quinta-feira, 1 de agosto de 2013

Mercados disparam com dados duvidosos


Bolsas de valores do mundo inteiro subiram forte no pregão desta quinta-feira supostamente influenciadas pelo indicador da atividade manufatureira do governo chinês. O índice surpreendeu ao atingir o patamar de 50,3 pontos, mostrando expansão da atividade industrial. À primeira vista o resultado pode ser considerado positivo, porém os números fornecidos pelo governo chinês apresentaram uma divergência significativa com os números fornecidos por uma agência de pesquisa privada, desconectada do governo.

A mesma pesquisa realizada pelo Instituto Markit, em parceria com o banco HSBC, está longe de mostrar expansão do setor manufatureiro chinês. O Índice Gerente de Compras caiu para 47,7 pontos no mês de julho, mostrando que a atividade industrial na China se contraiu pelo terceiro mês consecutivo, atingindo o menor patamar dos últimos 11 meses. O dado divulgado hoje saiu em linha com a prévia da semana passada, aumentando a credibilidade da pesquisa.

A divergência exorbitante entre os dois indicadores pode ser explicada pela metodologia de pesquisa. O Índice Gerente de Compras do Instituto Markit se concentra em empresas pequenas (em maior número), enquanto a pesquisa do governo chinês se concentra em empresas grandes (em menor número).

Grande parte das empresas que fazem parte do portfólio de pesquisa do governo chinês são estatais. Nas últimas semanas a China tem se empenhado em suavizar as preocupações de que sua economia desacelerou mais do que o esperado. O governo anunciou uma série de reformas na tentativa de retomar o fôlego do crescimento. Com a evidência desta postura pró-impulso econômico, pode ser que as autoridades chinesas forçaram estatais acelerar o processo produtivo na tentativa de maquiar o indicador da atividade industrial.

Independente da veracidade dos dados, o fato é que os mercados dispararam nas principais praças financeiras mundiais após o forte movimento corretivo observado no final da tarde do pregão anterior, que por sua vez acabou surpreendendo muitos operadores, devido à postura pró-mercado da decisão do FED (Federal Reserve – Banco Central dos Estados Unidos).

A queda de ontem foi um “trap” (armadinha). O índice Dow Jones havia emitido ontem a sinalização de topo mais forte (estrela cadente colada na resistência, mostrando falso rompimento) dos últimos 10 pregões marcados por tentativas frustradas de superação da resistência na região dos 15.5k. A forte sinalização de ontem não só foi invalidada, como o índice conseguiu, também, romper a referida zona de resistência e acionar um pivot de alta, aumentando a força da tendência.


No Brasil o índice Bovespa disparou 1,88% nesta quinta-feira, acompanhando o movimento observado nas demais praças financeiras mundiais. A manutenção da região de suporte dos 48k reafirma a tendência de alta de curto prazo da bolsa brasileira e permitirá que o índice volte a atacar a resistência dos 49.7k, com boas possibilidades de rompimento.
  

O IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) informou que a produção industrial do País avançou 1,9% em junho. Mas o próprio economista do IBGE, André Machado, disse que os dados devem ser analisados com cautela. O setor tem se mostrado muito volátil e a confiança dos empresários permanece baixa.

O Índice Gerente de Compras do Brasil, também divulgado hoje, mostrou que a atividade industrial no País se contraiu no mês de julho, atingindo o nível mais baixo desde setembro de 2012. O indicador caiu dos 50,4 pontos registrados em junho para 48,5 pontos no mês passado.


Na Europa, a bolsa de em Frankfurt (Alemanha) subiu 1,63%. Na Itália a bolsa de Milão avançou 2,04%. O mercado espanhol fechou o dia em alta de 1,27%. A bolsa de Paris (França) subiu 1,25%. Na Inglaterra, a bolsa de Londres avançou 0,92%.

O BCE (Banco Central Europeu) resolveu manter a taxa básica de juros da zona do euro na mínima histórica em 0,50% ao ano. A autoridade monetária destacou sinais de melhora econômica. O BoE (Banco Central da Inglaterra) também decidiu manter a taxa básica de juros em 0,50% ao ano.

O Índice Gerente de Compras da zona do euro saiu dos 48,8 pontos em junho para 50,3 pontos em julho, mostrando expansão da atividade industrial após um longo período de contração. Este é o maior nível de atividade industrial registrado nos últimos dois anos.

Um comentário: