segunda-feira, 12 de março de 2012

Afunda no vermelho

O despertador xing-ling acordou novamente os mercados de forma assustadora nesta manhã de segunda-feira. A balança comercial da China afundou no vermelho, o déficit comercial foi de 31,5 bilhões de dólares no mês de fevereiro deste ano. Este é mais um dado econômico ruim para o dragão asiático que acaba confirmando o que ressaltamos na análise de sexta-feira da semana passada.

O déficit na balança comercial chinesa veio acompanhado também de um fraco crescimento nas vendas de automóveis, produção industrial desaquecida, vendas magras no varejo e continuação da queda acentuada nas vendas de imóveis (resultado do combate à bolha imobiliária).

Este é o maior déficit mensal na balança comercial chinesa desde o ano de 2000. Obviamente naquela época a economia da China era bem menor, portanto em termos de expressividade da economia, este déficit comercial de 31,5 bilhões de dólares pode ser o maior já registrado pelo país. A grosso modo, isso tudo aconteceu porque o yuan se valorizou apenas 4,7% frente ao dólar no ano passado.

Diante do exposto podemos tirar três conclusões: o custo da produção na China está realmente encarecendo conforme a economia e sociedade se desenvolvem, perdendo um pouco de competitividade no mercado externo. Segundo: se uma simples valorização de 4,7% no câmbio pode fazer um estrago deste tamanho na balança comercial, mostra que os chineses não estão prontos para competir de igual para igual no mercado externo, à julgar pela qualidade de seus produtos. E por último, demonstra que a demanda mundial continua fraca.

Outro ponto interessante é que o governo chinês pouco tem feito para tentar impedir a desaceleração no crescimento. Isso porque, diferentemente do Brasil, a inflação está sendo levada à sério pelo governo chinês. As autoridades do Banco Popular (BC chinês) têm receios de que os juros mais baixos poderiam impulsionar novamente a inflação, assim como a venda de apartamentos de luxo e voltar a inflar a bolha imobiliária no país. O governo também quer evitar um êxodo de capital do sistema bancário, isso normalmente ocorre quando as aplicações financeiras são remuneradas por juros abaixo da inflação, ou em outras palavras: juro real negativo.

Os mercados tiveram uma boa reação quanto ao resultado desastroso na balança comercial chinesa. A queda inibida das bolsas não reflete a gravidade da situação macroeconômica. Provavelmente por estarmos em uma tendência de alta no médio prazo, o que deixa os ursos mais cautelosos para operar, apesar da resistência em 68k estar predominando como a linha mais forte no curto prazo. O índice Bovespa conseguiu se manter acima da linha central de bollinger que atua como suporte (fraco) para evitar uma queda mais expressiva. Se esta linha for perdida teremos suportes logo abaixo em 65k e 64k (mais importante, evita romper congestão para baixo e pivot de baixa no intraday).

  
Nos Estados Unidos o índice Dow Jones fechou em leve alta se mantendo dentro de uma zona de congestão que o deixa orbitando como se estivesse na lua. Poucas oscilações e perigoso para operar. Players ainda indecisos por lá, parecem estar testando o mercado. A socada forte da semana passada poderia ser um teste para observar a reação da massa, não gerou pânico necessário. Mas se insistirem e tentarem novamente, pode aparecer com mais força e acabará denunciando o verdadeiro desejo das firmas de Wall Street em fazer um strike de curto prazo.


16 comentários:

  1. Pessoal, resolvi não comentar sobre a nova extensão do prazo para cobrança de IOF sobre operações de empréstimo no exterior (passando para 5 anos) anunciado pelo governo hoje. Não vale a pena.

    Se o governo realmente deseja ajudar a indústria, tem que mostrar que tem arsenal e trocar o cartucho da metralhadora porque esse já está gasto demais. A única coisa que acaba gerando, na prática, é receita pro governo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Teremos realizacoes em breve, nao vejo noticias interessante . Agora a bola da vez e a China , a grecia perdeu a vez. Ass's: arriscatudo

      Excluir
    2. Se mercado se guiasse pela macroeconomia e indicadores econômicos teria feito novo fundo esse ano rsrs.. China está passando por ajustes forçados, devido aos excessos cometidos no passado. Para a economia não é bom, mas para o mercado vai depender de uma série de outros fatores. Vamos monitorando

      Abcs,

      Excluir
  2. eai FI!
    Faz uma simples analise ai de cruz3 e ambv4, os papiros nao axam resistencia nos preço, o ceu é o limite?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Saimon_Rijo,

      Bem simples, são dois papéis em tendência de alta no médio e longo prazo. Atrai muito analista técnico porque ambos não tem resistências pela frente, então os ativos ficam "livres" pra subir. Não significa que vai subir eternamente, apenas que a tendência de alta está sendo mantida em boas condições, não há ponto para os ursos montarem posição vendida por não haver resistências, então o papel fica "livre".

      Abcs,

      Excluir
    2. Hehehe.. hoje todo mundo resolveu sair voando

      Excluir
  3. "Indicadores da OCDE mostram abrandamento das economias do Brasil e China"
    Os Estados Unidos e o Japão continuam a conduzir a posição geral. Indicadores da Índia e da Rússia também estão mostrando sinais mais fortes de crescimento. No entanto, os indicadores da China e do Brasil continuam a apontar para abaixo da tendência de crescimento.
    Portal Infomoney
    Carla

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Carla,

      Portal Infomoney não passa no meu filtro rsrs... Mas a primeira vista parece que pegaram apenas os dados diários.

      Abcs,

      Excluir
    2. Mas é fato que Brasil e China estão "esfriando" e Estados Unidos estão "reaquecendo"... Também vi qualquercoisa que Brasil estaria aumentando a exportações para Estados Unidos, e assim diminuindo um tiquinho a importância da China.
      Não tenho o link, vi em algum jornal, mas é algo a observar.
      Carla

      Excluir
    3. Ah sim, isso é fato. Sobre os EUA eu também lí isso em algum lugar, só não me recordo se eram de produtos manufaturados (pouco provável) ou commodities (bem mais provável). Pode ser um escape para o Brasil, com a desaceleração na Ásia.

      Abcs,

      Excluir
  4. Olá, na matriz apesar do pouco volume está tentando romper mais uma resistência, observem que não tem notícia ruim que derrube os mercados, principalmente por aqui, onde isso vai parar???
    Ivan

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ivan,

      Tendência de alta é difícil dizer onde vai parar. Com notícia boa ou ruim a tendência está firme e forte.

      Impressionante movimento do Ibovespa, mercado não está pra urso há um bom tempo. Rasgaram mais uma linha importante.

      Abcs,

      Excluir
    2. O Dow hoje chegou num topo anterior. Talvez pare aí. Outro objetivo da alta pode ser uma LTA antiga que foi perdida ano passado. Talvez o Dow queira ir testá-la. Acredito que os americanos têm um objetivo pra alta... Vamos tentando descobrir qual é. E o Ibov, bem, não cai enquanto lá segue subindo.
      Carla

      Excluir
    3. Nasdaq que acabou arrastando o S&P500 pra acinoar pivot de alta no diário e semanal. Está na análise de hoje

      Abcs,

      Excluir
  5. Pessoal,

    Está disponível no menu pedidos de análises um gráfico interessante, feito por um de nossos leitores, onde mostra o spread entre VALE3 e VALE5.

    Vale a pena conferir.

    Abcs,

    ResponderExcluir