quarta-feira, 19 de dezembro de 2012

Medida de incentivo pra inglês ver


O ministro da Fazenda (Guido Mantega) conseguiu se superar novamente com as suas medidas paliativas de baixa eficiência. Mesmo após as duras críticas da revista “The Economist”, no qual recomendou sua demissão, Mantega não se tocou e continua seguindo a mesma linha de raciocínio que talvez, só ele entende.

O governo federal anunciou hoje um novo pacote de incentivo à economia. Desta vez haverá desoneração na folha de pagamentos do comércio varejista. As empresas incluídas no pacote não irão pagar os 20% de contribuição patronal do INSS a partir de abril de 2013. No lugar dessa contribuição, haverá a implementação de uma nova alíquota de 1% a 2% sobre o faturamento. Ou seja, se as empresas aumentarem o faturamento poderão pagar mais impostos mesmo com a desoneração da folha. Se reduzirem o faturamento, irão pagar menos impostos.

Mas porque incentivar o varejo, um dos segmentos da economia que registraram maior expansão nos últimos anos? Um dos segmentos que mais sofrem com o mercado de trabalho superaquecido e falta de mão de obra? Um dos segmentos mais beneficiados com a expansão do crédito a ascensão das classes sociais? Por que incentivar justamente o segmento que está mostrando sinais de esgotamento no crescimento? O que o governo está querendo afinal?

Em primeiro lugar o termo incentivo soa mais como uma jogada de marketing, pois, conforme explicamos no antepenúltimo parágrafo, dependendo do aumento no faturamento, as empresas pagarão mais impostos do que anteriormente. Por este motivo os supermercados e comércios atacadistas não quiseram participar deste novo pacote.

Em segundo lugar o ministro está querendo mesmo é reduzir os preços inflados no mercado varejista brasileiro e assim, aliviar a inflação, já que haverá aumento no preço da gasolina ano que vem. Observem:

"Isso aqui tem que beneficiar o consumidor, porque é uma redução de custos importante para o comércio varejista. Espero que o comércio passe isso para o consumidor", disse Mantega. "Queremos que o setor de comércio varejista cresça mais, venda mais, faça mais investimentos e também contrate mais gente."

Acontece que o ministro da Fazenda está querendo aliviar os preços incentivando ainda mais o cidadão ao consumo. Entendeu? Não? Nem eu. Mas é isso. Mantega quer ver uma redução nos preços através de uma desoneração que não funciona para os grandes varejistas.

Portanto, além de estimular (os pequenos, que não conseguem brigar com os preços dos grandes) ainda mais um setor extremamente aquecido na economia, agregando demanda, a inflação poderá acabar subindo (ao invés de cair) pela simples lei da oferta & procura. Enquanto isso, os fabricantes chineses, que invadiram o mercado varejista brasileiro, agradecem enormemente.

Além disso, foi prorrogado mais uma vez o IPI (Imposto sobre Produtos Industrializados) para veículos, móveis e eletrodomésticos. A redução do IPI estava prevista para acabar no final deste ano e deverá subir gradualmente ao longo de 2013.

No mercado de capitais o índice Bovespa fechou novamente em alta mostrando a força da pernada iniciada na região dos 55.1k. O movimento está praticamente em linha reta, com ausência de regiões de fundos ascendentes bem trabalhadas. Por este motivo o nível de sobrecompra fica perigoso a cada dia que passa para as operações compradas de curtíssimo prazo.

Gráfico da bolsa no Brasil - Ibovespa

Wall Street corrigiu forte no final do pregão após o presidente da Câmara, John Boehner, ter dito que a Câmara aprovará uma proposta de orçamento que o Obama já ameaçou vetar. O descolamento de horário beneficiou o fechamento do Ibovespa, que não foi prejudicado pelo movimento de correção em Wall Street.


Por este motivo o índice Bovespa poderá abrir o pregão amanhã com força vendedora relevante na região dos 61k. O índice Dow Jones fechou o pregão na mínima do dia refugando o rompimento da resistência em 13.3k. Em caso de perda da LTA, o índice caminhará para testar a linha central de bollinger no gráfico diário.

Gráfico da bolsa nos Estados Unidos - Dow Jones

14 comentários:

  1. Certas coisas é melhor não entender.(sic).....

    Eduardo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eduardo,

      Verdade. Com relação à política econômica então nem se fala rsrs...

      Abcs, bons investimentos

      Excluir
  2. Uma verdade inconveniente: Empreender no Brasil é muito difícil!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sir Income,

      Sim. Além de um bom plano de negócio, o empreendedor precisa ter muita paciência pra lidar com toda burocracia, dificuldades estruturais do ambiente de negócios, aumento de custo com a rotatividade alta da mão de obra, etc.

      Abcs, bons negócios

      Excluir
  3. O governo quer baixar os preços, aumentar a demanda, mas também precisa aumentar o preço da gasolina e manter a inflação sobre controle, tudo isso sem prejudicar a arrecadação, e, ainda, estimular a contratação pelas empresas, mas sem investir adequadamente em educação e especialização da mão-de-obra...

    Eu me perdi... me desculpe! O governo está fazendo operação-polvo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isso tudo além de manter a taxa de emprego alta e juros baixos, crescimento de 4,5%aa, manter todo o primeiro escalão do PT empregado em cargos de confiança e vencer as próximas 50 eleições.

      E quer conseguir tudo isso incentivando o consumo.

      Excluir
    2. Investidor Troll,

      É conta que não fecha. Impossível tentar entender.

      Abcs, bons investimentos

      Excluir
    3. Anônimo,

      Já sabemos onde isso vai parar. Acho que o PT não dura mais 8 anos no poder. Dilma pode até conseguir se reeleger em 2014, se conseguirem atrasar a chegada da primeira parcela da conta.

      Abcs, bons negócios

      Excluir
  4. FI
    Investimentos em varejos atraves de ETFs ou fundos parecem estar vivendo uma bolha... hora de sair deles nao eh mesmo?
    Nem quero ver o que vai acontecer no ano que vem...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anônimo,

      Varejo foi a grande sensação do passado (últimos anos) e certamente não será do futuro. A maioria dos ativos que fazem composição da carteira teórica estão super valorizados. Quem tem posições em varejo recomenda-se no mínimo proteger o lucro exorbitante dos últimos anos e não pensar duas vezes em de pular fora antes do fim da festa. Um lucro destes não pode ficar no virtual, é melhor realizar e procurar outro segmento/ativos/mercado pra investir.

      Abcs, bons investimentos

      Excluir
  5. Investir pesado em educação para qualificar a mão-de-obra, investir em tecnologia para agregar valor aos produtos finais e baratear os preços, isso ele não faz, né?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. dimarcinho,

      Não faz porque o governo não tem planejamento e visão de longo prazo. Prefere ficar tapando buracos de uma peneira a troco de manter a popularidade (temporariamente) alta.

      Abcs, bons negócios

      Excluir
  6. Apagões
    Brasil caminha para o racionamento de energia

    Petrobras recorre às federações das indústrias de São Paulo e do Rio para elaborar plano de controle do consumo de gás e energia elétrica

    veja.abril.com.br/noticia/economia/brasil-caminha-para-o-racionamento-de-energia

    Se o país precisa de investimento para crescer, quem vai investir em país que precisa de racionamento de energia? Pior quando o país desincentiva o investimento em energia por causa de politicagem. Situação bastante delicada que estamos vivendo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sir Income,

      Lamentável, mais um reflexo da falta de planejamento do governo. O mundo inteiro investindo em energia renovável e nós aqui, com potencial de sobra, não fazendo praticamente nada. Agora tem que torcer pra São Pedro dar uma ajuda pro país não ter problemas no fornecimento de energia.

      Abcs,

      Excluir