quinta-feira, 14 de março de 2013

Tô nem aí


Voltamos à estaca zero. Todo aquele barulho criado pelos líderes de governo e diretores do Banco Central não respingou na ata da última reunião do Copom (Comitê de Política Monetária do Banco Central). Se por um lado os diretores do Comitê mostram-se preocupados com recente disparada da inflação, por outro lado parece que eles próprios estão simplesmente balançando os ombros e dizendo “tô nem aí”.

Este é o sentimento que fica ao dedicarmos tempo à leitura de uma decepcionante ata de reunião do Copom. O Banco Central que parecia estar recuperando sua autonomia, desconfortável com os indicadores inflacionários e comprometido a retomar na prática a política de metas de inflação só existe através dos discursos dos próprios líderes políticos. Discursos totalmente divergentes com a realidade, incompatíveis com as atitudes tomadas pelas lideranças políticas (ou que deixaram de ser tomadas).

É o coral bonito que não faz política. Você se lembra deste post? Estamos ainda nesta mesma música, no mesmo refrão. Discursamos como doutores de Harvard, mas trabalhamos como índios isolados numa aldeia lutando pela sobrevivência (não desmerecendo o glorioso trabalho dos índios, aparentemente muito mais honesto do que aquele realizado nos prédios de Brasília).

A ata do Copom mostrou que a autoridade monetária piorou os cenários de inflação para 2013 e 2014, mas não sinalizou nenhuma atitude que justifique a sua função (zelar pela estabilidade e poder de compra da moeda, bem como do sistema financeiro). Muito pelo contrário, o Banco Central disse apenas que é preciso ter cautela na condução da política monetária diante das incertezas que permanecem.

Será que existe alguém dentro do BC realmente incerto quanto à inflação brasileira? Nos últimos três anos a inflação fechou longe do centro da meta (5,90% em 2010, 6,5% em 2011 e 5,83% em 2012). Este ano não será diferente, e diante desta inércia do Banco Central, o mesmo poderá ocorrer em 2014.

Como pode um Banco Central emitir tantos sinais desequilibrados e confusos? Fala uma coisa, demonstra outra e no final acaba indicando que não vai fazer nada. Existe algum sentido em piorar as projeções para 2013/2014 e ao mesmo tempo pedir cautela? O próprio documento (ata), principal meio de comunicação do BC com o mercado, é lamentavelmente contraditório.

A decepcionante ata do Copom pode ter influenciado a queda desta quinta-feira na Bovespa, dia em que as praças mundiais arrumaram fôlego para subir ainda mais. A lente do binóculo já não está sendo suficiente.

O índice Bovespa fechou o pregão em baixa, mas nem tudo está perdido. O candle de fechamento é uma estrela de pavios relevantes, principalmente o inferior. Esta pode ser uma sinalização de fundo ascendente, a ser confirmado com a retomada (rompimento para cima) da média móvel simples de 200 períodos diária.

Bovespa
  

Nos Estados Unidos o índice Dow Jones invalidou a formação de topo observada nos últimos pregões. Mesmo com elevado nível de sobrecompra o índice voltou a subir nesta quinta-feira mostrando a força de um mercado bull.

Bolsa Estados Unidos

14 comentários:

  1. FII,

    esse governo realmente não sei o que está fazendo , esperando que caia algo do céu, ou esperando quem vai jogar a moeda pra que lado vamos ter que sair . Alguam dica de ação para esse começo de ano , ehhehehehehhehe , alguma dica ? AS vezes estou cansado de notícia , notícia , notícia ..... heheheheh estou de brincadeira...

    ASS: ARRISCATUO

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Arriscatudo,

      Empresa boa temos várias, mas boa e barata não rsrs... Os setores bons estão com preços inflados. Os setores ruins estão descontados, com o industrial. Acho interessante ficar de olho nesse setor.

      Abcs, bons negócios

      Excluir
  2. quero ver eh como o ibov vai reagir quando o dow realizarkkkkk

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Clerton,

      Difícil não cair junto com Dow Jones, já que o nosso mercado estão tão "micado". Mas nada no mercado é impossível, quem sabe Ibov sobe com Dow Jones caindo? rsrs..

      Abcs, bons trades

      Excluir
  3. Olá, gostei de seu otimismo quanto ao IBOV, rsss.
    Fi a preocupação do governo, se é que se preocupa, é ganhar as próximas eleições, digo assim pois já tem uma legião de votos literalmente comprados!! E por falar em IBOV não tá parecendo " o canto das sereias"?? Em 2008 foi desse mesmo jeito e deu no que todos sabemos, ao meu ver a festa na matriz está próxima do fim;
    Ivan

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ivan,

      De fato, esta parece ser a única preocupação do governo. Com relação ao Ibov acho difícil comparar com o movimento de 2008, os preços dos ativos estavam bem mais inflados, consequência de uma longa e forte pernada de alta. Hoje o nosso movimento é consequência de um ciclo de correção (em formato de congestão). Acredito que este ciclo de correção esteja na fase final (talvez mais alguns meses/um ou dois anos).

      Abcs, bons trades

      Excluir
  4. Fiquei curioso para ler essa Ata depois de ler este comentário hehe.

    Abraços FI.
    Vinícius Oliveira
    www.investindonabolsa.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vinicius Oliveira,

      Se for ler, prepare-se para o blá blá blá. Não há muita indicação. BC parece estar num dilema, ou sei lá o que rsrs..

      Abcs, bons investimentos

      Excluir
  5. FI, É como já postei anteriormente. Nossas autoridades econômicas estão completamente desmoralizadas e vivendo às tontas. Chega mesmo a dar pena dos "perdidos na noite". Um abraço e parabéns pelo livro.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade Anônimo,

      Opa! Obrigado!

      Abcs, bons investimentos

      Excluir
  6. Uma vez eu discuti com um o Carlos Eduardo, um dos pouquíssimos caras que sabe o que está escrevendo na internet mas não escreve besteira (outro cujos comentários são excelentes é você) que eu tenho a visão que o fim de um bear market é demonstrado graficamente com o rompimento da série de topos anteriores, formando mais de um pivot acima do teto histórico; parece que estamos nos aproximando de um cenário desses num futuro razoavelmente próximo nos EUA e em outras importantes praças. De certa forma, a pressão inflacionária contribui para isso. Porém, a confirmação de médio prazo elimina parte desse risco.

    O problema que eu vejo para o Brasil é que enquanto o Dow Jones merece subir, devido ao desempenho geral das empresas, no Brasil, somente as blue chips, merecem, pois as small e mid caps não estão no mesmo nível da bolsa. Porém, as blues estão envolvidas em várias incertezas que tornam o processo de valorização complicado. OGX, Vale, Petrobrás, Gerdau, CSN, Usiminas principalmente. Se a bolsa for para 80 k sem que essas ações decolem, isso significará sem dúvida uma grande bolha.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Neomalthusiano,

      Quem sou eu para estar neste seleto grupo rss.. Sem dúvida, tem muito papel inflado na Bovespa, a maioria com peso irrelevante ou fora do Ibovespa (grande parte das small caps). O mercado foi extremamente seletivo pra subir, somente as empresas boas e fora da mira do governo conseguiram se valorizar na bolsa. O momento das blue chips deslancharem certamente vai chegar (mas parece que ainda há um caminho a percorrer sob as brasas), não vejo como o índice superar o TH com as blues patinando. Outra opção interessante é visitar o campo de batalha dos setores que o governo atirou de bazuca, a fim de se encontrar alguns sobreviventes. Um deles é o setor elétrico. Acho que a queda na GETI3, por exemplo, foi um pouco exagerada.

      Abcs, bons negócios

      Excluir
  7. FI,

    Vc tem acompanhado a QGEP3? Vc poderia fazer uma breve análise desse papel, incluindo o resultado do último trimestre divulgado essa semana?

    Abs, Fernando

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fernando,

      Esta empresa eu não acompanho. Não gosto dos números dela, apesar de gostar do setor. Mas parece que o balanço veio bom. Mostrou aumento de receita e redução do endividamento. Por não estar acompanhando a empresa não me sinto capaz de fazer uma análise digna para o papel. Posso dizer apenas que pelo gráfico o ativo trabalha numa zona de congestão de médio prazo, entre 13,90 e 11,60. No momento o papel está próximo desta base da congestão, mostrando ponto ideal de compra, caso o investidor acredite no potencial da empresa no médio e longo prazo. Para especular, é melhor esperar mais um pouco. Se o papel continuar caindo pode dar ponto de entrada com stop mais barato.

      Abcs, bons negócios

      Excluir