terça-feira, 3 de julho de 2012

De olho na temporada de balanços


A desaceleração da economia mundial, bem como a piora recente nos indicadores de atividade industrial em diversas economias do planeta, poderá deixar o mercado ansioso para esta nova temporada de balanços trimestrais que começarão a ser divulgados durante este mês.

Os investidores deverão analisar os números com atenção redobrada para avaliar qual a gravidade do impacto nos resultados das empresas provocado pelo desaquecimento da economia mundial. Em Wall Street as previsões de lucro operacional estão em média 0,8% a menos do que as projeções feitas no trimestre anterior.

Alguns especialistas em macroeconomia e fundamentalismo estão com estimativas ainda mais pessimistas do que a média dos investidores em Wall Street. Scott Davis, da Barclays Capital, disse que os riscos estão crescendo com o aprofundamento da recessão na Europa e desaquecimento da indústria na China. As empresas ainda poderão reavaliar o cenário futuro e suas estimativas de receita (reduzir) conforme desempenho apresentado neste segundo trimestre.

O mercado também está de olho no petróleo, já que desde o último domingo a Europa está embargando a commodity iraniana. Esta medida acabou provocando uma reação do Irã, os deputados do país querem propor uma lei para fechar o Estreito de Ormuz aos petroleiros que transportem a commodity a países que aprovaram sanções contra o Irã.

O Estreito de Ormuz é o ponto estratégico mais importante no mundo para rota do petróleo. Quase 40% dos navios que transportam a commodity passam por esta região. Provavelmente o Irã está apenas blefando (mais uma vez) para tentar levantar o preço do barril de petróleo, pois não tem autoridade para bloquear o Estreito de Ormuz além de não possuir forças navais suficientes para tal ação.


Conforme podemos observar no gráfico acima, o Irã conseguiu o que queria. Em apenas 3 dias o preço do barril disparou quase 10 dólares, saindo de 78,00 dólares para 87,50 dólares. Este movimento acabou atraindo os especuladores de commoditys para comprar petróleo, devido à confirmação de fundo, ajudando ainda mais inflar o preço do barril.

Em Wall Street o dia foi de pregão reduzido devido ao feriado do Dia da Independência que ocorre amanhã. Mesmo assim o índice Dow Jones conseguiu passar pela zona de resistência em 12.9k, acionando pivot de alta. Próxima parada será a resistência psicológica em 13k.


No Brasil o índice Bovespa segue com força total em sua pernada de alta formada a partir do fundo duplo em 52.5k. Hoje o índice rompeu de uma só vez a linha central de bollinger e LTB que vem do topo em 69k. São mais de 3.000 pontos de alta em apenas 3 dias e por isso mesmo os gráficos intradays estão muito esticados. Isso pode significar que poderemos ter algum respiro/correção antes de testar a próxima resistência em 57.6k.



Observação: Pessoal o Finanças Inteligentes fará uma pausa e as análises serão retomadas no dia 01/08/2012. Vou torcer para que todos vocês façam bons negócios durante o período em que estarei ausente. Fico muito feliz ao observar a evolução de muitos participantes nos comentários do blog, vocês estão de parabéns e no caminho certo! Eventualmente poderei passar aqui uma vez ou outra para responder os comentários ou palpitar em alguma coisa.

Sucesso a todos e até mais!

segunda-feira, 2 de julho de 2012

Rodada de PMIs confirma receio dos bancos centrais


Segunda-feira recheada de indicadores importantes fornecidos pelo Instituto Markit, em conjunto com o banco HSBC, confirmam o receio dos bancos centrais quanto ao crescimento da economia mundial. Pode-se observar uma piora nas condições de negócios tanto nos países emergentes quanto nos países desenvolvidos.

Começando pela Ásia, o Índice Gerente de Compras (PMI na sigla em inglês) do setor manufatureiro da China caiu de 48,4 pontos em maio para 48,2 pontos no mês de junho, aumentando ainda mais o processo de contração na atividade industrial. Por outro lado a atividade industrial na Índia segue em expansão, com este mesmo indicador batendo 55 pontos este mês, contra 54,8 pontos no mês passado.

Na Europa o Índice Gerente de Compras do setor manufatureiro na zona do euro continua registrando contração na atividade industrial. No mês de junho o indicador atingiu 45,1 pontos, ante 44,8 pontos registrados no mês de maio, mostrando que o ritmo de contração diminuiu um pouco. Lembrando que uma pontuação acima de 50 demonstra expansão da atividade industrial e abaixo de 50 pontos indica contração.

A atividade industrial nos Estados Unidos segue em expansão, porém o ritmo caiu de 54 pontos em maio para 52,5 pontos no mês de junho (de acordo com os dados do Instituto Markit). A situação no Brasil é ainda pior, atividade industrial continua em contração e o ritmo está aumentando bastante conforme podemos observar no gráfico abaixo:


O indicador caiu de 49,3 pontos em maio para 48,5 pontos no mês de junho, registrando a maior queda em 8 meses. Ou seja, a deterioração da atividade industrial no Brasil está mais forte mesmo com as inúmeras “medidas de estímulo”, intervenções no câmbio e cortes na taxa básica de juros que vem acontecendo rotineiramente desde o ano passado.

Todos nós sabemos que as condições de negócio dentro do país não são boas, porém a economia brasileira tem sido afetada também pelo desaquecimento da economia mundial juntamente com a queda nos preços das commodities. O JP Morgan Global Manufacturing PMI (índice do Instituto Markit em parceria com JP Morgan para medir a atividade industrial global) caiu para o nível mais baixo em 3 anos. Em maio o índice indicava expansão aos 50,6 pontos, porém no mês de junho a pontuação despencou para 48,9 registrando forte contração.

As bolsas na Europa fecharam mais um dia em alta mantendo a seqüência do movimento iniciado na semana passada. Nem mesmo a taxa de desemprego da zona do euro divulgada hoje pela Eurostat (11,1%, recorde histórico) desanimou os operadores de mercado que se mantiveram firmes na ponta compradora. Há uma expectativa de que o BCE (Banco Central Europeu) irá cortar a taxa básica de juros em 0,25 p.p. nesta quinta-feira.

Nos Estados Unidos o índice Dow Jones fechou o dia de lado, deixando um doji de indecisão bem na região de rompimento do pivot de alta. Caso não consiga acionar este pivot, poderá soltar uma configuração de topo duplo e testar novamente sua LTA de curto prazo.

  
No Brasil o índice Bovespa abriu o dia em queda, mas conseguiu se segurar na região de suporte intermediária em 54k. O teste desta linha de suporte foi bem sucedido proporcionando abertura de novas posições na ponta compradora (destaque para o volume baixo), que acabou levantando o índice na parte da tarde. O fechamento ficou exatamente abaixo da linha central de bollinger, que deverá fazer o seu papel de resistência amanhã. Esta é a última barreira antes do provável teste na LTB.


Conheça o meu eBook Muito prazer, Sr. Mercado

Entenda a dinâmica do mercado de capitais e descubra como é simples e fácil investir com sucesso na bolsa. Saiba mais sobre o livro clicando aqui.