segunda-feira, 5 de agosto de 2013

Bovespa de lado


Os mercados iniciaram a semana novamente na defensiva. O pregão morno desta segunda-feira não revelou nenhuma novidade. A agenda econômica fraca e o volume financeiro muito baixo deixaram a bolsa praticamente estagnada.

O índice Bovespa fechou o dia com um candle de indecisão acima da linha de suporte na região dos 48k, mantendo-se dentro da zona de congestão de curtíssimo prazo.


O destaque no mercado doméstico ficou por conta do Boletim Focus. A pesquisa semanal do Banco Central revelou que os economistas reduziram as perspectivas para PIB (Produto Interno Bruto) de 2,28% para 2,24% em 2013 e mantiveram a projeção para a inflação de 5,75% neste ano.

Nos Estados Unidos o índice Dow Jones fechou o pregão desta segunda-feira em baixa de 0,30%, formando uma nova linha de resistência na região dos 15.658 pontos. O volume financeiro na bolsa de Nova York atingiu um dos menores patamares do ano, tornando esta segunda-feira num dia de pregão irrelevante para os mercados.


Amanhã teremos mais um dia de agenda fraca no mercado. A semana começa a ficar interessante somente a partir da quarta-feira com a divulgação do IPCA, balança comercial da China e balanços corporativos das principais empresas brasileiras (Vale e Petro).

3 comentários:

  1. FI,

    Será que na próxima reunião do copom já vai haver sinalização de fim do ciclo de alta? Deve subir para 9% já.

    Abs,

    Miguel

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Miguel, é você o profeta da BI?

      Excluir
    2. Miguel,

      Pode ser que sim. Na reunião do dia 27 e 28 de agosto o Banco Central deverá confirmar a expectativa de elevar novamente a taxa Selic em 0,50 p.p. para 9% ao ano. A ata desta reunião de agosto poderá conter indicativos de quando o ciclo será interrompido, provavelmente com a mudança de algum termo no comunicado que havia sendo utilizado desde o início do ciclo de aperto monetário. Desta forma teríamos o último aumento na reunião do mês de outubro, fechando o ciclo.

      Abcs, bons investimentos

      Excluir