muito deste artigo. Seu texto é muito bom, excelente escrita, objetivo e explicativo. Sem contar que o tema escolhido é 50% da matéria.
    Agora sobre o assunto: é uma pena saber que o BRasil não está no caminho correto.
    Mais trite ainda é esperar que o Brasil seja melhor um dia, já que ninguém respeita niguém. Os políticos amam roubar e o povo tem que pagar mais impostos.
    Impostos esses que se tivessem uma direção, ou objetivo adequado, de nada estariamos reclamando.
    Agora, é bom saber que alguns países latinos americanos estão no páreo com os da Ásia.
    Temos é que dar os parabéns a Chile e outros.
    MUito bom este texto e parabéns pelas análises dos gráficos tbém, sou leitor assíduo deste espaço, porém comento pouco, pois agora estou sem tempo.
    Um forte abraço.

    ResponderExcluir
  8. Heavy Metal,

    Esta reportagem de hoje da exame só confirma o que falamos aqui. É triste ver isso acontecendo, chega a ser revoltante. "Especialistas julgaram que os erros eram tão graves e tão numerosos que não bastava divulgar uma errata à coleção". Um verdadeiro absurdo.

    Sobre o Palocci eu não sei o que ele ainda está fazendo no governo, está na hora da justiça começar a funcionar nesse país. Antes tarde do que nunca.

    Abcs,

    ResponderExcluir
  9. EvertonRic,

    Obrigado!
    É uma pena ver a política destruir todo o potencial de crescimento e desenvolvimento que nós temos. Por isso é nosso dever cobrar por melhorias e divulgar informações que o governo tenta esconder. Um exemplo:

    O PIB brasileiro cresceu 1,3% no primeiro trimestre deste ano, já os impostos cresceram absurdos 6,5% durante o mesmo período. E a maioria desses impostos afetam mais a clase média que tem um retorno mínimo sobre o mesmo.

    Temos que começar a divulgar mais essas informações para a população cobrar por reformas e melhorias, pois se tudo continuar como está não vamos evoluir nunca.

    Abcs e bons negócios,

    ResponderExcluir
  10. Seus posts são sempre muito bons FI!! Especialmente os comentários a respeito da economia como um todo!
    Tenho postado pouco, mas acompanho sempre seu site!! Parabéns!!

    ResponderExcluir
  11. Olá Felipe,

    Obrigado! Também estou sempre passando pelo seu site, parabéns pelo trabalho!

    Abcs,

    ResponderExcluir