segunda-feira, 22 de agosto de 2011

A espera por Bernanke

A semana mal começou e o mercado já entrou em compasso de espera pela reunião anual de bancos centrais em Jackson Hole (Estados Unidos), que será realizada nesta sexta-feira dia 26/08/2011. A grande expectativa por esta reunião está vinculada ao pronunciamento do presidente do FED (Federal Reserve), Ben Bernanke. Wall Street, na sede por dinheiro novo, aguarda ansiosamente por anúncio de um novo programa de estímulo monetário, o famoso quantitative easing 3. Na teoria, deveria ser um programa de estímulo à economia, mas na prática boa parte deste recurso acaba caindo na especulação em Wall Street.

O volume baixo de negócios nos mercados confirma esta tese, poucos investidores querem arriscar posições antes deste importante pronunciamento de sexta-feira. Será um bom ponto de referência para sabermos se Ben Bernanke está mais preocupado com os riscos de uma estagflação na economia americana (conforme relatamos no artigo: FED, bancos e liquidez. A combinação do desastre, ou se ele está mais preocupado com a sede por dinheiro de Wall Street (incluindo as maiores instituições financeiras mundiais).

Dow Jones fechou o dia com um candle que poderia ser um martelo invertido, mas como não está posicionado no término de uma tendência, o candle perde sua validade. A força da tendência continua sendo o spinning top deixado abaixo da zona de resistência nos 11.6k. O volume baixo em Wall Street demonstra que o mercado pode estar mais para indefinição nos próximos dias, mas vale ressaltar que a tendência de baixa no curto/curtíssimo prazo se mantêm inalterada.


No Brasil, tivemos mais um dia de espetáculo pelo circo da mídia comercial. Analistas prevendo Ibovespa em 20k, outros em 70k, um verdadeiro show de bola de cristal. A qualidade das análises destes "gurus" ("que tem o poder de prever o futuro"), é impressionante, está aquém do bê-a-bá do mercado de capitais. É impossível prever pontuação de índice, muito menos no médio e longo prazo. A análise (seja ela técnica, fundamentalista ou macroeconômica) não foi feita para se prever o futuro da bolsa, mas sim para ser uma ferramenta de auxílio ao investidor na tomada de decisão.

Deixando o circo de lado, o volume financeiro desta segunda-feira na Bovespa foi muito baixo, acompanhando o rítimo de Wall Street. O índice fechou com um doji lápide, que pode ser considerado como uma manutenção (ou continuação) da configuração de topo pelos candles nos 55k, que deram início à uma tendência de baixa no curto prazo. O suporte mais importante no curto prazo está na casa dos 52k, abaixo deste valor podemos testar os 50k.

4 comentários:

  1. Olá, vários papéis importantes estão armando o céu ou as trevas ao mesmo tempo, o mercado está à espera de "algo", me remete em 2009, observe o OCO bem configurado, muita gente saiu vendendo a descoberto naquele dia e derrepente virou tudo e só parou nos 73K, enfim tudo é possível!!! Derrepente os governantes aparecem com um remendo que todo mundo aceita como solução;

    Ivan

    ResponderExcluir
  2. Ivan,

    10º Grande Axioma, e um dos que mais gosto: "Fuja da opinião da maioria. Provavelmente está errada."

    O que aconteceu nesse OCO que você citou é só um dos exemplos. Quando todo munto estiver na fase do desespero, falando que o fundo do ibov está longe, pode saber que está na hora de entrar comprando forte no mercado.

    Abcs, bons trades

    ResponderExcluir
  3. FI,

    Lembro que no início do ano havia analistas falando em 90k para o Ibovespa. Eles ainda acreditam nisto!?

    Abraço.

    ResponderExcluir
  4. Jônatas,

    Creio que não. A bolsa sobe 5% e aparece um tanto de analista prevendo ibov nos 100k e se cai 5% aparecem os mesmos analistas prevendo ibov nos 30k. Estas previsões não tem credibilidade nenhuma pra mim, é impossível prever pontuação de índice ainda mais no longo prazo onde muita coisa pode acontecer.

    Abcs,

    ResponderExcluir