sexta-feira, 24 de fevereiro de 2012

FED, we have a problem

A recuperação da economia americana vai esbarrar em seu primeiro obstáculo, a inflação ocasionada pela disparada do petróleo. O preço do barril de petróleo tipo Light está pegando carona na disparada do petróleo tipo Brent (negociado na Europa), devido às tensões no Oriente Médio envolvendo o Irã. As ameaças do Irã em interromper o comércio mundial de petróleo (obviamente é puro blefe, na verdade é uma tática de má fé adotada pelo país para elevar o preço de seu principal produto) e dos temores de um possível ataque de Israel ao Irã para eliminar seu programa nuclear (outro blefe porém perigoso, a intenção é fazer pressão sobre o Irã para que interrompa o seu programa nuclear) acabam sendo um prato cheio para os especuladores em commodities.

Por isso mesmo que devemos ficar alertas, pois não são apenas os fatores geopolíticos que estão influenciando a alta do petróleo. Caso contrário porque o barril do tipo Light (negociado nos Estados Unidos) está acompanhando a disparada do barril do tipo Brent (negociado na Europa)? Os fornecedores do Light não são os mesmos do Brent, mas os fatores geopolíticos regionais que influenciam o preço do Brent atingem em cheio o barril do Light? Como isso é possível? A resposta é uma só: o mercado.

Wall Street está nadando no petróleo e o preço da cotação do Light atingiu, nesta sexta-feira, um ponto preocupante no gráfico mensal visualizado logo abaixo desde o ano de 2003:



A arrancada da commoditie acabou rompendo a LTB que vêm do topo histórico marcado em 2008. O rompimento desta linha configura também o rompimento de um triângulo simétrico para cima. A reta horizontal azul indica pontos de compra onde os fundos hedge começam a montar posição comprada no petróleo tipo Light (entre 72,00 e 76,00 dólares o barril). O preço atual de 107,83 começa a ser entrada técnica da massa especuladora devido aos rompimentos citados acima e aumento nas tensões no Oriente Médio. A força do movimento pode estar apenas começando com a entrada da massa e o barril do tipo light tem tudo para buscar os 116 dólares, acima disso é pânico de alta.

As autoridades do FED (Federal Reserve - Banco Central norte-americano) estão em alerta, pois uma alta puxada pelo barril de petróleo desequilibra a retomada da economia, encarecendo a produção, minimizando investimentos e o principal: alimentando a inflação em uma economia de juro zero. O FED não pode perder o seu controle sobre as pressões inflacionárias (mantê-las baixas) por dois motivos: primeiro porque pode ser uma faísca perto de uma pólvora para gerar uma disparada nos preços em uma economia de baixo crescimento, segundo porque a autoridade monetária ainda considera medidas de incentivo à economia como carta na manga para manter a recuperação econômica americana (produzindo indiretamente ainda mais inflação).

Essas são apenas duas peças no jogo de xadrez, a terceira peça envolve a Casa Branca e o preço do galão de gasolina. Vejam logo abaixo o que está acontecendo com o preço da gasolina nos Estados Unidos:

Disparada forte nos últimos meses em um dos principais produtos de primeira necessidade dos Estados Unidos. Preço spot da gasolina girando em torno de 3,32 significa que nas bombas dos postos americanos este preço pode estar ultrapassando os 4 dólares/litro. Forte alta da gasolina em pleno ano eleitoral não agrada muito os eleitores e desta vez Obama não tem muito o que fazer pois, como observamos nos parágrafos acima, este feito é uma “obra prima” do Sr. Mercado e não apenas oriundos de fatores geopolíticos.

O fechamento semanal do índice Dow Jones foi bem positivo para a força compradora. Conseguindo se manter acima do último topo ascendente da tendência de alta mesmo com a fraqueza de curto prazo demonstrada pelos candles. O próximo obstáculo será a resistência dos 13.1k. No médio prazo, mantendo-se acima dos 13.1k, teremos apenas mais duas resistências fortes para superar o TH, são elas: 13.8k e 14.2k (topo histórico).


No Brasil, o índice Bovespa fechou a semana em leve baixa representado por um sipinnig top. Não surpreende pois é consequência de um forte candle de alta da semana anterior. A realização de lucros é normal e poderá ser intensificada até o suporte de curto prazo nos 64k que será perfeitamente saudável para manter a tendência de alta no médio prazo. Muito distante da linha central de bollinger, tende a se aproximar nas próximas semanas.


Posts da semana:


A todos vocês um ótimo final de semana!

3 comentários:

  1. Boa Noite FI!!!

    O que você espera para semana que vem???? Qual sua previsão???

    Abraços!!!


    Carlos Jardim

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bom dia Carlos Jardim,

      Se tivesse que apostar, acho que não passa dos 66.4k. Índice está tentando romper esta resistência há duas semanas e não consegue, toda vez que chega perto é venda. Acho que vai manter assim por mais alguns dias.

      Abcs,

      Excluir