segunda-feira, 22 de abril de 2013

BCE sinaliza redução dos juros


A lenta retomada da economia europeia poderá estimular o BCE (Banco Central Europeu) cortar ainda mais a taxa básica de juros. As expectativas de uma redução simbólica nos juros aumentaram após as declarações do vice-presidente do BCE, Vitor Constancio. 
Constancio disse hoje que a inflação está caindo de forma significativa e um corte de juros sempre será uma possibilidade. A inflação desacelerou para 1,7% no mês passado, registrando o menor nível desde agosto de 2010. A queda das pressões inflacionárias é um reflexo da fraqueza econômica do bloco. 
O BCE resolveu manter a taxa básica de juros na mínima histórica nos últimos meses (hoje em 0,75%), após sucessivos cortes durante o período mais agudo da crise financeira na Europa. Mas com o baixo risco de descontrole inflacionário e fraca retomada econômica, a autoridade monetária terá espaço para reduzir novamente os juros. 
Esta provavelmente será uma redução simbólica, de 0,25 pontos percentuais, com efeito prático insignificante. A queda dos juros terá um viés político. O BCE precisa mostrar ao mercado que está empenhado com o processo de reaquecimento da economia na zona do euro, e assim, promover a estabilidade da moeda, bem como do mercado da dívida soberana. 
Nos Estados Unidos os mercados ficaram pressionados com os resultados da maior fabricante de equipamentos de construção e mineração do mundo. O lucro da Caterpillar caiu para 1,31 dólares por ação, contra 2,37 dólares por ação informado um ano antes (queda de 45%). O resultado decepcionou o mercado que aguardava um lucro por ação de 1,40 dólares.
Mas a companhia anunciou um programa de recompra de ações e acabou animando os investidores, juntamente com a expectativa de aumento de produção na China no segundo trimestre deste ano.
O índice Dow Jones fechou o pregão de lado pelo segundo pregão consecutivo, respeitando a principal linha de suporte de curto prazo (14.4k). Ao conseguir se manter acima desta linha, o índice melhora as condições para retomada de uma pernada de alta de curtíssimo prazo. 

No Brasil o índice Bovespa fechou o pregão em alta influenciado pela OGX. Uma matéria publicada no jornal Folha de São Paulo informou que a gigante petroleira russa Lokoil pretende comprar 40% da OGX. Além disso, a matéria destaca que Eike estaria firmando parcerias com a Petrobras e negociando a venda de parte do campo de petróleo de Tubarão para a Petronas. 

Todas as informações foram negadas pela OGX. Mesmo assim os papéis não cederam na bolsa, já que o governo federal tem mostrado abertamente sua intenção de ajudar o grupo EBX. 
O índice Bovespa fechou mais um pregão em alta, dando prosseguimento ao movimento de repique iniciado na quinta-feira da semana passada após testar e respeitar a principal linha de suporte de curto e médio prazo (52.5k). O índice tem espaço para testar a linha central de bollinger nos próximos dias, já que não há nenhum sinal de término deste repique de alta.

5 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá FI. Mesmo assim não tenho coragem e não quero apostar no paXtel de vento, como você diz rsrs.
      Abraços.

      Excluir
    2. Eu acho que vai acabar saindo alguma coisa, o governo não vai deixar o Eike ir pro buraco. Mas estou contigo, não é negócio pro meu bico rsrs.. OGX só mesmo pra fazer alguns trades, bem de vez em quando.

      Abcs, bons negócios

      Excluir
  2. Bela matéria ., PARABENS

    Espero que esse espaço seja respeitado

    Desde de que prevaleça a idoneidade dos usuários

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado!

      Com certeza amigo,

      Abcs, bons investimentos

      Excluir