quinta-feira, 6 de dezembro de 2012

A vez do setor portuário


Se existe um lado positivo no crescimento vergonhoso do terceiro trimestre deste ano (apenas 0,60%), é a reação imediata do governo. Uma série de medidas pró-crescimento foram anunciadas somente nesta semana. Algumas duvidosas, como o pacote para construção civil (setor que já sofre com o aquecimento/esgotamento de mão de obra qualificada no mercado), outras benéficas, como a redução na TJLP (mais informações no post: “Mantegacorta juro do BNDES”).

Hoje foi a vez do setor portuário. O governo federal anunciou um pacote de investimentos no valor de R$ 54,2 bilhões para o setor.  Estes investimentos serão aplicados em arrendamentos e terminais de uso privativo (mais conhecido como TUP), sendo R$ 31 bilhões em 2014 e 2015 e R$ 23,2 bilhões em 2016 e 2017.

O pacote pode ser um novo marco regulatório visando permitir a regulação do serviço, eliminação de barreiras à entrada de novas empresas no setor e aceleração dos processos de arrendamento de áreas para prestação de serviços, bem como licenças ambientais.

As licitações de portos atenderão critérios de maior movimentação de carga combinada com menor tarifa. Segundo o Ministro da Secretaria de Portos, Leônidas Cristino, o pacote visa aumentar a competitividade da economia, eliminar barreiras à entrada no setor e estimular o investimento no setor privado.

À primeira vista esta medida parece ser benéfica. Um dos grandes gargalos estruturais brasileiros está na estrutura portuária. Resta saber como este pacote será executado na prática (onde o governo tem pecado bastante ultimamente) e se o Brasil conseguirá reconquistar os investidores.

Ainda no cenário doméstico a presidente Dilma demonstra-se cada vez mais "irritada" com algumas companhias energéticas (mais precisamente dos estados de Minas Gerais, São Paulo e Paraná, leia-se PSDB) e mostrou hoje que está disposta a tomar qualquer medida para garantir a redução média de 20% nas contas de luz a partir do ano que vem (alterando o que havíamos relatado no post “A promessa não será cumprida”, baseado nas declarações de Márcio Zimmermann).

A presidente disse que o Tesouro Nacional (ou seja, todos nós) irá bancar a redução do custo de energia elétrica no país para cobrir a diferença gerada pela não adesão das concessionárias dos Estados de São Paulo, Minas Gerais, Paraná e Santa Catarina. A oposição parece ter perdido a dura queda de braço com o governo, pois o discurso da  presidente focou exatamente num ponto que nosso amigo TR destacou muito bem nos comentários do post de terça-feira.

No mercado financeiro houve divulgação da ata do Copom ratificando aquilo que a havíamos ressaltado na semana passada. Porém deve-se considerar que o Banco Central errou na previsão de crescimento para o terceiro trimestre e, portanto, existe a possibilidade de novas reduções (pequenas) na taxa selic em 2013.

O índice Bovespa fechou o pregão próximo da estabilidade, mas mantendo a volatilidade alta dos últimos dias. Este é o segundo doji de indecisão consecutivo colado na LTB rompida que vem do topo em 63.4k. Pode ser uma tentativa de formação de fundo, mas o jogo continuará aberto para amanhã.

Gráfico da Bovespa - Bolsa de Valores de São Paulo

Excepcionalmente nesta quinta-feira não teremos atualização do índice Dow Jones devido ao horário da postagem.

21 comentários:

  1. Boa noite, FI.

    Sou estudante de graduação de economia, muito interessado pelo mercado financeiro, mas com pouco conhecimento, sobretudo de ações. Sempre busco acompanhar seu blog, o que, certamente, vem me auxiliando no entendimento do mercado. Você teria indicação de algum curso/leitura/... para iniciantes?

    E para aqueles que operam juros: hoje foi pesado, hein?! Janeiro 14, 15 e 16 rumo abaixo, despencando quase 20 bases. Nada como boatos no mercado. Rs

    Abs.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Anônimo,

      Legal, tente conciliar economia com mercado financeiro pois será de grande valia. Fico feliz por estar ajudando com o pouco do que sei. Não vejo necessidade de desembolsar recursos para fazer cursos, o que você precisar de ajuda ou orientação pode me solicitar por e-mail que lhe respondo. financasinteligentes@gmail.com

      Sobre leitura posso indicar alguns livros, mas depende do tipo/nível de conteúdo que você procura neste momento. Você já tem conhecimento do material básico (importância de economizar, como acumular capital, essas coisas...)

      Sobre o mercado de juros o que posso dizer é que as equipes de análise dos bancos estão refazendo os cálculos (a partir deste resultado decepcionante do PIB) para taxa de juros, inflação e PIB 2013. Sobre taxa selic já estão projetando novos cortes em 2013. Acho que no geral as previsões podem chegar aos 6,25% (taxa selic para o final de 2013). Expectativa de alta dos juros somente depois de 2014. O mercado está ajustando estas novas informações/projeções e deu uma correria nas taxas de juros. A tendência (expectativa) é que haja um pouco mais de valorização das LTNs, NTN-Fs e NTN-Bs

      Abcs, bons investimentos

      Excluir
    2. Aliás, temos aí uma possibilidade de especulação em renda fixa utilizando títulos do tesouro. Compra visando apenas valorização de curto prazo no preço das notas. Resta ao investidor traçar a projeção de lucro a partir desta especulação (embutindo risco) x custo de oportunidade perdida (CDI) ou quanto ele deixaria de fazer especulando em títulos utilizando a parte do capital especulativo destinado à operações curtas no mercado de renda variável.

      Excluir
    3. FI, com a perspectiva de queda da selic, e o governo buscando um longo intervalo com a selic baixa (alias seguindo o exemplo do FED), acho que também abre-se uma oportunidade para especulação com cotas de FII. É razoavel esperar que quando a Selic cai, aumente a procura por um FII que prometa por exemplo 8% aa + igpm. Dá até para modelar o preço da cota com as variáveis igpm e selic e verificar se um FII está no preço justo ou não e fazer sua posição.

      Excluir
    4. Galo da Comarca,

      Jogo perigoso. Na minha opinião, investir em FIIs é bem mais complicado do que investir em ações. Muita gente está deixando de considerar avaliação do preço m2 do imóvel, focando apenas nos dividendos pagos. Acho que o mais importante é avaliação do preço x valor patrimonial da cota. Quem normalmente aplica em renda fixa é porque não aguenta as oscilações da renda variável. Neste ponto os FIIs podem ser até mais voláteis que as próprias ações. Recentemente surgiu uma oportunidade de comprar alguns FIIs que caíram bastante com esta oferta do BB. Esta foi uma pequena demonstração de como o mercado de FIIs pode ser mais instável do que as ações, devido à liquidez extremamente baixa. Uma única oferta de um novo fundo provocou quase que uma avalanche nos preços dos demais FIIs. Em compensação a queda nas cotas representaram uma boa oportunidade de compra. Eu tentei aproveitar ao máximo e consegui comprar algumas coisas. Mas agora voltei novamente a ficar só observando, pois os preços dos FIIs voltaram a subir depois que saiu a notícia do rateio do BB. A maioria dos preços que o mercado paga hoje nos FIIs estão caros pra mim. Prefiro ficar à espreita aguardando por novas oportunidades de negócio.

      Acho complicado os FIIs manterem por muito tempo reajustes bem acima da inflação. Por isso a taxa básica de juros é tão importante na economia, não há como fugir dos efeitos do aumento/redução na taxa. Pode ter certeza que as renovações de contratos de alugueis daqui pra frente serão cada vez menores, acompanhando a queda na taxa de juro real. Algumas exceções ficam com alguns tipos de contratos ou regiões extremamente disputadas pelos locatários.

      Abcs, bons investimentos

      Excluir
    5. Por falar em mercado de juros, hoje o presidente do BC passou outro panorama rsrs... Parece que entendi o recado. Vou comentar no post de hoje.

      Excluir
  2. FI,

    Já estamos "empacotados" com tantos pacotes do mantega!
    Enquanto ficamos tapando o sol com a peneira, estaremos sempre na rabeira do mundo......
    A dilma tem que fazer um pacote simples.
    FORA MANTEGA!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anônimo,

      Esse pacote aí pode ser bom rsrs... Aliás o Economist já está sugerindo demissão do Mantega

      http://www.economist.com/news/leaders/21567942-if-she-wants-second-term-dilma-rousseff-should-get-new-economic-team-breakdown-trust

      Abcs, bons negócios

      Excluir
  3. Esse é o resultado da cultura de governar sem planejamento de longo prazo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Investidor Troll,

      Estamos colhendo o que plantamos. Ou melhor, na verdade não estamos colhendo nada, fizemos um tremendo papel de cigarra na década passada.

      Abcs, bons investimentos

      Excluir
    2. Ledo engano, caro troll. O plano de longo prazo é de perpetuação no poder. Vão estatizar tudo de volta, e estão fazendo tudo para derrubar todos os preços para isso. O plano está sendo um sucesso sim.

      Excluir
    3. Mas para esse projeto de poder dar certo o PT tem que ganhar as eleições de 2014. Para isso dar certo ele conta com a economia ou a copa do mundo. O Mano Menezes já foi trocado hehe.

      Excluir
    4. A julgar pela popularidade da Dilma, o PT leva 2014 fácil fácil. Salários crescentes, cortes na conta de luz, país do futebol em clima de copa, etc. Tudo isso agrada a massa. Mas ainda não sabemos qual será o jogo do Aécio. Pelo menos, como político, é bem melhor do que o Serra.

      Abcs, bons negócios

      Excluir
  4. Olá Fi, vç falou montando fundo, não seria topo?? Pra mim ainda está configurada uma bandeira de baixa, um canal curto de alta, diga-se matando quem se aventura nele, a confirmação será na perda desta lta curta..
    É muita serimônia para chegar nos 52K.
    O rapaz falou dos juros, assisto muito "arquivo x", muita ficção, rsrsrs
    Com um cálculo bem simples chego à conclusão que é bem possível dos formadores de mercado joguem a Petr4 próximo do forte suporte em R$ 12,xx corrigindo o DY após a capitalização e teste em seu longo canal de alta mensal dolarizado, ao meu ver se nada de fundamental aconteça este é o destino da Petro.
    Ivan

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ivan,

      Montando fundo mesmo, mas são análises diárias então preciso adotar visão de curto/curtíssimo prazo. No médio prazo é outra história rsrs..

      Sobre a Petro, com o Mantega sendo presidente do conselho sabe-se lá quando haverá reajuste nos preços dos combustíveis. Se estiver nos planos do governo (ops, Banco Central) realizar novo corte na taxa básica de juros no primeiro trimestre de 2013 (é o que parece), o ministro pode segurar este reajuste para não pressionar a inflação.

      Abcs, bons trades

      Excluir
  5. FI, segue trade de curto prazo que estou montando na Elpl4, papel acumulando em fundo na região dos R$ 13,20, hoje com bom volume. trade de compra com primeira compra agora com stop abaixo dos R$ 13,20, objetivo região dos R$ 14,60, rompendo esta região abre-se nova compra com objetivo em R$ 16,50, segue gráfico;
    Bom, parece que teremos uma trégua no setor;
    http://imageshack.us/photo/my-images/502/elpl4071212.jpg/

    Ivan

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ivan,

      Boa! Papel lateralizando no curto prazo, tentando trabalhar fundo em 13,20 pra engatar um repique. Repare também como as bandas de bollinger estão se estreitando rápido. Em breve poderá aparecer uma pancada forte pra algum lado. Mas se perder 13,20 pode buscar os 11,15 sem cerimônia. Gosto deste tipo de operação, o stop está barato. Pode dar rock aí rsrs.. Estou até pensando em tirar o meu bloqueio nas elétricas pra voltar a operá-las.

      Abcs, bons trades

      Excluir
  6. FI,

    Todos analistas erraram para baixo o IPCA de novembro. Ano que vem já está contratado salário mínimo e agora essa despesa do setor elétrico. Tem o dólar a 2,10 do governo também.

    Será que o Tombini está suando?

    Abraços,
    Sir Income

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sir Income,

      Acho que o Tombini só vai começar a suar quando o acumulado de 12 meses do IPCA estourar os 6,0% pra cima. Nesta toada, a meta de inflação (4,5%) só será alcançada em 2014. Incrível um país gerar inflação com um crescimento tão medíocre. Sinal de que há muita coisa errada na política econômica.

      Abcs, bons investimentos

      Excluir
  7. tô preocupado com que a Dilma vai fazer com a Petrobrás.....as pistas davam conta que ela fêz uma "troca": diminuia energia elétrica e aumentava derivados petroleo........ o quê não dava uma conta +- igual a zero na inflação....
    Ela tava propensa a aumentar a gasolina até final de dezembro, visto que o impacto desse aumento, incidiria na inflação de 2012, deixando o ano de 2013 para outros ajuste, onde entraria a redução da tarifa de energia elétrica,......
    Então, sairiamos de uma inflação alta em 2012(com o reajuste dos derivados), e em 2013, como um pase de mágica a nossa inflação cairia para o centro da meta(de certa forma influenciada pela redução da contaq energia elétrica.....kkkkkk.....essa é boa.........
    E viva o mercado!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anônimo,

      Sim talvez este era o plano. Mas acho que o próprio governo está enxergando a lambança que fez. Estimularam o consumo pra levantar o PIB, mas esse modelo está desgastado (endividamento alto) e gerou a conta da inflação (erro básico: produção não conseguiu acompanhar a demanda). E para completar o mercado de trabalho super aquecido está inibindo o investimento, encarecendo o custo de produção e consequentemente deixando as empresas menos competitivas. Com a inflação alta, a vida complica ainda mais pra indústria.

      Agora, se já estamos gerando inflação alta com baixo crescimento, imagina no ano que vem? Por isso o governo está segurando esse ajuste. Se a oferta não acompanhar o crescimento, não vai ter margem pra aumento de combustíveis. Então, precisam primeiramente estimular/reaquecer a oferta. A não ser que o governo mexa novamente na composição do IPCA, como fez este ano.

      Abcs, bons negócios

      Excluir