sexta-feira, 15 de fevereiro de 2013

Aumenta a expectativa de alta na Selic


As últimas declarações do presidente do Banco Central, Alexandre Tombini, mostraram o aumento das preocupações da autoridade monetária com relação às pressões inflacionárias. Até então este discurso se distorcia das declarações do ministro da Fazenda, Guido Mantega. Mas hoje, sabe-se lá por efeito do frio na Rússia, da vodka, do encontro à realidade, da conversa longa com Tombini durante a viagem, ou por qualquer outro motivo, o ministro da Fazenda mudou totalmente o seu discurso com relação à inflação.

Após a perda na batalha do câmbio, Guido Mantega afirmou nesta sexta-feira, em Moscou, que o governo está vigilante com a alta dos preços. “A inflação acima do centro da meta acende o sinal de alerta”, disse o ministro. Pode-se entender que desta vez o governo está reconhecendo o perigo da inflação, após longos três anos de fechamento anual do IPCA acima do centro da meta.
Mantega ainda resolveu atacar de presidente do Banco Central ao dizer que “o BC tem que ficar vigilante. Se não houver uma queda da inflação espontaneamente, o BC tomará suas providências.” Estas frases mexeram com o mercado financeiro brasileiro motivando os departamentos de análises dos bancos, fundos e corretoras realizarem novas projeções para retomada do ciclo de alta na taxa básica de juros.
As expectativas para elevação da taxa Selic, antes do término deste ano, aumentaram sensivelmente nesta sexta-feira. Os contratos de juros futuros de curto prazo subiram na BM&F e as ações dos grandes bancos  de varejo (os mais beneficiados com a alta dos juros) dispararam na Bovespa. Alguns analistas acreditam que haverá elevação da taxa básica de juros já neste primeiro semestre de 2013.
Mantega ainda completou dizendo que “o câmbio no Brasil não é instrumento para controlar a inflação. O instrumento é o juro”. Esta declaração coincidiu com a primeira intervenção do Banco Central para conter a queda do dólar ao atingir o patamar de R$ 1,95 e amplificou as expectativas de alta na taxa Selic.
Ao entrar no mercado (Banco Central) fazendo operações de swap cambial reverso (em outras palavras, compra futura de dólares), o câmbio interrompeu a queda, voltou a subir e fechou em alta de 0,35% aos R$ 1,965.
Esta sexta-feira também marcou o início do movimento de dança das cadeiras dos investidores institucionais com posições em títulos, ou custódia de fundos, indexados à inflação. Os preços dos títulos públicos pré-fixados ou indexados ao IPCA (que estavam extremamente elevados em decorrência do ciclo de afrouxamento monetário) começaram a ceder este ano somente pela expectativa de queda na taxa básica de juros, tornando-os menos interessantes provocando queda no preço e consequentemente aumento do bônus (quando o preço do título cai, os juros - ou bônus - sobem e vice-versa).
Este movimento está provocando desvalorização das carteiras dos fundos de renda fixa atrelados à inflação. Esta desvalorização tende a aumentar quando a taxa de juros for, efetivamente, elevada pelo Copom (Comitê de Política Monetária do Banco Central). Por este motivo alguns gestores já começaram a se mexer a fim de minimizar os impactos provocados por este movimento. No fim da tarde de ontem, um grande player de mercado liquidou uma numerosa posição em NTN-B.
A forte alta do setor financeiro não foi suficiente para levantar o índice Bovespa nesta sexta-feira. O índice foi pressionado pelas principais blue chips, além das ações X (como de costume). Esta foi a quarta semana consecutiva de queda no índice Bovespa, ainda sofrendo os efeitos de perda da importante média móvel simples de 200 períodos semanal, escassez de investidores nacionais no pregão e baixa credibilidade da política econômica do governo federal.
Gráfico da bolsa do Brasil

Esta queda jogou o índice para testar a LTA de 2008 novamente, mostrando sinais de fraqueza desta linha de tendência devido à sequência numerosa de testes consecutivos no curto prazo (mostrando certa relutância em manter um movimento sustentado de alta). A perda desta LTA poderá jogar o índice novamente para a região de suporte em 55.1k, onde as chances de perda também aumentarão.
Nos Estados Unidos o índice Dow Jones fechou a semana de lado, mostrando um candle de indecisão próximo à máxima histórica e barreira psicológica dos 14k. Continua sobrecomprado e mantendo risco de queda no curto prazo.
Gráfico do índice Dow Jones

No principal mercado europeu o índice DAX (Alemanha) fechou a semana em leve baixa tentando se manter acima da linha de suporte em 7.6k. Ensaiou uma recuperação de curtíssimo prazo, que foi rechaçada imediatamente pela força vendedora (observar o pavio longo superior no candle semanal). Indicativo de que a pernada de baixa de curto prazo não chegou ao fim.

Bolda da Alemanha - Frankfurt

Na China o índice da bolsa de Xangai fechou a semana em leve alta, se destoando dos demais índices mundiais. Ainda assim, segue pressionada pela forte linha de resistência em 2.5k e deverá encontrar grandes dificuldades para rompimento imediato.

Índice da bolsa de Xangai - China

Na Índia a bolsa de Bombay fechou em baixa pela terceira semana consecutiva. Já se aproxima da primeira linha de suporte (linha central de bollinger), que poderá oferecer apoio no curto prazo. Tendência de alta no médio prazo segue inalterada, apesar da tendência de baixa no curto prazo.

Índice da bolsa de Bombay - Índia

Semana curta no mercado brasileiro, mas importante no mercado mundial. Índices, no geral, trabalhando correções/congestões de curto prazo enquanto o índice Bovespa segue na tendência de baixa desde o topo duplo formado na região dos 63.5k. Perdemos mais um rally mundial e agora a situação se complicou ainda mais para os touros com este movimento de correção no mercado externo. 

Um ótimo final de semana a todos e até segunda!

39 comentários:

  1. Estou pensando qual o impacto disso para o pequeno investidor... mas fiquei perdido

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Th,

      Para quem investe nos títulos do tesouro visando carregá-los até o vencimento, o impacto é nulo. Isso porque o governo paga no vencimento a rentabilidade acordada no ato da compra, independente do movimento da taxa básica de juros. Você pode ganhar, perder ou empatar com o mercado.

      Mas o investidor que comprou estes títulos no ano passado pagou um valor elevado pelas notas do tesouro, ou seja, realizou um mau negócio na minha humilde opinião. As condições voltaram a melhorar um pouco no início deste ano e devem melhorar ainda mais com esta expectativa de elevação na taxa básica de juros. Em outras palavras, hoje podemos comprar estes mesmos títulos, porém mais baratos e com bônus (ou juros) mais elevados.

      Ou mesmo o investidor que comprou títulos no ano passado e não pretende carregá-los até o vencimento correrá sérios riscos de vendê-los (antes do vencimento) com rentabilidade abaixo da média do mercado ou com prejuízo. Isso porque durante o período de vigência do título, o preço oscila bastante no mercado, e quando você compra algo caro as chances de perda são maiores.

      Qualquer dúvida volte a perguntar

      Abcs, bom final de semana!

      Excluir
    2. Seria o momento ideal para comprar LTNs?

      Excluir
    3. Anônimo,

      O momento ideal mesmo é durante o ciclo de aperto monetário (elevação da taxa Selic) do Banco Central, mais precisamente a partir do meio pra frente. É neste momento onde o normalmente o mercado está mais pessimista com a economia e consequentemente as taxas de juros futuras sobem exageradamente, portanto gerando uma ótima oportunidade para comprar e segurar títulos pré-fixados. Ainda não ingressamos neste ciclo, no momento o mercado vive apenas numa expectativa de retomada no aumento da taxa Selic, reajustando (para cima) os contratos de juros futuros negociados na BM&F.

      Como não temos certeza do futuro recomendo fazer compras pequenas e escalonadas em LTNs (títulos pré-fixados) mescladas com LFTs (títulos pós-fixados). O prazo da NTNB está muito longo e podemos esperar mais um pouco para fisgar títulos que ofereçam um bônus acima de 4% ao ano + IPCA (menos que isso eu não recomendo fazer negócio). Hoje o melhor título pré-fixado é a LTN 010116 que está pagando 8,82% ao ano. Não compensa comprar a LTN 010117 que está pagando 9,08% ao ano, pois a diferença de prazo é muito grande para uma diferença pequena no bônus. Quanto maior o prazo, maior a dificuldade de se projetar cenários econômicos e possíveis medidas monetárias. Como sabemos que o FED poderá elevar a taxa básica de juros a partir de 2015 (movimento que pode se espalhar por outros banqueiros centrais mundiais, inclusive o nosso), não será muito interessante comprar títulos pré-fixados com vencimentos acima de 2016/2017, já que as taxas hoje estão menores.

      Hoje o que você pode fazer é aquilo que eu expliquei no início do parágrafo anterior deste comentário. Compras parciais e mesclar títulos pré-fixados com pós-fixados. Por exemplo, duas vezes por mês você realiza pequenas compras, aloque no mínimo 50% deste valor em LFT se o título pré-fixado estiver abaixo de 9,00%, o restante aloque na LTN 010116. Se o título pré-fixado ultrapassar os 9,00% aloque 60% da compra em LTN 010116 e 40% em LFT. Se o título pré-fixado subir ainda mais, aumente a alocação para 70%, e por aí vai até chegar nos 100% de alocação em LTN, que provavelmente será no auge do ciclo de aperto monetário. Pré-fixados próximo (ou acima) de 9% podem ser um bom negócio no curto prazo. Pós-fixados (LFTs) serão beneficiados com elevação na taxa básica de juros e você não perderá dinheiro ou não terá uma rentabilidade menor se vender o título antes do prazo, pois a LFT é reajustada diariamente pela taxa Selic.

      Abcs, bom sábado!

      Excluir
    4. que aulaaaaa... muito obrigada FI.
      Agora, maos a obra nao eh mesmo!
      um otimo final de semana com o horario novo!

      Excluir
    5. Por nada, sempre que precisar estamos aí!

      Ih é mesmo, já estava esquecendo deste bendito horário novo rsrss..

      Abcs, boa semana!

      Excluir
    6. * Errata

      "Os preços dos títulos públicos pré-fixados ou indexados ao IPCA (que estavam extremamente elevados em decorrência do ciclo de afrouxamento monetário) começaram a ceder este ano somente pela expectativa de queda na taxa básica de juros."

      O correto é: "...expectativa de alta na taxa básica de juros"

      Excluir
  2. Sera que o Manteiga comecou a pisar nno chao???

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anônimo,

      Espero que sim! Pelo menos o discurso já é totalmente diferente.

      Abcs, bom final de semana

      Excluir
  3. Selic alta, melhor rentabilidade da minha RF. Boa notícia.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Por que ela aplica em DI, entendeu investidor Trollinha

      Excluir
  4. Para quem possui uma carteira diversificada, um aumento progressivo da taxa Selic de .25 a .50% praticamente não muda nada. O mais importante é manter o controle da inflação, isso sim, provoca danos importantes na carteira de investimentos e na economia em geral.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fabricio,

      Na minha opinião muda, pois se a carteira está muito diversificada o investidor deixa de ganhar com a elevação das taxas pré-fixadas, ou mesmo do bônus da NTNB. No final das contas, o que faz a diferença numa carteira de renda fixa é conseguir realizar um bons negócios (timming e volume financeiro) quando os bônus sobem ou são precificados de forma exagerada pelo mercado. Inflação é um problema sério para o investidor, não há NTNB que segure em totalidade a perda do poder de compra, além do juro real continuar baixo a mordida do leão acaba sendo maior. Combater a inflação é mais difícil e doloroso do que combater uma recessão. Vamos torcer para que o Banco Central consiga agora fazer um trabalho bem feito e retomar a confiança do mercado.

      Abcs, bom final de semana"

      Excluir
  5. Para quem possui uma carteira diversificada, um aumento progressivo da taxa Selic de .25 a .50% praticamente não muda nada. O mais importante é manter o controle da inflação, isso sim, provoca danos importantes na carteira de investimentos e na economia em geral.

    ResponderExcluir
  6. Excelente postagem, amigo.
    Vamos esperar para ver. por enquanto vou manter os meus títulos.

    Abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. AdP,

      Vamos ver se todo esse blá blá blá se transforma em atitudes rsrs.. O mercado está cobrando isso há bastante tempo, está na hora do governo mostrar serviço.

      Abcs, bom sábado!

      Excluir
  7. Pessoal,

    Tem um erro neste post. Por favor desconsiderem a análise da bolsa de Xangai. Não houve negociação nesta semana, devido ao feriado do ano novo lunar. Obrigado ao amigo leitor que me alertou por e-mail.

    Abcs a todos e até segunda!

    ResponderExcluir
  8. Na conjuntura atual, entendo que comprar LTNs é interessante APENAS e APENAS se o investidor levar ela até o VENCIMENTO.
    Quando chegamos no vale das almas, com tendência de alta da SELIC, negócio é LFT.
    Estou aportando forte nas LFTs faz quase meio ano.
    Quando chegarmos no pico da SELIC, que entendo que será por volta de 2015-2016, logo após o FED aumentar os juros e aqui ainda mais como consequência disso, será interessante a migração para as NTN-Fs.
    Os indícios são fortíssimos no sentido que teremos graduais aumentos da SELIC num espaço contínuo de 3 anos, aproximadamente.
    Abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anônimo,

      Exatamente, por isso o foco estão nas compras mescladas entre LFTs e LTNs de curto prazo (2016). O risco de perder para o mercado é relativamente baixo, neste período, com uma taxa pré-fixada próxima aos 9% ao ano.

      Se o Banco Central começar a elevar os juros este ano, acho que o pico da Selic ficará entre o primeiro e segundo trimestre de 2014. Pode ser até que entramos em mais um ciclo de queda curta na taxa Selic antes do FED voltar a subir os juros e assim alteramos novamente a política para aperto monetário.

      Abcs, boa semana!

      Excluir
  9. Será que esse "freio" dos juros consegue segurar a velocidade da Inflação ? Acho que o Copom devia dar umas "bombadas forte" nesse freio.... rs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Investidor Zé Ninguém,

      No curto prazo não. Se o Banco Central agir agora é possível que haja arrefecimento nos preços no final deste ano. Caso contrário sentiremos os efeitos somente no ano que vem. Hehe, tomara que não precise disso! "Bombadas fortes" só vejo quando estamos sob o terror da hiperinflação.

      Abcs, boa semana!

      Excluir
  10. Ola. Creio que teremos forte inflaçao pelo menos ate meados do ano. Quem mais sofre eh justamente a baixa renda. Peça fundamental do projeto de poder dos que se acham donos do Brasil. O Fmi acusa a Argentina de maquiar a inflaçao. E aqui sera que esta diferente??
    Bom. O mercado acionario esta proximo ah jogar um balde de agua fria nos comprados. Ou nao talvez.
    Ivngomes

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ivngomes,

      Sim, juntamente com a classe média. IPCA é o índice oficial de inflação, o governo já mexeu inúmeras vezes no balanceamento e cálculo do índice. Particularmente não confio tanto neste índice, gosto de jogar um ou dois pontos percentuais a mais acima da inflação oficial para medir "o meu índice inflacionário".

      Abcs, boa semana!

      Excluir
  11. FI, Hoje você informou o seguinte:

    Os preços dos títulos públicos pré-fixados ou indexados ao IPCA (que estavam extremamente elevados em decorrência do ciclo de afrouxamento monetário) começaram a ceder este ano somente pela expectativa de queda na taxa básica de juros.

    Não ocorreu um engano no final da frase ? Ao invés expectativa de queda na taxa básica de juros não seria expectativa de aumento na taxa básica de juros?

    Obrigado e parabéns pelas análises.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Opa!

      É verdade. Erro grotesco. Obrigado pela correção amigo! É isso mesmo, expectativa de aumento na taxa de juros.

      Abcs, boa semana!

      Excluir
  12. A PERDA DESTE RALI MUNDIAL É ALGO DE MUITO LAMENTAR. AS INTERFERÊNCIAS DO GOVERNO BRASILEIRO NAS ELÉTRICAS E NA PETROBRÁS MALTRATARAM A NOSSA BOVESPA. PERDEMOS UM RALI MUNDIAL MUITO FORTE.

    SE AS BOLSAS DE FORA COMEÇAREM A CORRIGIR, VAI SER DIFÍCIL SEGURAR POR AQUI. MEU SINAL DE ALERTA ESTÁ NA REGIÃO DOS 55K-56K, PRA QUE O TRIÂNGULO DO GRÁFICO DO IBOV NÃO ROMPA PRA BAIXO. VAMOS MONITORANDO. OS ESTRANGEIROS ESTÃO COMEÇANDO A TIRAR SEU DINHEIRO DA BOLSA.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Adubo da Bolsa,

      Infelizmente este não foi o primeiro e talvez não será o último rally mundial que perdemos. A política econômica do governo precisa de sérias mudanças.

      Esta semana vai ser interessante. Houve início de movimento de saída dos estrangeiros no mercado à vista, se manterem esta tendência será difícil segurarmos nos 55k.

      Abcs, boa semana!

      Excluir
  13. Bom Dia.

    FI,eu tive a dar uma olhada no IBOVESPA,e reparei que ele esta fotografia a que se lhe pode chamar "ombro cabeça ombro",invertido.
    Se realmente se pode identificar isso nesta fotografia,então o IBOV vai subir em flexa,que vc acha?

    Batistuta007

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Batistuta007,

      Na minha humilde opinião, enxergar figuras nos gráficos é a mesma coisa que tentar enxergar o desenho das nuvens no céu para tentar adivinhar se vai chover ou vai fazer sol. Não indicam muita coisa e a eficácia é extremamente baixa. Já testei isso no Ibovespa e nos demais índices mundiais e cheguei a conclusão que esses desenhos não são confiáveis, apesar de serem extremamente populares na análise técnica.

      Eu enxergo o Ibov como uma congestão de longo prazo. Estamos corrigindo o último bull market de 2002-2008. Ao terminar este ciclo de correção entraremos em um novo ciclo bull, mas não há como saber até quando este ciclo de correção irá durar. Acho que já estamos na fase final.

      Abcs, bons investimentos

      Excluir
  14. Ótimo post, e eu achando que comprando NTN-B principal todo mês seria uma ótima estratégia, agora estou achando complicadíssimo investir em títulos. Preciso estudar mais.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Uorrem Bife,

      Todos nós precisamos. Brasileiro ainda não incorporou o "know-how" para operar título pré-fixado, já que o pós-fixado era um verdadeiro almoço grátis no passado. Acredito que as melhores oportunidades par alavancar um ganho na renda fixa estão nos títulos pré-fixados, comprando-os nos momentos certos. Isso faz toda a diferença. NTN-B não passa de um título pré-fixado com acréscimo da inflação. Vale muito a pena estudar a fundo o mercado de renda fixa e entender a oscilação dos títulos do tesouro.

      Abcs, bons investimentos

      Excluir
  15. Para quem aporta regularmente e vai sacar só no final realmente esses movimentos não fazem a menor diferença. E enquanto essa corja vermelha estiver no puder, invisto só em inflação.

    E os gráficos com fundo preto são MUUUUUITOOOOO melhor de se ver.

    Pobre Paulista

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pobre Paulista,

      Infelizmente. E parece que irão conseguir ficar mais 4 anos pois a oposição neste país simplesmente desapareceu. Quanto aos aportes eu discordo, mesmo quando o investimento torna-se regular (mensal), pois você ficará sempre na média do mercado. Vai comprar título com taxa ruim e título com taxa boa. Temos perfeitas condições de superar esta média. Basta aportar menos ou rejeitar negócios de produtos não tão interessantes naquele determinado momento e aportar mais ou realizar negócios de produtos bem mais interessantes naquele determinado momento.

      Abcs, bons investimentos

      Excluir
    2. Concordo, mas como eu nunca sei se está tão ruim que não possa piorar ou tão bom que não possa melhorar, eu acho mais eficiente comprar a mercado e fazer média. Naturalmente, quem sabe mais ganha mais e evita negocios ruins hehe... mas a vida é assim, quem sabe mais ganha mais mesmo. Eu sou um cara 'médio' nesse assunto e não me importo de ganhar na média.

      Abs!

      P.P.

      Excluir
    3. P.P.

      Que nada. A forma mais fácil de perder dinheiro no mercado financeiro é achar que sabe tudo. Pode ter certeza que todos nós estamos no mesmo nível, as informações e ferramentas são as mesmas. Basta acompanhar mais o mercado de renda fixa que você vai entender. É muito simples. Qualquer dúvida estou à disposição.

      Abcs, bons negócios

      Excluir
    4. Opa,

      Entendo e acompanho, mas como eu ia adivinhar que 3,8%a.a. de taxa pré era um fundo? Se tivesse caído para 2% teria sido um bom negócio, como subiu pra 4,2% não foi...

      P.P = Pobre Paulista

      Excluir
  16. FI, no cenario atual, com a projecao de mesmo apos ter aumentado, ocorrerem novos aumentos da Taxa Selic para 8.5 . O que vc considera mais inteligente fazer para investir em Tesouro Direto, pergunto isso pq especificamente gostaria de investir para poder reaver o dinheiro num prazo de 3 anos.

    Minha outra duvida e a seguinte . Pretendo fazer aportes mensais, sei da existencia da cobranca de IR regressiva, e que se mantiver por 2 anos e cobrado apenas 15% , porem minha maior duvida e que se eu comprar todo mes o mesmo papel, esse valor ira ser somado ou sera colocado como investimentos diferentes ? Tendo em vista que por serem aportes mensais, serão datas diferentes, e se pretendo aportar ate o vencimento, irá haver cobrança diferente de IR no resgate, correto ?

    ResponderExcluir