segunda-feira, 2 de setembro de 2013

O dia em que tudo deu certo


O mês de setembro mal começou e o mercado já está surpreendendo. Mesmo com Wall Street fechada (por conta do feriado do Dia do Trabalho nos Estados Unidos), em meio à retomada do clima de apreensão após o discurso do presidente Obama indicando um possível ataque dos Estados Unidos às forças Sírias, a bolsa brasileira conseguiu subir 3,65% no pregão desta segunda-feira.

A combinação de uma série de fatores acabou provocando uma alta histórica na bolsa brasileira. O índice da Bovespa registrou hoje a sua maior alta diária dos últimos 13 meses impulsionado pelas condições técnicas favoráveis, agenda macroeconômica positiva e pelo acerto na carteira teórica do índice.

Da parte técnica podemos observar a reação do mercado após a sinalização de indecisão (candles dos três últimos pregões) bem acima da LTA dos 44.1k. A correção de curtíssimo prazo iniciada na região dos 52.4k (forte zona de resistência) parou exatamente na primeira zona de suporte relevante, que ainda contou com o apoio da zona de suporte dupla traçada na última análise de panorama de mercado.



A formação sugere um novo teste sobre a linha de resistência dos 52.4k, além de agregar força à tendência de alta de curto prazo.

Os indicadores macroeconômicos divulgados hoje também colaboraram para o movimento de alta nas bolsas de valores. O Índice Gerente de Compras da China, medido pelo Instituto Markit em parceria com o banco HSBC, subiu de 47,7 pontos no mês de julho para 50,1 pontos em agosto, mostrando expansão da atividade industrial após um curto período de retração. Já o indicador medido pelo governo chinês subiu para 51 pontos no mês passado, ante os 50,3 pontos registrados em julho.


Apesar da diferença entre a medição do governo Chinês (mais focado nas empresas estatais, portanto menos confiável) com a medição de uma agência privada (mais abrangente e mais confiável), ambos os indicadores confirmaram expansão da atividade industrial no mês passado, demonstrando que a economia do gigante asiático está finalmente se estabilizando após a queda de desempenho dos últimos meses.

Na zona do euro o Índice Gerente de Compras subiu de 50,3 pontos em julho para 51,4 pontos em agosto, atingindo o maior nível dos últimos 26 meses. O bom resultado do indicador impulsionou as bolsas europeias. O índice DAX (Alemanha) fechou a segunda-feira em alta de 1,74%. Na França o índice CAC subiu 1,84%. A bolsa de Londres (Inglaterra) ganhou 1,45%. A bolsa italiana subiu 1,84%. Na Espanha, a bolsa de Madri teve alta de 1,68%.

O movimento de alta na bolsa brasileira foi mais forte por conta do acerto na carteira teórica do índice. Na nova carteira do Ibovespa, iniciada hoje com validade até dezembro/2013, as ações da OGX passaram de 2,726% para 4,259%. Com um peso maior na carteira teórica, a oscilação do papel refletirá com maior intensidade no índice.

Na última sexta-feira houve o anúncio de saída da OGX da carteira teórica do MSCI Brasil, fazendo com que fundos passivos atrelados ao referido índice se desfizessem da ação, fato que provocou uma forte baixa do papel no leilão de fechamento. Mas com o aumento da participação da OGX na carteira teórica do índice Bovespa, os fundos passivos atrelados ao Ibovespa tiveram que comprar mais ações da empresa para se adequarem à nova composição do índice.

8 comentários:

  1. Boa noite

    Estou de olho no tesouro direto.

    As taxas estão ótimas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa noite Felipe Silva,

      Sim, a LTN 2016 está boa pra fazer negócio. O Yield dela está próximo da máxima histórica. Os demais títulos (com exceção da LFT) estão desinteressantes, por conta do prazo.

      Abcs, bons negócios

      Excluir
  2. Algo de errado está acontecendo. Enquanto o ibovespa subiu 3,65%, o índice futuro subiu 0,94% e o Bova11 ganhou 1,93%. No momento o índice bovespa está em 51835 pontos, ao passo que o índice futuro está em 50625 pontos (?). Em reportagem do valor há menção de que cada R$ 0,01 da ação da OGX, o índice sobe ou desce 70 pontos! Uma empresa pré-operacional, com peso de 4,25% no índice!!! Alguém conseguir explicar este confuso cenário?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Com relação aos índices acho que é um acerto ao fechamento de sexta-feira. Desovaram muita OGX no leilão, o que acabou gerando esta disparidade. Com relação ao peso da OGX no índice é isso mesmo. Pode ser injusto, mas é a regra. A BM&FBovespa tem que fazer a composição da carteira teórica conforme as normas que ela própria estipulou. Para o ano que vem estão estudando um novo método visando eliminar este tipo de situação.

      Abcs, bons trades

      Excluir
  3. FI,

    Parece que os mercados reagiram demasiadamente forte na "crise" e agora estão se recuperando, uma vez que a economia mundial parece estar melhorando. Vamos ver se a alta se sustenta.

    Abs,

    Miguel

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Miguel,

      Sim, uma crise interna pois os demais índices mundiais atingiram ou chegaram perto das suas máximas históricas. Nós é que ficamos pra trás rs.. Hoje o cenário é favorável para manutenção da tendência de alta no índice Bovespa.

      Abcs, bons negócios

      Excluir
  4. FI, por causa das espionagens a Dilma disse que se os EUA não se desculparem formalmente vai se aliar aos BRICS.

    Onde China e Russia sao inimigos dos EUA.

    Você acha que esta atitude pode dar uma bica na bolsa brasileira para dez mil pontos?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não sei onde a Dilma quer chegar com isso, mas provavelmente não vai acontecer nada que seja relevante ao mercado (em se tratando de fundamentos/comércio exterior). Não há o menor sentido em fazer inimizade com a maior economia mundial. Existe sim um jogo político, mas não passa disso. Em se tratando de economia/negócios todo mundo é amigo. Na mesa redonda China, Rússia e Estados Unidos são como amigos de infância.

      Abcs, bons investimentos

      Excluir