segunda-feira, 12 de setembro de 2011

A mão do Financial Times

Os mercados acionários no mundo inteiro abriram o pregão desta segunda-feira em forte baixa refletindo as especulações de que a Grécia esteja próxima de declarar um default. O secretário de Estado de Finanças da Grécia afirmou que o país tem dinheiro para pagar salários públicos e pensões só até outubro deste ano, desta forma é essencial que o país receba o sexto lote do empréstimo internacional (110 bilhões de euros) para não ir a falência. O problema todo é que o governo grego não está conseguindo reduzir o déficit orçamentário, que poderia garantir o recebimento da sexta parcela do empréstimo. Só nos oito primeiros meses de 2011 o déficit orçamentário cresceu 22,2% em relação ao mesmo período do ano passado.

Mas após o fechamento dos pregões europeus, o jornal britânico Financial Times soltou uma bomba nos mercados. "A Itália pediu que a China fizesse compras significativas de títulos da dívida italiana, segundo o jornal. Estes investimentos, se forem realmente confirmados, poderão aliviar o contágio da crise fiscal européia que a Itália está sofrendo, via elevação abrupta de seus títulos da dívida pública.

O horário em que saiu esta notícia foi bem propício para facilitar a virada de mão do mercado. Muitos operadores abriram o pregão socando venda à descoberto (se aproveitando da situação delicada na Europa). Com a obrigatoriedade de se fechar a operação vendedora no mesmo dia, estava alí uma boa oportunidade para os players reentraram com uma força compradora, a partir da retomada do suporte em 55k. Basta dar o impulso pra virar o mercado que o vendido à descoberto se encarrega da continuação do movimento de alta, já que o operador deve zerar sua posição (recomprando, ou seja exercendo uma força compradora) para não fechar no prejuízo. No pregão do dia 06/09/2011, ocorreu um movimento especulativo parecido com este de hoje.

Por este motivo o índice bovespa fechou com um doji libélula, no toque de sua LTA de curto prazo, que por sinal é o mesmo ponto onde se encontra a linha central de bollinger (regiões propícias para o aparecimento de força compradora). O espaço está ficando curto para o mercado oscilar, pois a LTA está sendo respeitada bem como a resistência na região dos 58.5k, encurtando o spread e aumentando o risco da operação (para ambos os lados, ultimamente a Bovespa está em clima de faroeste, dando tiro pra todos os lados).


No índice Dow Jones, a LTA de curto prazo foi perdida com um candle de força na sexta-feira da semana passada. Hoje o mercado fechou com um martelo na banda inferior de bollinger, que pode sugerir um pullback nesta LTA rompida. A virada de mão patrocinada pelo Financial Times também pegou Wall Street.

8 comentários:

  1. Diferença daquele pregão do dia 06 pode haver uma: ser verdade. Isso fica por conta dos chineses.

    Esperar e ver.

    Parabéns pelas análises,
    abraços
    TR

    ResponderExcluir
  2. Acho sinceramente que o mundo anda vazio, meio non sense, sem referencia firme e liderança, senão vejamos: acredito que se somar dinheiro chines e 10% da poupança japonesa da e sobra para consertar a europa. Isso não é novidade p/ ninguem. Agora num mundo desejando coisas novas isso ja é suficiente p / empolgar os mercados e ser trigger.
    Samuel

    ResponderExcluir
  3. TR,

    Sim. Vamos ver se é verdade isso que foi divulgado no Financial Times. Eles adoram jogar umas bombas no mercado.

    Obrigado!

    Abcs,

    ResponderExcluir
  4. Samuel,

    Também acho que falta uma referência e liderança. EUA? Obama está se mostrando um político frouxo. Europa? Dividida como sempre, mais divergentes impossível. China? Sistema autoritário e centralizado, muitos problemas inernos. E por aí vai...

    Será que os chineses realmente irão injetar dinheiro na Itália? E nos demais países da Europa? Tem que ver pra crer, em tese isso é até plausível já que meses atrás a China parou de demonstrar interesse pelos treasuries americanos.

    Abcs,

    ResponderExcluir
  5. É , pelo que estou vendo estão ja aceitando a ideia de largar a Grécia de mão, como foi defendida já por alguns no inicio da crise. Pelo visto o default só nao é certo como muito próximo, melhor separar uma grana para entrar após uma grande queda.

    ResponderExcluir
  6. Eduardo,

    O problema de largar a Grécia é que o default seria totalmente desorganizado e isso poderá arrastar outros países na Europa. Sem falar nas drásticas consequências para a Grécia, principalmente no câmbio.

    O que deveria ser feito, e não está sendo feito, é uma organização entre os líderes europeus para administrarem o default da Grécia. Neste ponto, não adianta mais empurrar o problema para frente, quanto mais prolongar, mais dívida o país vai contrair e maior será o calote.

    Ter reservas disponíveis é sempre importante para aproveitar as verdadeiras oportunidades do mercado.

    Abcs e bons investimentos

    ResponderExcluir
  7. Olá, na Matriz não estaria disparando uma bandeira baixista??? Quando o mercado começa ficar assim sem rumo é sinal para se ficar só olhando pois em breve vai se mecher, e creio que não é para cima!!!
    Ivan

    ResponderExcluir
  8. Ivan,

    Sim, para um prazo maior parece uma bandeira de baixa. Não gosto muito de figuras (a não ser triângulos pois utiliza-se LTs e suportes/resistências), por isso não demarquei no gráfico. Apenas para curtíssimo prazo prevaleceu este martelo para fazer pullback nesta LTA curta.

    Se bandeirar vamos ter fortes emoções para os próximos meses ainda.

    Abcs,

    ResponderExcluir