quarta-feira, 13 de março de 2013

Mercado caiu no boato


O índice Bovespa foi duramente atingido na parte da tarde desta quarta-feira, aparentemente sem motivo técnico/macroeconômico algum, aumentando o medo e o receio dos operadores com posições compradas de curtíssimo prazo em aberto. Em poucos minutos começou a rodar um boato de alta gravidade nas mesas de operações das principais corretoras brasileiras: o rating do Brasil seria cortado pela agência de classificação de risco Standard & Poor’s.

O boato se espalhou rapidamente. A bolsa despencou em questão de minutos. Uma piora no rating brasileiro neste exato momento seria desastroso para o Banco Central, insatisfeito com os indicadores inflacionários. Isso porque um rebaixamento no rating reduziria o fluxo de capitais para o Brasil, pressionaria o câmbio e prejudicaria no combate à inflação, forçando o Banco Central a subir os juros para conter a inflação e evitar uma fuga de capitais.

O boato é no mínimo suspeito, as posições vendidas dos investidores estrangeiros em contratos futuros do índice Bovespa atingiram recorde histórico recentemente. Portanto, a queda do índice passa a ser conveniente, mesmo quando boa parte destes investidores estão protegidos (hedge). Há muito dinheiro pesado (e alavancado) em jogo, se o mercado mover pelo lado contrário destas posições vendidas, a porta de saída será pequena (não há liquidez suficiente para suportar uma saída sem estrago destes investidores/operadores), podendo provocar assim um rally de alta no índice.

O timming do boato também coincidiu com o melhor momento do mercado para iniciar o rompimento da média móvel simples de 200 períodos diária para baixo (principal linha de suporte de curtíssimo prazo). Caso o índice Bovespa não consiga se segurar na linha central de bollinger amanhã, a queda de curtíssimo prazo deverá buscar um teste na LTA iniciada na região dos 55.4k.

índice
  
O diretor da Standard & Poor's, Sebastian Briozzo, responsável pelo rating do Brasil, desmentiu o boato no final do dia e afirmou que não há nenhuma alteração do rating e nem da perspectiva de classificação de risco do Brasil, conforme último anúncio realizado em dezembro. Perspectiva estável e rating BBB.

Nos Estados Unidos o índice Dow Jones fechou mais um pregão de lado, mantendo a análise realizada no post de ontem (“O’Neill segue otimista com os BRIC”). Nem mesmo a elevação de 1,1% nas vendas do varejo em fevereiro/2013, o maior aumento em cinco meses, animou Wall Street. Mercado sobrecomprado e com boas possibilidades de reversão da tendência de curtíssimo prazo.

Índice Dow Jones

15 comentários:

  1. Olá Fi, observo bem atento na matriz o volume cada vez menor, sabe-se lá que forças ocultas estão por trás de tantas altas!! Imagina quando corrigir por lá o que vai ser do IBOV?? Estou totalmente líquido ainda esperando "dias melhores" para compras, fui até logo!!
    Obs. parabéns por seu e-book, sucesso!!
    Ivan

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Ivan,

      Candles pequenos seguidos de dojis em região de sobrecompra é sinal forte de topo dentro da tendência. Mas uma provável queda no Dow Jones não será capaz de reverter a tendência de médio e longo prazo. Um produto que está ficando interessante é a LTN 2016. As condições de negócio melhoraram. Governo já está pagando um bônus de 9,25% ao ano. Importante mesclar a compra com LFTs. Mas com este bônus na LTN já dá pra pesar um pouco mais em pré-fixados, como por exemplo 60% em LTNs e 40% em LFTs 2017.

      Obrigado! Sucesso para todos nós!

      Abcs,

      Excluir
  2. Olha a matéria abaixo está tudo armado só precisava do boato pra fazer o dólar subir.
    http://www.momentoeconomico.com.br/destaques-de-fevereiro-2013-no-bovespa-estrangeiros-alocam-novos-bilhoes-em-contratos-de-indice-de-dolar/

    abraço
    Ductor Marcus

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ductor Marcus,

      Sim o dólar já subiu mais de 1% nesta semana. Movimento semelhante as demais praças mundiais. O problema é que no câmbio os estrangeiros sabem que existe um limitador. Se levantarem demais o BC vai entrar pesado no mercado. Já no índice futuro é jogo aberto, não tem "BC pra atrapalhar" rsrs..

      Abcs, bons trades

      Excluir
  3. Eu já estava aguardando que o Ibov corrigisse até 57,5k até a sexta, porém o pregão de hoje certamente foi um exagero e poderá tornar a leitura técnica um tanto mais complicada para os próximos pregões. De certa forma eu até consideraria bom se o rating do Brasil fosse cortado como aconteceu no Reino Unido. O governo brasileiro está fazendo muita bagunça com câmbio e SELIC. Uma hora o patamar do dólar é acima de 2,05, depois a posição oficial é que o dólar não influencia na inflação (relação econômica que só exite na cabeça deles), depois reconhecem que o dólar influencia na inflação mas avisam que ele não será usado como instrumento de controle inflacionário (ah tá, rsrs). Inflação quase batendo no limite da meta e Petrobrás reajusta o diesel, relatório do COPOM fala, fala e não diz nada e Tombini vai brincar de dar volatilidade aos juros futuros lá em Varsóvia fazendo o mercado precificar uma alta substancial que não tem data para acontecer. Dilma enquanto isso corta impostos federais da cesta básica (que nunca deveriam ter existido para começo de conversa), exatamente o que o PSDB propôs ano passado e o PT barrou, como uma forma populista de mostrar que ela é a mãe dos pobres Evita Perón e apenas através dela pode advir a salvação.

    Pena que como todo populismo, isso é só para inglês ver.Ou o governo sobe a SELIC em breve, contradizendo o discurso do país dos juros baixos; ou para de abrir as pernas para Petrobrás, ou implementa reformas de verdade sem ficar jogando dinheiro pelo ralo com essa história de "aquecer o consumo".

    Qualquer que seja a decisão do governo (acredito na primeira hipótese), um corte de rating cairia bem para ver se o governo passa a ter mais seriedade.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Neomalthusiano,

      Partindo deste ponto de vista sim, praticamente obrigaria o governo arregaçar as mangas e trabalhar no que realmente precisa ser mudado no Brasil. Também acredito na sua primeira opção. E acho que o governo vai fazer um marketing (isso o PT sabe fazer muito bem) para camuflar a subida dos juros contrapondo com anúncios de "mais benefícios sociais" ou medidas que agradam o povo. Este discurso sobre a desoneração na cesta básica, por exemplo, pode estar preparando o terreno para tal.

      Abcs, bons trades

      Excluir
    2. PS: acho que o relatório de inflação vai ser o carimbo da próxima decisão do Copom.

      Abcs,

      Excluir
  4. FI ,

    Você poderia explicar melhor sobre isso " LTNs e 40% em LFTs 2017" na resposta do primeiro post .

    ASS:. ARRISCATUDO

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Arriscatudo,

      Sim, claro. Estava me referindo aos títulos do tesouro direto. LTN é um título pré-fixado, sendo que neste exato momento, o governo está pagando 9,25% de juros ao ano para quem comprar este título e carregá-lo até o vencimento (2016). LFT é um título pós-fixado, reajustado pela taxa Selic diariamente. A estratégia de comprar 60% em LTN e 40% em LFT (compra pequena, novas oportunidades deverão surgir pela frente) se deve ao fato da possibilidade de elevação da taxa básica de juros. Títulos pós-fixados são beneficiados durante o ciclo de aperto monetário, pois os juros sobem e o pós-fixados seguem esta alta. Os pré-fixados não são beneficiados pela alta dos juros. Mas ao observar o spread do título (2 pontos percentuais acima da atual taxa Selic), a taxa do pré-fixado torna-se interessante pois dificilmente a taxa Selic será elevada para os 9,25% ao ano (hipoteticamente empatando com a rentabilidade deste títulos pré-fixado). Como não temos certeza do futuro, basta realizarmos compras parciais quando as condições de negócio estão boas para negociar títulos do tesouro. Se o bônus da LTN continuar subindo, digamos para 9,50% ao ano, o investidor poderá, por exemplo, realizar novas compras em títulos públicos aumentando alocação para 70% em LTN e 30% em LFTs. Se o bônus da LTN atingir 9,75% ao ano, a alocação poderá ser aumentada para 80% em LTN. E assim sucessivamente até que os recursos sejam totalmente destinados em 100% para os títulos pré-fixados (que provavelmente coincidirá com o final do ciclo de aperto monetário do Banco Central).

      Abcs, bons negócios

      Excluir
  5. FII,

    Existe alguma canto aonde posso ler sobre esse assunto , pela sua explanação creio que seja melhor que cdb ou poupança.Na sua opinião é uma boa escolha investir no tesouro direto

    ass: arriscatudo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Arriscatudo,

      Para curto prazo não. Melhor opção conservadora são as LCIs. Para longo prazo sim, melhor opção conservadora são os títulos do tesouro direto, pois o governo só garante a rentabilidade acordada no ato da compra se você carregar o título até o vencimento.

      Sim, neste link:

      http://www.comoinvestir.com.br/titulos-publicos/paginas/default.aspx

      Qualquer dúvida estou à disposição,

      Abcs,

      Excluir
    2. Já que estamos falando em Títulos, como posso investir em títulos públicos de outros países?

      Fernando

      Excluir
    3. Fernando,

      Através das corretoras que atuam em diversas praças mundiais. Ou de uma forma indireta e menos complicada, comprando cotas de fundos de investimento que compram títulos da dívida no mercado externo.

      Abcs, bons investimentos

      Excluir
  6. FI, boa tarde.

    Alguma novidade sobre o fiscal cliff? as discussões foram adiadas para abril, é isso?
    Valeu abs

    D

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa tarde,

      O abismo fiscal foi evitado (aumentos automáticos de impostos e cortes no gasto público). Assinaram um acordo na virada do ano. A discussão adiada para Abril está relacionada ao novo aumento do limite de endividamento dos Estados Unidos. Mas, se não me engano, acho que conseguiram uma economia que permitiria ampliar um pouco este prazo. De qualquer forma, logo logo estarão discutindo o aumento do endividamento.

      Abcs, bons negócios

      Excluir