sábado, 19 de janeiro de 2013

Câmara vai votar aumento da dívida


O líder republicano na Câmara, Eric Cantor, disse hoje que os parlamentares da Câmara irão votar na próxima semana o aumento temporário do teto da dívida norte-americana por mais três meses. A intenção é ganhar tempo para que o Senado e a Câmara cheguem num acordo para aprovar o orçamento.

"Se então o Senado ou a Câmara não aprovarem um orçamento, os membros do Congresso não serão pagos pelo povo norte-americano por não fazer seu trabalho. Não há orçamento, não há pagamento". Disse Cantor.

Este pode ser o primeiro passo para que Democratas e Republicanos consigam resolver o problema da elevação da dívida norte-americana ao mesmo tempo em que os cortes no orçamento sejam realizados, de forma gradual, minimizando os impactos na economia do país. Três meses é tempo mais do que suficiente para tal ação.

Wall Street se animou com a notícia e conseguiu subir um pouco nesta sexta-feira embalada pelos números do Morgan Stanley, divulgação de um lucro maior do que o esperado no trimestre, seguindo a mesma linha de bons resultados apresentados pelos concorrentes Goldman Sachs e JPMorgan Chase.

A alta só não foi maior porque o índice Dow Jones foi barrado pela forte zona de resistência na região dos 13.6k. Logo acima dos 13.6k temos outra linha de resistência importante, a última antes do topo histórico, na região dos 13.7k. É de se esperar que o índice apresente dificuldades de rompimento, pelo menos no curtíssimo prazo. No final do ano passado foram seis semanas seguidas de tentativas de rompimento sem sucesso sobre a região dos 13.6k.

Gráfico do índice Dow Jones

Na Europa o índice DAX (Alemanha) fechou a semana em leve baixa após o rompimento de uma zona de resistência importante (7.6k, era a última barreira antes do topo histórico). Segue em tendência de alta no curto e médio prazo, sem nenhum sinal de reversão.

Gráfico do principal índice do mercado de capitais alemão

Na Inglaterra, o principal índice da bolsa de Londres realizou um movimento importante nesta semana. Conseguiu superar o topo registrado em 2011, região de enrosco e forte zona de resistência. Com isso o índice abriu caminho para manter a tendência de alta de curto e médio prazo e, apesar da distância, poderá se aproximar do topo histórico este ano.

Gráfico do índice FTSE


Mercados emergentes, um show à parte. Mas temos um patinho feio.

Partindo para os mercados emergentes podemos observar nos gráficos a seguir que os desempenhos das bolsas estão surpreendendo positivamente no curto prazo. Estão mais fortes do que os índices de economias desenvolvidas.

Na China a bolsa de Xangai não para de subir. O movimento de alta é tão forte que torna-se impossível traçar uma linha de tendência no curto prazo devido à inclinação (pouca angulação, quase na vertical) da reta. Mercado em pânico de alta. Os motivos podem estar relacionados no post do dia 28 de setembro de 2012: “Goldman Sachs, a salvaçãodos chineses e decepção dos brasileiros”.

Gráfico da bolsa de valores da China

Dados divulgados nesta sexta-feira mostraram que a economia chinesa cresceu 7,8% em 2012. Apesar de ser a menor expansão em uma década, o resultado é positivo e ficou acima da meta fixada pelo governo (7,5%).

Os chineses estão conseguindo administrar o pouso forçado na economia. O governo aumentou os investimentos, principalmente em infraestrutura, ao mesmo tempo em que não permitiu o descontrole inflacionário. A produção industrial respondeu aos incentivos do governo e aumentou acima do esperado, colaborando para criar mais empregos, gerar renda e consequentemente aumentar as vendas no varejo de forma sustentada.
   
Na Índia a bolsa de Bombay também está dando um show à parte. Conseguiu superar a última resistência (e forte barreira psicológica dos 20k) antes do topo histórico. Segue na tendência de alta de curto e médio prazo e tem todas as condições de se aproximar do topo histórico este ano.

Gráfico da bolsa de valores da Índia

Já os mexicanos... Bom, estes têm motivos de sobra pra comemorar. A economia do país está dando uma aula crescimento sustentado, que nós brasileiros ainda não aprendemos. O mercado de capitais é responsável pela falta de tequila nos supermercados das grandes cidades. O principal índice da bolsa mexicana superou o seu topo histórico. Acabaram-se as resistências e o mercado segue numa forte tendência de alta (curto, médio e agora longo prazo), simplesmente invejável.  Parabéns aos mexicanos, elegeram os líderes corretos e agora estão colhendo os bons frutos dos tempos de bonança.

Gráfico do principal índice da bolsa mexicana

E o Brasil? Onde foi parar o Ibovespa?
- Oi! Estou aqui!
- Aqui aonde? Não estou vendo nada!
- Aqui embaixo!
- Ah! Nossa... Espera aí que eu vou pegar uma corda pra descer.

Estamos lá em baixo, lutando com a média móvel simples de 200 períodos semanal, longe do topo histórico. Estamos também colhendo os frutos do que plantamos, o problema é que a nossa safra é de baixa qualidade e espantamos alguns potenciais compradores.

Taxamos o capital estrangeiro (o que não é investimento estrangeiro direto) que não é bem vindo, mudamos as regras do jogo constantemente, pulamos carnaval jogando confetes de IOFs para todos os lados, criamos impostos para os inimigos e tiramos impostos dos amigos, aumentamos o poder de influência do  Estado sobre a economia, controlamos o câmbio conforme a nossa vontade, fazemos malabarismos contábeis para atingir o superávit primário, sacrificamos a lucratividade de algumas empresas para não permitir que a inflação ultrapasse os 6,5% e ainda assim não conseguimos crescer mesmo com a máquina pública girando a todo vapor.

Esse é o nosso país, que aos trancos e barrancos tenta se manter em pé e fazer jus ao grupo dos BRICS. Essa é a nossa bolsa, que aos trancos e barrancos tenta se manter em pé enquanto o mundo está escalando o topo da colina. O desempenho do índice Bovespa é decepcionante quando comparado aos seus pares internacionais.

A média móvel simples de 200 períodos semanal foi rompida e estamos lutando para não perdê-la. Caso o índice consiga se manter acima desta importante média, as condições irão melhorar bastante para rompimento da resistência em 63.4k e assim tentar descontar uma parte do atraso com relação aos demais índices mundiais.

Gráfico do principal índice do mercado brasileiro

Um ótimo final de semana a todos vocês e até segunda!

10 comentários:

  1. Caro finanças inteligentes,

    Bom 2013

    Realmente não temos nada a comemorar depois da queda de 2.008, parece que o acionista foi eleito o inimigo público número um ou só interessa para fazer subscrição de petrobrás.

    Desconheço um período tão longo na ibovespa em que as principais ações tenham sido tão desvalorizadas, por diversas razões.

    Essas expectativas diárias de aumento o combustível, não aumenta o combustível, negocia impostos com a vale, não negocia impostos com a vale, reduz o teor de etanol, aumenta o teor de etanol,confere um grau de extremos descrédito às empresas listadas no mercado, parece brincadeira infantil.

    As contínuas decisões que vigoram imediatamente impedem a análise fundamentalista ou gráfica, pois repentinamente você se depara com um cenário imprevisto.

    Parece que estamos num jogo de resistência, que dá a impressão que está acabando com a contínua diminuição do investidor pessoa física. E que tal diminuição aparentemente não traz nenhuma sinalização de qualquer medida de apoio pelo governo ou pela própria bolsa, que parecem alheios ao contexto atual. Particularmente adotarei uma estratégia de aguardar uma maior definição, pois o cenário atual continua muito nebuloso, em função das frequentes reduções da expectativa do pib e do setor elétrico.

    Anonimo investidor

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Anônimo Investidor,

      Bom 2013 pra você também. Verdade, estamos no mesmo nível de pontuação atingida em 2007. Isso é ruim porque somos um mercado emergente, em tese deveríamos apresentar um bom desempenho. Precisamos oferecer boas condições (pois o risco é maior) para os investidores entrarem aqui e fazemos justamente o contrário. Investidor pessoa física está em extinção na Bovespa. A BM&F faz a contagem de CPFs (que nada indicam pois incluem contas abertas paralisadas/sem movimentação nas corretoras), mas o fluxo financeiro do investidor PF está muito abaixo da média de 2008. Chutaria dizer que o fluxo financeiro de PFs hoje equivale a 1/5 do que era em 2008. Mercado brasileiro tem todas as condições para evoluir mas está andando pra trás.

      Abcs, bom sábado!

      Excluir
  2. FI, pelo o meu feeling de bolsa, o Brasil não fazer a lição de casa pode até estar atrasando a disparada, mas se o mundo continuar subindo não vai ser isso que vai segurar nosso crescimento.

    Basta um investidor de peso entrar comprando tudo que ele ver pela frente que o IBOV sobe 3% num dia só.

    Definitivamente é coisa de doido... kkkkkkkkk

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Opa, tudo bom Eike?

      Verdade, hoje somos totalmente dependentes da boa vontade dos estrangeiros. Quem tem posição comprada na bolsa hoje precisa agradecer muito aos estrangeiros, pois são eles que estão garantindo a liquidez aqui. O fluxo financeiro dos estrangeiros está mais ou menos no mesmo nível de 2008. O problema é que eles não entraram com mais capital aqui. Escolheram outras praças e com razão. Dos males o melhor, pois se os estrangeiros tivessem batido em retirada da bolsa (tal como ocorreu com o investidor PF), o Ibovespa estaria hoje bem abaixo dos 30k.

      Abcs, bom sábado!

      Excluir
  3. FI, essas medidas intervencionistas do governo possuem, segundo sua análise, só objetivos eleitoreiros ou revelam total inépcia?

    Houve uma melhora nos indicadores de distribuição de renda, IDH, etc., que parece ser alguma das preocupações alegadas pelo governo?

    Uma postagem sobre a comparação desses indicadores entre os BRICs, e entre o Brasil e demais países latino-americanos seria interessante para estremar de dúvida o fato da canhestra administração Lula-Dilma.

    Fica a súplica!

    O Idiota.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Opa! Tudo bom?

      Algumas são, com certeza, eleitoreiras, mas não todas. O problema é a falta de planejamento, ingerência, ou como você mesmo disse: total inépcia. O governo peca muito na hora de colocar uma ideia em prática, escolhe o alvo errado, e por aí vai. Certamente houve uma pequena melhora na distribuição de renda, com ajuda dos programas sociais do governo. O problema é que o governo está literalmente comprando o voto da classe menos favorecida e está deixando de fazer o seu papel que é melhorar as condições da educação, saúde, mercado de trabalho (melhorando o ambiente de negócios e ofertando mais empregos à população), transporte e segurança. Só assim podemos ter uma melhora consistente na distribuição de renda, IDH, etc. O governo considera classe C famílias que ganham entre 4 a 10 salários mínimos. Foi a classe que mais cresceu nos últimos anos graças aos programas de incentivo ao consumo (muitos postos de trabalhos foram criados no setor de varejo), programas de incentivo à construção civil (um bom setor para criar empregos) e contratações de servidores públicos. O rápido aumento da classe C colaborou também para criação de postos de trabalho no setor de serviços. Infelizmente não foi o setor produtivo que proporcionou esta melhora na pirâmide social brasileira. Além de não ser bom, não é sustentável, pois não estamos gerando riqueza para reduzir a desigualdade social, mas sim financiando (via impostos, programas sociais, flexibilização do crédito e inflação) a ascensão das classes sociais. Por isso insisto tanto nesta questão do país resolver logo os seus problemas estruturais para melhorar as condições de negócio e assim atrair o crescimento sustentado, aquele que vêm da base, aquele que agrega valor ao produto, gera riqueza e desencadeia uma série de empregos que se alastram para os demais setores. É basicamente isso que a maioria das economias emergentes estão fazendo.

      Abcs, boa semana!

      Excluir
  4. Tempos ruins virão ainda pela frente!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anônimo,

      A situação não está agradável, principalmente quando o assunto é política econômica. Mas, faça chuva ou faça sol, o importante estar preparado e saber aproveitar as oportunidades.

      Abcs, boa semana

      Excluir
  5. Isso sem falar nos golpes MILK11 e MNDL4 que a CVM fechou os olhos, nos insiders como no caso da BTG com a ações da OGXP3 e inescrupulosidade da mídia vendida publicando boatos sem credibilidade e notícias falsas a toda hora sem nenhuma ética.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É meu caro. Não tenho como discordar de você. Com certeza estes são fatores que colaboraram bastante para fuga e massa do investidor PF desde 2008.

      Abcs, boa semana

      Excluir