quinta-feira, 9 de maio de 2013

Efeito Plosser


Aproveitando o dia de agenda fraca no mercado, Charles Plosser, diretor do Federal Reserve da Filadélfia, resolveu aparecer um pouco e animar as mesas de operações em Wall Street durante o seu pronunciamento realizado na cidade de Nova York.

Plosser afirmou que o banco central norte-americano deveria a reduzir o volume de compra de títulos em sua próxima reunião, prevista para junho. A notícia pegou de surpresa os agentes de mercados, pois a ata do FED (principal documento de comunicação da autoridade monetária com o mercado) demonstra exatamente o contrário.

Conforme ressaltamos no post do dia 03 de maio (A complexidade da inflação), o FED cogita até mesmo aumentar o seu programa mensal de 85 bilhões de dólares em compras de títulos, devido ao mercado de trabalho ainda desaquecido, inflação abaixo da meta e desaquecimento da recuperação econômica (principalmente influenciada pelos cortes automáticos no orçamento do governo norte-americano).

Não há o menor sinal de interrupção (total ou parcial) dos programas de injeção monetária no curto prazo. Quando isso ocorrer, o FED alertará o mercado previamente por meio de seus principais documentos oficiais de comunicação.

Entretanto, a fala de Plosser gerou impacto limitado no mercado por dois motivos óbvios. Primeiro porque sua opinião é bem diferente do que pensa a grande maioria dos membros do Fomc (Comitê Aberto de Política Monetária do Federal Reserve), inclusive de seu presidente, Bem Bernanke. Segundo porque o diretor do Federal Reserve da Filadélfia não tem poder de voto no Fomc.

O índice Dow Jones fechou o pregão em leve baixa (praticamente de lado), conseguindo se manter acima do patamar psicológico dos 15k.

índice Estados Unidos

No Brasil tivemos mais um dia de stand up comedy com o nosso ministro da Fazenda Guido Mantega. Infelizmente desta vez a imprensa não pode participar do show, pois foi gentilmente convidada a se retirar do plenário. Mas os repórteres conseguiram ver do lado de fora, pelo vidro transparente, o show de slides apresentados pelo ministro aos parlamentares do PT.

Os slides extremamente bem humorados diziam que a geração de emprego é tão ou mais importante do que o próprio PIB (Produto Interno Bruto). O que será que podemos entender com este raciocínio do ministro? Existe a possibilidade de uma economia gerar empregos sem crescer?

A apresentação também mostrou que “não houve crise” para a maioria da população brasileira, ao contrário do que aconteceu em diversos países de economias avançadas. Mantega ainda citou, nos slides, que as mexidas nos juros, câmbio, tributos e investimentos em infraestrutura estão entre as principais medidas adotadas pelo o governo para enfrentar a deterioração dos mercados globais.

No mercado de capitais o índice Bovespa fechou em baixa nesta quinta-feira, mantendo o movimento de correção de curtíssimo prazo. Houve um falso rompimento da LTA iniciada na região dos 52.5k. O índice encontrou apoio novamente sobre a linha central de bollinger, devolvendo parte das perdas no final da tarde.
  
ibov


Apesar desta reação no final do pregão, a correção de curtíssimo prazo não chegou ao fim. O índice precisará romper a LTB de 2013 (iniciada na região dos 63.5k) para manter a tendência de alta de curto prazo.

11 comentários:

  1. F.I.
    ...continuo seu assíduo leitor.
    -Parabéns pela clareza!

    jararaca

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado amigo! Eu é que agradeço por ser um leitor assíduo do blog.

      Contem comigo sempre que precisarem,

      Abcs, bons negócios

      Excluir
  2. Hahahaha! "Mais um show de stand-up comedy"!
    Não tem crise nenhuma, claro... o PIB não cresce, a inflação só aumenta, o poder de compra vai se corroendo a cada mês mas tranquilo, pelo menos todo mundo está empregado! Agora quando o desemprego começar vamos ver qual vai ser a desculpa.

    Vale a pena conferir também: http://www.infomoney.com.br/mercados/acoes-e-indices/noticia/2713937/jim-rogers-chama-dilma-aquela-senhora-diz-que-impossivel-investir

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mais não é uma pura comédia? rsrs...

      Sobre o artigo, Jim Rogers está coberto de razão. Além disso, esta não é uma reclamação particular dele, é praticamente um consenso de mercado. Arif Naqvi, presidente de um fundo que administra 7,5 bilhões de dólares em países emergentes, disse praticamente o mesmo. Segue o link:

      http://veja.abril.com.br/noticia/economia/megainvestidor-faz-alerta-preocupante-nao-invistam-no-brasil

      Abcs, bons investimentos

      Excluir
  3. Boa noite FI. O Mantega está mais preocupado em apontar os problemas do resto do mundo do que resolver com inteligência os nossos. Ele sempre acha algum ponto em que estamos melhores e usa como sombra pra esconder a realidade.
    Chegou a falar que os alimentos são os grandes responsáveis pela alta da inflação e que os outros itens estão sob controle.
    Porém, se excluirmos o setor alimentício dos cálculos, a inflação de abril aumentou em relação a março.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito bem observado. Haja sombra pra esconder tanto serviço mal feito por aqui. Esta desculpa dos alimentos é muito esfarrapada, não sei quem ele está tentando enganar (só se for o povo mesmo). Basta observarmos o índice de dispersão do IPCA (atualmente em 66%) para verificarmos que o aumento nos preços é generalizado e não centralizado em alguns segmentos. Isso porque o governo ainda reduziu a conta de luz, segurou o aumento da gasolina, desonerou vários setores e ainda prorrogou o aumento das tarifas de ônibus.

      Abcs, bons trades

      Excluir
  4. FI,
    E o cenário para os títulos do TD? O bônus da LTN2016 caiu para 8,78%. Não vejo mais nada de interessante por enquanto. Tenho alguns títulos que vencerão em breve e e estou pensando em comprar algumas LCIs do Sofisa em vez de reaplicar em títulos do TD.
    Investidor Paciente

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tudo bom IP?

      Tesouro Direto saiu do timming de novo, pois o único título que dava pra fazer negócio ficou ruim para comprar. Como não temos outros títulos de curto prazo para negociarmos com o governo, o melhor a fazer no momento é ficar de fora e esperar. A única opção que restava era o pré-fixado de 2016. Esta LTN 2016 chegou a atingir os 9,25% este ano (há um ou dois meses atrás). Hoje está pagando 8,78%. Esta taxa não está tão boa, já que a Selic pode encostar nos 8,25% ou 8,50% no final deste ano. Não dá pra fazer negócio no momento. Ainda assim, a compra da LTN que eu recomendava nos meses anteriores deveria ser mesclada com LFT 2017 (50% para cada ou 60% LTN e 40% LFT, conforme o bônus do pré-fixado aumentava). Entrar no Tesouro hoje para comprar somente LFT 2017 não compensa. É melhor pegar um produto sem taxa e sem imposto, como a LCI pós-fixada.

      Esta LCI do Sofisa é um produto muito bom. Permite fazer giro de curto prazo na carteira de renda fixa, enquanto você aguarda por novas oportunidades de médio prazo no Tesouro. O melhor produto é a LCI de 6 meses. Mais do que isso (prazo) não compensa segurar pois novas oportunidades poderão aparecer no Tesouro durante o período que você não terá liquidez na LCI.

      O mais importante: assim que você receber os recursos do Tesouro não compre tudo de uma vez em LCI do Sofisa (além, é claro, de não ultrapassar o limite de garantia do FGC). Jogue tudo na poupança e faça compras pequenas e semanais de LCI, rigorosamente nos próximos 6 meses. Assim você terá liquidez toda a semana e se não aparecer oportunidade no Tesouro, durante o vencimento de sua LCI, você reaplica. Deixe também uma parte do recurso num produto de resgate imediato, sem liquidez, como o CDB. Este produto vai lhe permitir entrar pesado num momento raro do mercado, quando as taxas do Tesouro sobem exageradamente, apresentando excelente oportunidade de negócio.

      Qualquer dúvida estou à disposição.

      Abcs, bons investimentos

      Excluir
    2. TD deu uma subidinha. LTN 2017 passou dos 9%. Se continuar a aumentar, vai ficar bom para novas compras. Talvez o IPCA-15 dê o impulso final.

      Excluir
    3. Deu uma reagida hoje. Mas LTN 2017 não dá pra negociar por menos de 10%, ou próximo disso. Este título ficará defasado com a retomada do ciclo de aperto monetário dos países de economias desenvolvidas (provavelmente a partir de 2015). Recomendo somente LTN 2016, sua defasagem com relação a retomada do ciclo de aperto monetário será de 6 meses a 1 ano (no máximo). Os juros pré-fixados acima do mercado durante este período de pré aperto (2013 a 2015) compensará esta desencontro no timming do título x juros.

      Abcs, bons negócios

      Excluir
    4. Valeu FI,
      Na verdade é mais ou menos isso que venho fazendo, comprando LCI de curto prazo, em períodos diferentes, a espera de oportunidades tanto no TD quanto na RV. Também venho aumentando lentamente a exposição em ações, mas sempre com muita cautela, às vezes tiro curto. Quem sabe com o fim desse governo da ex-guerrilheira as coisas melhorem para a nossa bolsa. Lá pra 2018/2019.
      Abraço
      IP

      Excluir