quarta-feira, 24 de abril de 2013

Azedou no final


Apesar de conseguir emplacar o quinto pregão consecutivo de alta, a bolsa brasileira acabou sendo afetada pelo movimento de queda ocorrido no final desta tarde em Wall Street.

As operações vendedoras começaram aparecer quando o mercado percebeu que o índice Dow Jones não conseguiria retomar a LTA de curto prazo perdida na semana passada, caracterizando a alta do dia anterior apenas como um movimento de pullback.

Dow Jones

Os dados negativos, com exceção de alguns balanços corporativos, continuam dominando no noticiário macroeconômico. Hoje o Departamento de Comércio informou que as novas encomendas às indústrias nos Estados Unidos caíram 5,7% no mês de março. O resultado decepcionou os analistas, que esperavam uma queda de 2,9%. O número é bem inferior ao registrado em fevereiro, quando os novos pedidos de bens duráveis haviam subido 5,6%.

A virada do índice Bovespa no final da tarde desta quarta-feira marcou uma sinalização de topo na região dos 55.5k (primeira resistência abaixo dos 57k). O movimento de correção jogou o índice para testar a LTA de curtíssimo prazo iniciada na região dos 52.5k. Caso esta linha seja perdida no pregão de amanhã (possibilidade alta), o movimento de baixa ganhará força e poderá jogar o Ibovespa para a região dos 54.1k.
  
Ibov.


No cenário interno o Banco Central informou que o Brasil teve o seu pior déficit em transações correntes para o mês de março em mais de três décadas (6,8 bilhões de dólares). No acumulado do primeiro trimestre deste ano, o déficit na conta corrente bateu em 24,8 bilhões de dólares, praticamente o dobro do saldo negativo registrado no mesmo período do ano passado.

O baixo superávit (quase nulo, na verdade) da balança comercial, o aumento das remessas de lucros e dividendos de multinacionais instaladas no Brasil e os gastos dos brasileiros no exterior, estão entre os fatores que mais contribuíram para o déficit na conta corrente.

Após o fechamento dos mercados a Vale divulgou o seu balanço do primeiro trimestre de 2013, registrando lucro líquido de 3,1 bilhões de dólares. Apesar de representar uma queda de 7,6% na comparação com o mesmo período do ano passado, o resultado superou as expectativas dos analistas (esperava-se um lucro de 2,7 bilhões de dólares).

8 comentários:

  1. quanto ao DJ acho que esgotou um pouco de tanto subir.

    quanto ao Bovespa ., espero mais um caldinho amanhã

    (afinal estamos a anos luz atrasados .,temos que descolar um pouquinho)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nos últimos 5 dias aconteceu uma raridade: o spread do Ibov x Dji ficou favorável para nós. Ou seja, conseguimos descolar e o nosso desempenho foi melhor, comparando com o índice Dow Jones.

      Abcs, bons investimentos

      Excluir
  2. Maior déficit em três décadas! Quero ver quando tiver que subir os juros na conta financeira para compensar o déficit nas transações correntes! Brincadeira! Miguel

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é Miguel, são números que causam incômodos. Isso também não é bom para atrair/estimular os investimentos que tanto precisamos. O superávit na balança comercial é que segurava um pouco a conta corrente, mas com a perda de competitividade das empresas brasileiras ficou difícil competir no mercado. Isso refletiu na queda do superávit.

      Abcs, bons negócios

      Excluir
  3. Devemos esperar um ajuste no cambio. Isso deve ocorrer após as elições de 2014. O mercado podera antecipar o movimento causando volatilidade ja no 2 semestre de 201, onde o governo começara a "torrar" as reservas cambiais adquiridas no ciclo de alta das commoditties.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim. Câmbio visivelmente administrado para segurar o IPCA. No final do ano passado o Mantega não estava satisfeito com os R$ 2,10. O que dirá agora. Assim que as pressões inflacionárias se dissiparem (para abaixo dos 6,5%/6,00% ao ano), o governo deverá mexer no câmbio de novo. Tal como as desonerações, a política aqui é administrar índice de preço, manter a economia respirando como pode e não combater a inflação/problemas estruturais.

      Abcs, bons negócios

      Excluir
  4. FI,
    Ninguém acredita no Brasil.
    Investir aqui é furada. Nosso governo muda as regras do jogo a todo momento. Reeleição é uma merda (desculpe a palavra), os governantes governam pensando em se reelegerem ou em fazer seu sucessor. Deveria ser proibido tanto a reeleição do governante como a do partido.

    Abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade, mas também fica difícil apostar no Brasil com tantos outros emergentes fazendo bem o seus deveres de casa. Em alguns países a reeleição funciona porque a população cobra. Mas aqui, nível baixo de educação juntamente com o desinteresse da povo pela política/economia, garante facilmente o poder de persuasão dos políticos. Enquanto isso vamos perdendo tempo e dinheiro (crescimento).

      Abcs, bons investimentos

      Excluir