sexta-feira, 17 de fevereiro de 2012

Subprime agora desperta interesse

Alguns bancos e corretoras começaram a abrir fundos de investimentos nos Estados Unidos dedicados à compra de títulos de alto risco lastreados em hipotecas americanas. Alguns administradores de fundos enxergaram uma oportunidade de fazer bons lucros com os títulos subprime, já que os preços destes títulos de alto risco alcançaram rentabilidade de 14% este ano. Este prêmio (os 14%) reflete uma alta previsão de inadimplência, por isso está tão alto se comparado as taxas de juros praticadas neste país.

Acontece que esta previsão tão negativa pode não acontecer, é nisso que os gestores de fundos estão apostando. A probabilidade de um colapso no setor imobiliário (mesmo porque o setor já está na lona há alguns anos) ou outra queda significativa está diminuindo a cada dia em que a economia dos Estados Unidos mostra sinais de melhoras consistentes.

Um exemplo recente aconteceu na unidade regional do Federal Reserve em Nova York. A instituição conseguiu vender títulos subprime comprados em 2008 durante o resgate da seguradora American International Group Inc. O valor de face da venda foi de 13 bilhões de dólares, adquiridos por dois bancos de Wall Street (Goldman Sachs e Credit Suisse) através de leilões de grande escala.

Até para nós brasileiros, acostumados com a melhor taxa de juros do mundo, apostar parte dos recursos em títulos subprime com um prêmio de 14% não seria um péssimo negócio, desde que o risco seja gerenciado. Estes títulos, vendidos pelo FED (Federal Reserve), são garantidos por pagamentos de grandes grupos de empréstimos imobiliários.

Agora vamos passar por um giro rápido nos fechamentos semanais das principais bolsas mundiais. Começando pela matriz Dow Jones podemos perceber que o índice iniciou rompimento do último topo ascendente (12.8k) da tendência de alta iniciada nos 10.4k. Mais um pivot de alta sendo armado alimentando a tendência no médio prazo.

 
Na Europa parece que a Grécia está mais perto de um acordo sobre um novo pacote de resgate. O socorro deverá permitir ao país iniciar uma troca de dívida com credores privados e evitar um calote desordenado. O índice DAX na Alemanha mantêm o movimento de alta com uma bonita pernada e alta no semanal. Segue forte e comprador.

Na China a bolsa de Xangai também está em um movimento de reação, não tão frenético quanto as demais bolsas (inclusive com seus pares brasileiros e indianos), mas pelo menos conseguiu romper sua LTB de médio prazo. No momento tenta romper a linha central de bollinger no semanal, passando por esta resistência tem espaço para buscar os 2.5k. 

No Brasil o índice Bovespa segue mantendo o seu rally de alta desde o rompimento dos 60k. Reparem na ausência de linhas entre os 60k e 70k, justamente por não demonstrar resistências fortes relevantes, por isso mesmo pode-se traçar um retângulo que mostra uma grande zona de congestão entre essas regiões. Tem caminho livre para testar os 70k nos próximos meses. A média móvel simples de 20 períodos (ou linha central de bollinger) está pronta para cruzar a média móvel simples de 200 períodos, é mais um sinal que mantêm o mercado comprador. A banda de bollinger superior continua abrindo gerando espaço para este rally de alta. Apesar do nível de sobrecompra, não há nenhum sinal de topo ou mercado vendedor. Talvez os ursos só voltem aparecer com mais força nos 70k.

Um ótimo carnaval a todos os foliões do Finanças Inteligentes! Aproveitem bastante o tempo livre, com ou sem samba no pé. Quarta-feira estaremos de volta. Grande abraço a todos!

2 comentários:

  1. FI,
    Estive fora nos últimos três dias, mas pelo jeito a IBOV continua subindo...
    A alta deste começo de ano me surpreende, não apostava em alta neste primeiro semestre. Mas a força compradora se mantém. Vamos observar.

    Abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Jônatas,

      É verdade, pouca gente esperava um movimento tão forte. Pelo contrário, institucionais e pessoas físicas saíram ainda mais da bolsa desde o início do ano. Os grandes compradores foram os estrangeiros. Deram call nas mesas de operações para comprar emergentes. Índia também teve um bom desempenho.

      Bom retorno acompanhado de ótimos negócios,

      Abcs,

      Excluir