terça-feira, 2 de agosto de 2011

Acordo ou desacordo?

2 de Agosto de 2011, Obama sanciona a lei de aumento no limite da dívida americana. Os Estados Unidos (conforme alertamos constantemente) não deram calote, os títulos públicos da dívida americana nem se mexeram do lugar, a economia não entrou em depressão e tudo continua como antes. O show de terrorismo proporcionado pelas mídias mais sensacionalistas do mundo inteiro não colaborou em nada para a análise e percepção marcoeconômica do investidor. Ressaltamos insistentemente aqui no Finanças Inteligentes que o ponto crucial desta questão não era o referido aumento do endividamento dos Estados Unidos e sim em que condições se daria este aumento.

Inicialmente o limite de endividamento do governo federal será elevado em 400 bilhões de dólares e poderá ser seguido por mais duas elevações nos próximos meses. Porém será necessário uma redução inicial no déficit de 917 bilhões de dólares para acompanhar a primeira parte do aumento do teto da dívida. No total o plano prevê um aumento de cerca de 2,4 trilhões de dólares no teto da dívida e um corte de pelo menos 2,1 trilhões de dólares no déficit.

No final das contas os políticos americanos acabaram trocando 6 por meia dúzia. Incrível como fizeram tanto estardalhaço para não sair do lugar, já que os aumentos no endividamento estão vinculados à corte nos gastos do governo. Mais incompreensível ainda é saber que o topo da pirâmide (a camada mais rica dos Estados Unidos, aquela mesma que ocasionou o crash em 2008) continuará não pagando um centavo de impostos ao governo.

Os mercados no mundo inteiro desabaram quando a lei foi sancionada pelo presidente Obama. Na verdade este não foi o motivo real da queda nos pregões desta terça-feira (foi apenas um "empurrão"), para entender porque os mercados despencaram hoje basta ler a análise publicada ontem no Finanças Inteligentes, "Enquanto isso o mundo desaquece".

Wall Street derreteu e Dow Jones detonou um triângulo simétrico para baixo, indicando que a tendência de baixa para as próximas semanas/meses pode estar apenas começando. Este movimento não confirmou o que havíamos destacado na parte técnica da análise para curto/curtíssimo prazo feita ontem. O Dow Jones agora opera abaixo da média móvel simples de 20 períodos e pode estar invertendo a sua tendência para médio e longo prazo.


O Ibovespa também fechou em forte baixa acompanhando o movimento da Europa e Wall Street. O índice detonou mais um pivot de baixa e está perdendo a última região de suporte da grande congestão de longo prazo que estava permitindo a bolsa oscilar entre 58k até 72k. A facilidade do rompimento destas linhas (assim como foi a perda do patamar psicológico nos 60k) demonstra a fraqueza do mercado para voltar a subir. Abaixo dos 57.6k o mercado é totalmente urso (vendedor) e as retrações fibo no semanal deverão ser usadas para projetar provável ponto de reversão desta tendência (56k, 51k e 46k respectivamente).


Para finalizar gostaria de reconhecer o meu erro na parte técnica de curto/curtíssimo prazo da análise de ontem (a análise macroeconômica está ok). Não é difícil acertar os movimentos de curto prazo pela técnica bem aplicada, porém temos também que reconhecer a superioridade do mercado que as vezes "dá um olé" no operador. A humildade em assumir o erro faz parte do processo de sobrevivência no mercado.

21 comentários:

  1. Eu acho que esse Bear será diferente de 2008. Vai ser lento.

    O que você acha FI?

    ResponderExcluir
  2. FI,

    Tenho a impressão que o IBOV esta refletindo o impacto futuro de custos. Principalmente aquele relativo ao aumento do salário mínimo.

    Abs,
    Marcos

    ResponderExcluir
  3. Anônimo,

    Essa queda é até pior do que a de 2008, onde naquela época tudo caída de forma homogênea, em grande intensidade. A pancada foi bem rápida (psicologicamente menos dolorida se compararmos com quedas mais lentas).

    Hoje as quedas são mais selecionadas, tem muito papel com crash de 40%, já outras ações estão caindo menos, o que segura um pouco a pontuação do índice. Se o ibov fosse uma Usiminas por exemplo, já deveríamos estar nos 35k.

    Abcs,

    ResponderExcluir
  4. Marcos,

    Certamente. Além de outros aspectos como a desencontrada política econômica brasileira, risco de inadimplência, crescimento menor do PIB (este ano se fechar em 4% já estará "bom tamanho") e desaquecimento da economia mundial.

    Abcs,

    ResponderExcluir
  5. Era mesmo esperado um repique na região onde estamos. E talvez ainda aconteça... Sempre entendi que o mercado faz o que tem que fazer, mas não é um reloginho suíço...
    Este teu site é bom demais! Acho-o fundamental. Antes, eu costumava ver três analistas de vídeo. Pois, você que não usa vídeo, tem acertado mais que eles, e feito análise mais ampla. De mais qualidade também.

    Carla

    ResponderExcluir
  6. Diariamente leio seu blog e te parabenizo: você consegue condensar tudo o que está acontecendo na economia, de forma clara e objetiva.

    ResponderExcluir
  7. Só Para Acrescentar,Analise do Renomado Grafista
    Lopes Filho:

    O Ibovespa e suas projeções Baixistas (gráfico semanal)

    A atual tendência de baixa do Ibovespa teve início em novembro do ano passado, quando foi atingida a máxima de 73.103 pontos. Desde então o índice adotou o padrão de formação de topos e fundos em níveis cada vez menores, característica básica das trajetórias descendentes e ainda não evidencia condições de reverter este quadro negativo. Por este motivo, vamos determinar alguns objetivos que poderão ser atingidos no desenvolvimento desta queda, lembrando que utilizaremos os números de Fibonacci. Observe que o fundo formado em maio de 2010 (57.633 pontos) já foi atingido, sem que existam sinais de esgotamento da baixa. Isto aumenta as possibilidades de sua manutenção até mais ou menos 56.500 pontos, sendo esta a hipótese otimista. Se rebaixarmos um pouco tal expectativa, poderíamos assumir uma posição, digamos, realista e trabalhar com objetivos em 55.570 e 51.050 pontos, mas para que fosse satisfeita esta condição as blue-chips (Vale e Petrobras) teriam que participar mais ativamente da tendência. Finalmente, adotando uma premissa totalmente negativa, com as ações líderes não apenas acompanhando, mas sim assumindo sua posição de carros-chefe, poderíamos acreditar que as projeções para esta tendência estarão situadas entre 51.650 e 46.300 pontos, já admitindo uma correção de todo o ciclo altista formado a partir de outubro de 2008.

    ResponderExcluir
  8. Carla,

    Obrigado! Por incrível que pareça eu valorizo mais o erro do que o acerto, já que acertar no curto prazo não é tão difícil assim. Eu não gosto de desmerecer nenhum analista, mas não concordo quando escondem o erro, passando uma imagem mítica de "guru".

    Abcs, bons trades

    ResponderExcluir
  9. Eduardo,

    Obrigado! Economia é fundamental para projeções de longo prazo na bolsa.

    Vamo que vamo!

    ResponderExcluir
  10. macr3,

    Exato. Só acho que ele escreveu tanta coisa pra falar das retrações fibo. Resumidamente é isso, perdemos primeiramente LTA semanal, depois a congestão de longo prazo. Agora é tentar projetar (pelas fibos) até onde vai a correção da pernada de alta iniciada em 29k.

    Abcs,

    ResponderExcluir
  11. Excelente análise! Essa é uma das vantagens do F.I.: ser um blogueiro isento e totalmente independente da grande mídia, que consegue sustentar seus argumentos com uma racionalidade e coerência internas de fazer inveja a qualquer grande economista da dita "grande mídia".


    Ter liberdade para criticar, de modo fundamentado, toda esse alarmismo infundado da mídia brinca a nós, leitores, com um texto extremamente pertinente. Parabéns!


    É isso aí!
    Um grande abraço, e que Deus os abençoe!

    ResponderExcluir
  12. quase 55k

    A coisa caiu mais rápido do que eu imaginava.

    Da para fazer uma análise BVMF3.

    Abcs,
    Marcos

    ResponderExcluir
  13. Olá Finanças Int., tudo bem!?
    Gosto muito de sua didática com suas análises macro e de investimentos, seus textos são muito bons e sei o quanto é difícil agradar a gregos e troianos. Estou sempre acompanhando seus posts.
    Peço humildemente e, sempre que possível, incluir o blog Finanças Forever na sua lista de blogs interessantes, já que o seu sempre esteve na minha lista de blogs que acompanho e recomendo, des do inicio de minhas postagens no meu blog.
    Abraços ao amigo e sucesso!

    ResponderExcluir
  14. isso tudo é pq petro e vale nao derreteram 20% ainda...

    ResponderExcluir
  15. Guilherme,

    Obrigado! De conto de fadas o mercado está cheio, temos que ficar sempre atentos com a mídia comercial.

    Bom ver você de volta, sucesso ao Valores Reais!

    Abcs,

    ResponderExcluir
  16. Marcos,

    Segurou nos 55.2k, neste momento as vendas descobertas estão sendo encerradas o que garante aquela famosa "puxadinha no final" (abre espaço até para um daytrade básico). Quando as quedas são mais rápidas significa que o mercado está em pânico, aí que o bicho pega pra valer.

    Após o pregão posto análise da BVFM3

    Abcs,

    ResponderExcluir
  17. Everton,

    Obrigado! Também estou sempre passando pelo Finanças Forever, leitura obrigatória. Ainda não tenho uma lista de blogs relacionados, assim que tiver certamente irei incluir o seu.

    Abcs,

    ResponderExcluir
  18. saimon,

    É verdade. Esses papéis (petro e vale) rotineiramente foram usados como contrapeso na queda entre 70k a 60k, isto é, enquanto muitos papeís caíam forte, vale e petro caíam pouco ou as vezes até subiam. Mas como perdemos base da congestão, o pânico aumenta e o castido tende a ser geral a partir de agora.

    Abcs,

    ResponderExcluir
  19. Meu amigo,

    Análise precisa, fria e sem demagogia como muitos economistas.

    Parabéns!

    ResponderExcluir
  20. Jônatas,

    Obrigado! Vivendo e aprendendo sempre.

    Abcs,

    ResponderExcluir