quinta-feira, 13 de junho de 2013

Dados do varejo norte-americano provocam repique nas bolsas


O Departamento do Comércio divulgou na manhã desta quinta-feira que as vendas do varejo norte-americano subiram 0,6% no mês de maio, ante um avanço de 0,1% registrado em abril. A sequência de resultados positivos das últimas semanas, mostrando força na retomada do crescimento econômico, provocou uma onda de revisões otimistas para o dado que seria divulgado hoje.

No geral, esperava-se uma elevação de 0,4%. Mas o indicador surpreendeu até mesmo o otimismo do mercado. O avanço foi maior do que o esperado. A surpresa positiva foi a grande responsável para a retomada da confiança. Era o que faltava aos operadores para voltarem a comprar ações, após a forte queda dos últimos dias, em operações curtas, visando lucrar com o movimento de repique dos preços.

As vendas do varejo são responsáveis por cerca de 30% dos gastos do consumidor norte-americano. É um indicador de extrema relevância, pois 70% do PIB (Produto Interno Bruto) dos Estados Unidos é sustentando pelos gastos do consumidor. Este último, por sua vez, está crescendo no ritmo mais rápido em dois anos.

O indicador também revela que os consumidores estão reagindo bem no país, mesmo com a elevação dos impostos e cortes no orçamento do governo federal. A reação natural seria uma leve desaceleração no consumo das famílias, mas está ocorrendo justamente o inverso. Com este resultado, a desaceleração do crescimento esperada para o segundo trimestre deste ano, por conta da redução de gastos do governo, deverá ser minimizada.

Os pedidos de auxílio-desemprego também caíram mais do que o esperado pelo mercado. Os pedidos caíram para 334 mil solicitações na semana passada. Esse foi o menor número registrado desde o começo de maio deste ano e se aproxima dos níveis que antecederam a recessão no país.

O índice Dow Jones subiu 1,21% e fechou o pregão colado na máxima do dia. A linha de suporte em 14.8k não chegou a ser testada novamente, mostrando que a nossa análise de ontem para o Dow Jones estava errada. O mercado reagiu antes do teste sobre a linha de apoio.

  
Esta nova formação técnica favorece as condições para rompimento da LTB formada nos 15.5k, mesmo sendo uma região de resistência dupla (com a linha central de bollinger).

O movimento de repique no Brasil foi mais forte por conta do elevado nível de sobrevenda do índice Bovespa. Vale, Petro e siderúrgicas sustentaram o repique influenciadas, também, pela retomada nos preços das commodities conforme podemos observar no gráfico abaixo.

CRX

Com o respaldo das commodities e retomada das operações compradoras em Wall Street, a bolsa brasileira conseguiu fechar a quinta-feira com uma boa alta de 2,51%. Foi confirmado fundo (a princípio temporário) na região dos 48.7k, registrados pela mínima de ontem.


O movimento de repique poderá jogar o índice para testar a LTB dos 57k. Esta é a primeira resistência importante que poderá barrar o movimento. Caso esta linha seja superada, o índice poderá retornar para os 52.5k, fazendo um movimento de pullback.

O alívio também atingiu o mercado de juros futuros. As taxas regressaram após o anúncio de resgate antecipado (leilão de recompra) das NTN-F por conta do Tesouro Nacional. Esta operação é utilizada pelos governos na tentativa de acalmar o mercado, garantir liquidez e impedir uma disparada das taxas.

A eliminação do IOF (Imposto sobre Operações Financeiras) sobre posições cambiais vendidas anunciada ontem, pelo ministro Mantega, não afetou o desempenho do mercado. A desvalorização do dólar foi um movimento uniforme e atingiu a maioria das praças financeiras mundiais nesta quinta-feira. Além do mais, o fluxo do mercado está na direção da ponta compradora, o que deve-se manter no médio e longo prazo.

Para finalizar, o governo informou que vai dispensar, por tempo indeterminado, o recebimento de parte dos dividendos e juros sobre o capital próprio da Caixa Econômica Federal. Esta foi a solução encontrada para cobrir as operações de risco elevado a serem realizadas pelo polêmico programa Minha Casa Melhor, anunciado ontem.

A conta da inadimplência futura vai cair para o Tesouro Nacional (ou seja, todos nós), que além de receber menos dinheiro, vai “emprestar” (sem prazo e sem obrigação de pagamento) cerca de 8 bilhões de reais à Caixa para serem aplicados no programa Minha Casa Melhor. O desfalque no caixa obrigará o Tesouro lançar mais títulos da dívida pública no mercado.

Esta é mais uma brilhante ideia para acelerar o processo de deterioração das contas públicas. Um oferecimento do Ministério da Fazenda, da Secretaria do Tesouro Nacional e da presidência da República... das bananas.

16 comentários:

  1. Uma bela banana de dinamite...

    ResponderExcluir
  2. FI,
    Achei que iria comprar um pouco de ELPL4 abaixo de 6 hoje, mas vou ter que esperar mais. Também separei alguns reais para BBAS3 abaixo de 20, será que chega lá no curto prazo? Não gostei desse repique não, mas de qualquer forma, se continuar subindo até os 52.500 e respeitar, penso em vender parte da carteira e lançar uma pequena parte também (BBAS3 e VALE5).
    Tenho apenas 25% em RV, gostaria de ter algo como 50 ou 60%, mas sinto cada vez menos confiança com o mercado de capitais brasileiro + PT no poder.
    Abraço
    Investidor Paciente

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Investidor Paciente,

      Acho mais fácil ELPL chegar perto dos R$ 5,00 no curto prazo do que BBAS3 chegar perto dos R$ 20,00. Hehe, pelo contrário, repiques tornam a tendência predominante ainda mais saudável. O próximo topo descendente poderá jogar o índice para retestar os 48.7k, e assim, acionar mais um pivot de baixa. 50% de exposição em renda variável acho muito para atual conjuntura.

      Abcs, bons investimentos

      Excluir
  3. mais 1passo p/ o pino ser retirado da granada

    ResponderExcluir
  4. Enquanto pioramos, os EUA estão dando a volta por cima...Essa notícia dos dividendos da caixa me preocupa. Parece que o Mantega vem adotando um incentivo para as estatais pagarem menos dividendos, o próximo seria o BB.

    Acho que se isso acontecesse as ações do BB podem ficar um pouco mais baratas. ( link da notícia http://www.infomoney.com.br/mercados/acoes-e-indices/noticia/2791276/mantega-promete-cortar-dividendos-estatais-mas-isso-nao-aconteceu ).

    Bom post,

    Miguel.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mas o que a porra dos EUA fizeram pra sair da merda?

      Não entendo essa melhora americana, sinceramente.

      Excluir
    2. Miguel,

      É sim preocupante, pois mostra que a fonte está esgotando. Resultado da má administração dos recursos públicos. Gastamos muito e gastamos mal.

      Pobretão,

      Praticamente tudo o que não fizemos. É uma economia muito dinâmica, souberam se reinventar após a crise de 2008. O Estado e a sociedade privada contribuíram para isso. As empresas ficaram mais eficientes e competitivas. O governo fez a sua parte e estimulou o crescimento, incentivou o empreendedorismo, fez novos parceiros comerciais, etc.

      Abcs a todos e bons negócios

      Excluir
  5. Olá pessoal, o repique foi apenas vendidos fechando posições e mesmo assim o volume não foi lá estas coisas, talvez hoje ou amanhã já monte topo novamente.
    A receita federal está complicando a vida da Petrobras, uma dívida bilionária ameaça paralizar algumas atividades da estatal;
    Ivan

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ivan,

      Isso aí. Repique técnico dentro da tendência de baixa de curto e médio prazo. Este movimento acabou de sentir a primeira resistência (LTB dos 57k). Por enquanto, tudo normal.

      Eu vi esta notícia. Dívida de 7,3 bilhões de reais. Não é pouca coisa. Mas acho que não dá nem pra imaginar uma empresa que tem monopólio de mercado parar de exercer suas atividades. O país para de funcionar, literalmente.

      Abcs, bons trades

      Excluir
  6. Esse repique aí da bolsa não é nada. É sempre assim, quando beija os 48k vai lá os medrosões e exxxxpertos comprar mais neste nível. Aí vai a 52k.

    Só que dessa vez a situação é mais dura. A briga vai ser mais violenta nos 48k. Os exxxpertos compradores do nível de 48k não sei se terão força pra segurar.

    De qualquer forma dividir as compras no nível de 52k, 48k e ter bala na agulha mais pra baixo é importante. Eu separei todo meu patrimônio em compras espaçadas pra não cometer o mesmo erro do passado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, os 48k é uma linha fraca quando comparada aos 52.5k ou 60k, por exemplo, pois não ocorreram muitos negócios nesta região no passado recente. Abaixo dos 52.5k as linhas de suporte tendem a não funcionar. O índice está caindo sem chão, mas pode reverter em qualquer ponto. O fluxo dos estrangeiros irá determinar a virada do mercado. Quando eles voltarem, com o dólar já estabilizado num patamar elevado, a bolsa subirá novamente.

      Abcs, bons negócios

      Excluir
  7. Bom dia FI, em relação ao dólar, será que vai manter a desvalorização e dar uma trégua, ou continuará no patamar de ~ 2,14 a curto prazo?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bom dia Angelo,

      Enquanto o mercado global estiver mais calmo, espero que o nosso câmbio mantenha oscilação entre R$ 2,11 e R$ 2,15 no curto prazo, sem muitas surpresas. Já no médio prazo, a tendência de alta do dólar tende a ser mantida.

      Abcs, bons negócios

      Excluir
    2. Além do já brilhantemente informado pelo colega FI, entendo que os americanos também aceleraram a sua economia devido ao FED ter praticamente ZERADO seus juros por longos QUATRO anos, fora a questão do xisto betuminoso que acredito ter dado um outro up aos norte americanos. Temos ainda o fortíssimo estímulo dos QEs.

      Esse up demorado e bombado na economia fez tirou os EUA do coma.

      ENTRETANTO, contudo, todavia, o UP, entendo, foi exagerado pois daqui a pouco o FED cortará os QEs e aumentará os juros, não sei por quanto tempo, mas fazendo uma análise gráfica do histórico das subidas de juros do FED, poderemos ter subidas graduais de juros oscilando de 1 a 2 anos a partir de 2014, estacionando perto dos 4% de juros.

      Enfim, o Brasil a situação do Brasil nos próximos 3 anos será deletéria e estabilizará por baixo por alguns anos devido a falta de reformas estruturais.

      Penso que a década está perdida.

      Excluir
  8. FI boa noite,estou lendo o e-book,espero aprender e colocar em prática,com este mercado do jeito que está será um bom teste!!!
    Talvez aqui não seja o local,porém,qual sua opinião sobre os Fundos Imobiliários?
    Vc recomendaria exposição para quem quer diversificar ou saída para quem tem posição? Desde já agradeço...abs!!!

    ResponderExcluir
  9. Thanks for some other informative blog. The place else could I get that
    type of info written in such a perfect manner? I've a venture
    that I am just now running on, and I've been at the
    look out for such information.

    Here is my blog Dietrendahkalori com

    ResponderExcluir