quarta-feira, 16 de novembro de 2011

Fitch chama correria em Wall Street

A agência de classificação de risco Fitch Ratings apertou o botão "start" para correria em Wall Street ao final da tarde desta quarta-feira. Em pouco mais de uma hora o índice Dow Jones despencou mais de 200 pontos, com a pancadaria rolando solta no setor financeiro. Um bom exemplo está no estrago feito nas ações do Bank of America que cederam -3,75% e JPMorgan Chase que caíram -3,76%. O desempenho do setor bancário em Wall Street há tempos não é bom, conforme podemos observar logo abaixo no gráfico do Dow Jones US Banks:


Reparem que a mesma zona de congestão rompida para cima no índice Dow Jones, não foi rompida no índice dos bancos, houve inclusive um topo ao estilo bull trap acima desta linha de resistência da congestão. Isso evidencia que há algo afugentando os investidores do setor financeiro.

A Fitch apenas jogou mais lenha na fogueira ao soltar um relatório no final da tarde dizendo que os bancos norte-americanos têm uma exposição direta administrável aos mercados europeus, mas que existe um sério risco de aumentar este contágio podendo deteriorar ainda mais a perspectiva de crédito no setor bancário dos Estados Unidos. Ou seja, se não resolverem logo (e de forma ordenada) a crise no sistema financeiro europeu, os bancos norte-americanos poderão entrar pelo mesmo buraco.

O índice Dow Jones fechou em baixa de 1,58% perdendo mais uma vez a média móvel simples de 200 períodos (totalmente sambada) e linha central de bollinger. Não é um candle muito bonito, para os comprados, após um doji em baixo de uma LTB curta. São poucos os suportes relevantes para tentar segurar esta queda até a importante linha dos 11.6k.


Outro destaque do dia foi o petróleo. O barril do tipo light atingiu e ultrapassou a marca dos 100 dólares confirmando análise feita no dia 07/11/2011. O mercado tinha encontrado uma bela janela para especular na compra após a forte queda no preço do petróleo que jogou o barril na casa dos 76,25 no início do mês de outubro. Em pouco mais de um mês o barril subiu mais de 33%, mostrando que a especulação foi realmente toda para o petróleo conforme demonstrada no gráfico abaixo. Este canal de alta impressiona, mas já está ficando pesado demais.


No Brasil o índice Bovespa fechou em leve alta puxado pelas ações de empresas exportadoras de petróleo. Apesar de tudo a famosa barreira dos 58.6k não foi rompida, o movimento de alta parou exatamente nesta zona de resistência. Mercado indefinido e travado, mantendo as análises dos dias anteriores.


Por aqui, o fato mais importante do dia foi a declaração do presidente do Banco Central, Alexandre Tombini. Segundo ele, "o cenário central do BC contempla ajustes moderados na taxa Selic, uma ação consistente com o retorno da inflação à meta em 2012". Isto é, na visão do Finanças Inteligentes, a taxa selic deverá fechar o ano de 2011 aos 11% a.a., mantendo o ajuste de corte moderado (0,50 p.p.) para a última reunião do Copom neste ano.

8 comentários:

  1. Pois é, pelo que li os bancos americanos confirmaram a exposição a títulos gregos, italianos e espanhóis, mas não disseram o quanto estão expostos. Lembram dos 'títulos podres' de 2008-09, mesma história. Pode ser o grande call de baixa se rolar um calote grego e algum desses bancos quebrar.

    Sobre o petróleo, a justificativa é a reversão de um grande duto que tornaria o WTI mais valorizado no mercado (desculpa boa para especular).

    Sobre nós, cada vez mais vejo nuvens sombrias no horizonte. Tomara que algum vento (medidas gregas, italianas, espanholas e francesas) as leve embora.

    Will

    ResponderExcluir
  2. Will,

    Os bancos americanos tem muitas operações na Europa, reduziram um pouco esse ano, principalmente no mercado interbancário (o que reduziu a liquidez gerando essa crise financeira). Por isso já salvaram o Dexia na Europa (e injetaram liquidez em alguns outros), pra evitar uma bancarrota do sistema.

    O petróleo pra mim está totalmente especulativo. Essas notícias apenas colaboram para manter a alta. Impressionante a força do movimento, puxada forte e rápida. Traders estão deitando e rolando no petróleo, mas se eu estivesse posicionado mandaria pro bolso hoje mesmo.

    Abcs,

    ResponderExcluir
  3. http://economia.estadao.com.br/noticias/ae-mercados,reversao-de-fluxo-de-oleoduto-faz-petroleo-subir,92498,0.htm

    ResponderExcluir
  4. Jornais sempre buscam uma desculpa. A alta é claramente especulativa. Assim como foi com o ouro, depois o dólar, e por aí vai.

    ResponderExcluir
  5. Anônimo,

    Sim. O jornais entendem de notícia e não de mercado. Tanto é que o negócio deles é vender notícia.

    Não é de hoje que o petróleo está subindo, é desde o início do mês passado. Virou paraíso da especulação. É assim mesmo... daqui a pouco estão mudando o foco e especulando em outros ativos.

    Abcs,

    ResponderExcluir
  6. Apareceram os ursos capa-preta. Em questão de minutos desceram o porrete na Bovespa...

    ResponderExcluir
  7. Perderam (DJI e Ibov) algumas linhas e médias, aí vai mais rápido, né... Os bancos que começaram. Ontem. Pra quem estava atento, saiu levemente chamuscado. Como eu. hehe...
    Carla

    ResponderExcluir
  8. Carla,

    É a força apareceu muito rápido (e antes do anúncio da S&P) pra estourar uma LTA de um triângulo no intraday. Quando eles querem socar, sai de baixo rsrs.. se não o chamuscado pode virar um hematoma

    Abcs,

    ResponderExcluir