sexta-feira, 1 de fevereiro de 2013

Manufatura começa o ano com o pé direito


O Instituto Markit, em parceria com o banco HSBC, divulgou os primeiros índices de atividade manufatureira de 2013 entre as principais economias mundiais. O ritmo de expansão segue ganhando força mostrando recuperação da economia mundial nesta primeira etapa de 2013. Felizmente (e até que enfim), o Brasil conseguiu fazer parte do grupo de países que mais contribuíram para melhora no índice mundial, juntamente com Estados Unidos, Alemanha, México, China, Rússia, Índia, Turquia, Taiwan e Vietnam.

Índice Global de Manufatura medido pelo JP Morgan e Instituto Markit subiu para 51,5 pontos no mês de janeiro deste ano, mostrando expansão na atividade industrial à nível mundial.

Índice Global de Manufatura

O Índice Gerente de Compras dos Estados Unidos saiu dos 54 pontos registrados em dezembro/2012 para 55,8 pontos em janeiro/2013, mostrando aumento no ritmo de expansão da atividade industrial.

Na zona do euro o Índice Gerente de Compras continua mostrando retração na atividade industrial, porém este ritmo vêm diminuindo consideravelmente. O índice saiu de 46,1 pontos em dezembro do ano passado para 47,9 pontos em janeiro deste ano. A contração na França foi a que mais pesou no indicador, enquanto a retomada da atividade na Alemanha, Irlanda e Holanda foram as que mais contribuíram para redução do ritmo de retração na zona do euro.

Na China o Índice Gerente de Compras segue mostrando que o país continua mantendo o ritmo de expansão na atividade industrial. O indicador saiu dos 51,5 pontos em dezembro de 2012 para 52,3 pontos em janeiro de 2013.

No Brasil também houve melhora significativa no ritmo de expansão da atividade manufatureira. O índice Gerente de Compras subiu dos 51,1 pontos em dezembro/2012 para 53,2 pontos em janeiro/2013. Este foi o resultado mais expressivo desde março de 2011. A forte expansão foi impulsionada pela melhora nos índices de produção e pedidos de novas encomendas.

O déficit na balança comercial brasileira em janeiro deste ano (4,035 bilhões de dólares) não revela deterioração, além do que já era uma realidade em 2012, da atividade industrial. É o pior resultado mensal desde o início da série histórica em 1959, por conta da contabilização, em janeiro/2013, de importações de gasolina realizadas pela Petrobras no ano passado, no valor de 1,6 bilhão de dólares. Outros 2,9 bilhões de dólares em importações de gasolina realizadas em 2012 serão contabilizados em fevereiro e março deste ano.

O fator concreto, e de maior preocupação no momento, que poderá inibir esta boa retomada na atividade manufatureira brasileira são os temores quanto ao racionamento de energia elétrica, não esclarecidos devidamente pelo governo (pela falta de credibilidade e baixo nível dos reservatórios). Além, é claro, dos males inflacionários. Este ambiente de incerteza poderá inibir investimentos da iniciativa privada.

A semana começou turbulenta para o mercado brasileiro. Na segunda-feira comentamos sobre a “Pancada na volta do feriado”. Na terça-feira destacamos o insucesso do governo para tentar atingir a meta de superávit primário, mesmo com tanta engenharia financeira. A quarta-feira foi um verdadeiro “Show de anedotas”. Ontem comentamos sobre “A surra do Sr. Mercado” em cima das “ações X”.

Mas nesta sexta-feira o índice Bovespa conseguiu confirmar fundo sobre a LTA formada a partir dos 55.1k, melhorando, em partes, o fechamento semanal. A linha central de bollinger foi respeitada com um candle de pavio levemente relevante inferior (não pode ser considerado um martelo, devido à posição e tamanho do pavio inferior). De qualquer forma a linha central de bollinger foi respeitada, o que pode ser positivo para o índice tentar voltar a ingressar uma pernada de alta mais consistente nas próximas semanas.

Bolsa do Brasil. Gráfico semanal do principal índice

Por outro lado o fechamento mensal do Ibovespa não foi positivo. Houve sinalização de topo semelhante à região de reversão do ano passado. Estrela cadente abaixo de uma resistência importante indicando falso rompimento da linha central de bollinger mensal. O índice precisará mostrar força compradora este mês para, primeiro, não perder a linha central de bollinger e LTA de longo prazo e segundo, anular o candle do mês de janeiro deste ano rompendo a máxima em 63.5k.

Bolsa do Brasil. Gráfico mensal do principal índice do mercado brasileiro

No resto do mundo a situação é totalmente diferente. Os índices estão trabalhando em proximidade com as regiões de topos históricos. Nos Estados Unidos o índice Dow Jones fechou em alta pela quinta semana consecutiva, há pouco mais de duzentos pontos do topo histórico.
 
Bolsa dos Estados Unidos. Gráfico semanal do principal índice
   
Na Alemanha, o índice DAX fechou a semana em leve baixa, mas ainda não houve sinalização de topo de curto prazo. Índice segue mantendo a tendência de alta no médio prazo com bastante espaço para possíveis correções sem prejudicar a pernada.

Bolsa da Alemanha. Gráfico semanal do principal índice alemão

Na China a bolsa de Xangai fechou mais uma semana extremamente positiva. Este já é o quinto marubozu de alta dentre os nove candles semanais que estão constituindo, até o momento, este pânico de alta iniciado na região dos 2k. Segue no rumo para testar a resistência em 2.5k e emplacar 25% de alta em apenas três meses.

Gráfico semanal do principal índice do mercado chinês

Bom pessoal, por hoje é só. Desejo a todos vocês um ótimo final de semana! Até segunda!

25 comentários:

  1. Excelente Análise !! Ótimo Final de Semana FI !!
    [ ] ´s

    ResponderExcluir
  2. impressionante o panico na china, se o ibov continuar la embaixo, algo assim podia acontecer por aqui tb pra ver se animava um pocohehehehehehe

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anônimo,

      Hehe, está precisando de animar aqui mesmo. Impressionante é o poder do Goldman Sachs. Foram eles que levantaram Xangai.

      Godlman Sachs, a salvação dos chineses e decepção dos brasileiros
      http://www.financasinteligentes.com/2012/09/godlman-sachs-salvacao-dos-chineses-e.html

      Abcs, bom final de semana!

      Excluir
  3. Bom dia Finanças Inteligentes.

    Com uma expansão inacreditavel que os EUA teve nas 3 primeiras decadas, seguindo em 29 com o crach da bolsa de nova york.
    A expansão extraordinaria do japão pós guerra, seguindo da depressão economica nos anos 80.
    O consumo desemfreado dos americanos e uma expansão acelerada, seguindo depois da bolha imobiliaria e a quebra de instituição financeiras.
    Europa que sempre viveu gastando mais que podia.

    Ai me pergunto FINANÇAS INTELIGENTES!

    Com o Eua vivendo as custa do mundo, devendo a cada ano cada vez mais, uma economia devagar e as bolsas cada vez subindo mais, tem algo estranho ai não é?

    A China tendo uma expansão que assusta cada vez mais! Os bancos estatais emprestando horrores de dinheiro pra bancos privados emprestarem a seus clientes! Será que o capitalismo sempre tem o seu lado negativo?
    Será que enquanto tempo vamos enfrentar novamente outra crise?
    Se os EUA não cumprirem seus deveres, o mundo irá enfrentar a maior crise mundial jamais vista em todos seus tempos de CAPITALISMO.

    Desculpe FINANÇAS INTELIGENTES em muitas vezes não está sendo claro e fugindo sempre do assuntos que interressa nois investidores, MAS ADORARIA SABER SUA ANALISE!

    BOM FINAL DE SEMANA.

    E.P.F

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O ÚNICO MOTIVO PRA MAIORIA DAS BOLSAS ESTAREM PRÓXIMAS A SEUS TOPOS HISTÓRICOS É QUE O DINHEIRO QUE BANCO CENTRAL AMERICANO (FED) INJETOU NO MERCADO (QE3) FOI DIRECIONADO PARA AS BOLSAS DE VALORES. SIMPLES ASSIM!

      NÃO EXISTEM FUNDAMENTOS QUE EXPLIQUEM ESTAS ALTAS TÃO GRANDES. FOI O DINHEIRO "ARTIFICIAL" DO FED QUE ALIMENTOU ESTAS ALTAS. NOSSA BOVESPA TEVE UM ENXURRADA DE CAPITAL ESTRANGEIRO NOS ÚLTIMOS DOIS MESES. OS GRINGOS PRIMEIRO ENTRARAM COMPRADOS E ULTIMAMENTE ESTÃO ENTRANDO VENDIDOS. QUANDO ESTE DINHEIRO FOR EMBORA...

      Excluir
    2. Boa tarde pessoal,

      Concordo com o que disso o Adubo da Bolsa. Economia não funciona sem crédito/financiamento e a base para manter este fluxo circulando no sistema é a confiança. Como os bancos centrais poderiam segurar a confiança no meio de uma crise financeira de alta gravidade? Despejando dinheiro no mercado. Os bancos entupidos de crédito aplicam "sobras de caixa" no mercado (na verdade é a sobra de caixa que está atingindo a economia real e a maior parte destes recursos estão circulando no mercado financeiro). A valorização dos ativos é a melhor forma para manter a confiança artificialmente alta. Garanto pra vocês que os agentes de mercado não estão tristes vendo Dow Jones se aproximar do topo histórico, tal como está ocorrendo com outras praças. E não adianta adotar uma postura contra o banco central. Se o FED quer inflar ativos, ele vai fazer isso. Na época do Soros, quando ele quebrou por um dia o BoE, era diferente. Hoje ninguém (nenhum fundo/banco) consegue combater um banco central. Quando digo banco central estou me referindo aos banqueiros centrais das principais potências mundiais. Estas reuniões de portas fechadas (e sem publicação de ata ou qualquer documento) do FED com o BoJ, BoE, BCE, etc estão resultando em ações coordenadas das autoridades monetárias. Portanto a única opção que resta aos agentes de mercado é seguir a política da autoridade monetária. Aquele crash de 2008 no mercado acionário foi interrompido pela atuação dos bancos centrais, não fosse por isso as bolsas estariam num patamar bem distante dos topos históricos hoje.

      Por outro lado este ciclo de afrouxamento poderá ser perigoso se a dosagem passar da conta. Os bancos centrais sabem que o afrouxamento não é ilimitado, chegará um momento em que as torneiras terão de ser fechadas com a retomada mais aguda do crescimento econômico mundial. Aí que mora o perigo pois existe o risco de inflação aliada ao aperto monetário e o sistema financeiro poderá sofrer uma desalavancagem de parte deste crédito injetado desde 2008.

      Abcs, bom sábado!

      PS: A dívida dos EUA não é um problema, pois o custo de captação é quase zero. O mesmo ocorre com a dívida do Japão. São situações diferentes, por exemplo, do estresse sofrido pelos países da periferia europeia que dependem do mercado para se financiarem e perderam credibilidade ano passado (resultado na disparada dos bônus). Sobre os empréstimos bancários na China, este sim pode ser um problema, mas para longo prazo. Enquanto a economia estiver aquecida, gerando emprego e renda à população, o sistema financeiro permanecerá aparentemente blindado. A não ser que estejam escondendo mais sujeira debaixo do tapete, o que não duvido em se tratando de China. E por fim, o fluxo do QE1 e QE2 escorreu com mais força para o mercado financeiro. Mas o fluxo do QE3 não, este está escorrendo com menos força para o mercado. Considero bem sucedida esta atuação do FED.

      Abcs, bom sábado!

      Excluir
  4. Não estou sendo claro e estou sempre fugindo do assunto!
    Me desculpe....rs

    Abraços

    E.P.F

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Opa! Que nada..

      Toda a contribuição é muito bem vinda!

      Abcs,

      Excluir
  5. Ola fi. Temos uma bandeira baixista no semanal que se confirmada o alvo eh novamante teste na base da longa congestao por volta dos 48k. ivngomes

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. DEPENDENDO DO PONTO DE VISTA, PODE SER UMA BANDEIRA ALTISTA, POR QUE NÃO?

      NOSSA BOVESPA É A ÚNICA GRANDE BOLSA DISTANTE DE SEU TOPO HISTÓRICO. QUANDO AS DEMAIS BOLSAS COMEÇAREM A REALIZAR LUCROS, TALVEZ MUITO DESTE DINHEIRO VENHA PRA ALIMENTAR UMA ALTA AQUI NO BRASIL. O PAPEL DO PEQUENO INVESTIDOR É SURFAR NA ONDA QUE O MERCADO RESOLVER CRIAR. TUDO PODE ACONTECER. O MERCADO É SOBERANO.

      SE VOCÊ FICAR COM ESTA IDEIA FIXA DE QUE VOLTARÁ PROS 48K, PODE PERDER UMA GRANDE ALTA DAQUI HÁ ALGUM TEMPO. FIQUE DE OLHO NO SALDO ESTRANGEIRO NA BOVESPA PRA VER PRA QUE LADO ESTÃO INDO, POIS QUASE SEMPRE OS GRINGOS SURFAM NA ONDA CORRETA.

      Excluir
    2. Eu só não gostei do fechamento mensal. Ibovespa vai ter que romper os 63.5k para invalidar o candle na posição perigosa e de quebra retomar a média de 200 períodos semanal. Tarefa nada fácil. Mas também, se passar por esta faixa de pontuação, acho que o índice não terá dificuldades para romper a LTB do topo histórico e testar 69k.

      Abcs, bom sábado a todos!

      Excluir
    3. NOSSA BOVESPA ESTÁ FORMANDO UM TRIÂNGULO NOS GRÁFICOS. MESMO QUE O MERCADO CORRIJA ATÉ 56K OU 55K, A FORMAÇÃO DESTE TRIÂNGULO NÃO SERÁ INVALIDADA. TORÇO PRA QUE TAL TRIÂNGULO ROMPA PRA CIMA. É VERDADE QUE NOSSO GOVERNO PISA NA BOLA EM ALGUNS PONTOS, MAS TERMOS UMA BOVESPA NO ANO DE 2013 ABAIXO DOS 50K SERIA UMA GRANDE INJUSTIÇA COM NOSSO BRASIL.

      Excluir
    4. Olá, não é idéia fixa, o que à meu ver é que faltam fundamentos, como os papéis aqui do Brasil vão subir com o governo acabando com a Petrobras, forçando elétricas se brincar terem é prejuízo, maquiando indicadores tais como a inflação, taxa de desemprego...
      Não é atoa que pessoa física desde o crash de 2008 foge da renda variável, quanto ao gráfico vejo muito mais chances de romper pra baixo, acabou o tempo em que era moda a bolsa, más tudo é possível, vamos ver.

      Ivngomes

      Excluir
    5. Sim esqueci de mencionar, minha estratégia é de compras progressivas, minha poupança são ações, tudo que sobra vou comprando em papéis de minha carteira diversificada, jamais vou fazer erros do passado e aplicar em bolsa capital de giro de meus negócios, somente lucro;
      Ivan

      Excluir
    6. Existe uma lógica no seu raciocínio, só que fundamentos das empresas não é o único motivo que faz as ações subirem ou caírem. Se fosse o único motivo, as bolsas dos EUA e as europeias não estariam próximas de seus topos históricos. Num horizonte mais pra frente, é provável que tenhamos outro forte crash porque o dinheiro que tem alimentado as altas das bolsas é dinheiro sem lastro do FED, que talvez gere inflação com o tempo. Mas até que esta quebra ocorra, teremos com certeza outras fortes altas, pois um forte crash sempre é precedido por fortes altas sem fundamentos, que até agora ainda não ocorreram na bovespa. Eu só aposto minhas fichas em outro crash quando ver o IBOV acima dos 70k.

      Se ocorrer o que você acha, que é claro que tem chance de ocorrer, eu irei me encher de ações, talvez até com dinheiro emprestado. Se chegar nos 48k no curto prazo, não tenho a menor dúvida que o mercado irá foguetar rapidamente, pois não terá lógica o resto do mundo em seus topos histórico e o Brasil no último fundo da época do rebaixamento da nota de crédito do EUA. Nós temos nossos erros, mas também não somos tão ruins assim pra termos nossa bolsa na lanterninha das bolsas mundiais.

      Excluir
    7. Mercado emergente precisa oferecer fundamento melhor do que o mercado desenvolvido para atrair o fluxo de capital estrangeiro (que é o que levanta bolsa). Se a bolsa retornar aos 48k creio que os fundamentos de algumas empresas irão melhorar de tal forma que o índice não consiga se sustentar por muito tempo em pontuação baixa. A perspectiva de um PIB melhor do que os ridículos 1% de 2012, também colabora para melhora nas margens de lucro de algumas empresas.

      Abcs a todos e boa semana!

      Excluir
  6. Por enquanto o mercado está apreensivo, dentro de 2 anos iremos recuperar o tempo perdido, ações valeram 150% a mais em relação a hoje, mais como os governos enfrenta as crises de uma forma errada, dentro de uma decada iremos enfrentar uma outra crise. E como dar um remedio pra gripe pra seu filho e depois de 10 min ele sair com pé descalço e tomando vento frio no peito e você achando que nenhum mal tenha.......rsr

    Crise ou colapsos em nossas economias pra voltar a ter um crescimento sustentavel demoras 1 decada e meia, não em 36 meses.....jamais..rs..! E como você pega uma administraçåo de uma empresa quebrada e administrar ela pra voltar a ter resultados, cortes de custos, clientes novos, mudar a gestão da empresa, isto leva anos pra ter lucros e um crescimento sustentavel!

    A um horizonte pouco distante vejo uma outra crise, vamos aproveitar o mercado meio que barato e vamos lucrar, mas devemos ta espertos quando as economias voltarem a cair e o mercado fugir, e voce correr pra um investimento mais seguro!

    Saudades HENRIQUE MEIRELLES.

    ABRAÇOS!

    E.P.F

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E.P.F,

      Isso aí. Crises sempre existiram e continuarão surgindo enquanto existir mercado de capitais. Ninguém sabe quando será o estouro da próxima, o importante é estar preparado para aproveitar as oportunidades.

      Abcs, boa semana!

      Excluir
  7. FI, Qual o impacto você veria para o Brasil no caso de uma queda significativa dos t-bonds americanos?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anônimo,

      O Brasil está bem respaldado pelas agências de classificações de risco. Já superamos o grau de investimento e os ratings estão com perspectivas positivas. Rolar dívida deixou de ser estressante, temos demanda externa de sobra e interna crescente (importante ressaltar a popularização do tesouro direto, quanto mais dívida os investidores brasileiros contraírem do Tesouro, melhor para o país). Para ocorrer algum movimento brusco com os treasuries algo de muito grave precisará estar acontecendo (veja que mesmo com aquele circo ocorrido em 2011 para elevação do teto da dívida norte-americana, os títulos públicos mal se mexeram, a demanda permaneceu aquecida). Muito difícil mensurar impacto de tamanha relevância. Seria um caos financeiro. Acho muito improvável ocorrer um evento deste tipo nos próximos anos.

      Abcs, boa semana!

      Excluir
  8. Finanças Inteligentes vim aqui dar o parabens pelo seu site, continue asssim e todo sucesso para voce!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fábio de Paulo,

      Com certeza, estamos aqui toda semana batendo cartão de segunda à sexta rsrs... Obrigado e sucesso para você também!

      Abcs, boa semana!

      Excluir