segunda-feira, 2 de dezembro de 2013

Balança comercial, o novo angu de caroço


O Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior informou nesta segunda-feira que a balança comercial brasileira registrou déficit de 89 milhões de dólares no acumulado dos onze primeiros meses deste ano. Trata-se do pior resultado para este período desde o ano 2000.

O rombo só não foi maior por conta de uma jogada contábil, responsável por impulsionar o resultado do mês de novembro para um superávit de 1,74 bilhão de dólares. Foram contabilizadas duas “exportações” de plataformas de petróleo no valor de 1,8 bilhão de dólares no mês passado.

Entretanto, essas plataformas não saíram do Brasil fisicamente. Elas foram compradas de fornecedores brasileiros por subsidiárias no exterior e, posteriormente, internalizadas no país, como se estivessem sendo alugadas. Esta operação é realizada para as empresas pagarem menos tributos.

Outras quatro plataformas de petróleo foram contabilizadas como “exportações” neste ano. Portanto, o resultado da balança comercial no acumulado de 2013 teria sido ainda pior se não fosse a "exportação" destas seis plataformas de petróleo, totalizando 6,58 bilhões de reais.

Excluindo as “exportações” das plataformas de petróleo no cálculo da balança comercial, o déficit aumentaria para 7,47 bilhões de dólares. O número expressivo é preocupante, pois mostra que as nossas empresas estão encontrando dificuldades de competição no mercado externo mesmo com o real mais desvalorizado.

Este novo indicador evidencia que o setor produtivo brasileiro continua pressionado pelas baixas condições do ambiente de negócios doméstico e revela que o atual patamar de câmbio, já bastante depreciado no curto prazo, ainda é insuficiente para impulsionar as exportações.

Desta forma, os dados da balança comercial passam a ser uma nova fonte de preocupação dos investidores, analistas, agências de classificação de risco e empresários, que não sabem mais se olham para o rombo nas contas públicas, déficit em transações correntes, inflação elevada, baixo crescimento e aumento do endividamento.

Por outro lado o governo segue adotando a estratégia da política da negação, minimizando a crescente deterioração do quadro doméstico. Esta postura inadequada/vergonhosa vem decepcionando um número cada vez maior de investidores no mercado.

Pressionado pela queda das ações da Petrobras, o índice Bovespa despencou 2,36% nesta segunda-feira, colado na principal região de suporte de curto prazo (51.3k). A frustração do mercado com a falta de clareza sobre nova metodologia de reajuste de preços de combustíveis provocou uma queda de 9,21% nas ações preferenciais da Petrobras e 10,37% nas ações ordinárias. Este é o maior tombo desde 2008.

O governo ainda sinalizou que poderá voltar a cobrar a Cide (Contribuição de Intervenção sobre o Domínio Econômico) sobre os combustíveis, que atualmente está zerada. O retorno da Cide é desfavorável para Petrobras, que pode perder a chance de reajustar os combustíveis no futuro, por conta da elevação do imposto.

“Acho que temos condições de recolocar a Cide. Não agora, evidentemente, mas a inflação dá sinais de ficar mais bem comportada. Vamos ver no próximo ano e, quando conseguirmos reconstituir a Cide, ficaremos todos felizes". Afirmou Mantega.

O mercado respondeu à expectativa de felicidade do ministro da Fazenda (longe de aterrissar no mundo da economia real) com uma queda de 2,36%, sinalizando alta possibilidade de aumentar a durabilidade da tendência de baixa iniciada na região dos 56.7k.

O candle de fechamento é um marubozu de baixa relevante. Dificilmente a importante região de suporte dos 51.3k conseguirá segurar por muito tempo (ou mesmo reverter) esta força vendedora expressiva.


Nos Estados Unidos o índice Dow Jones cedeu 0,48%, confirmando topo de curtíssimo prazo na região dos 16.2k. A LTA bastante inclinada dos 14.7k foi perdida, reforçando a sinalização vendedora de curtíssimo prazo.
  

Destaque para forte alta observada no Índice Gerente de Compras (de 51,8 pontos em outubro para 54,7 pontos em novembro), sinalizando aumento no ritmo de expansão da atividade industrial nos Estados Unidos.

No mercado da dívida soberana, os Yields voltaram a subir no mundo inteiro com a nova elevação da taxa de juros do título de 10 anos do governo norte-americano, atingindo a marca de 2,81% nesta segunda-feira.

O impacto na taxa de juros dos títulos públicos do governo brasileiro ocorreu de maneira mais agressiva, por conta da crescente deterioração do quadro doméstico.

16 comentários:

  1. "Quem aposta contra o Brasil sempre perde"... Mas eu estou só ganhando. Câmbio, Tesouro, SELIC, etc... rs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Discurso populista da negação rs.. Quem vendeu Ibovespa no dia em que a Dilma tomou posse está ganhando até hoje.

      Abcs, bons trades

      Excluir
  2. FI,

    Fica difícil imaginar o que será do Brasil nos próximos 4 anos. Muitos problemas acumulados. Essas agências internacionais tão aliviando agora para depois pegarem pesado...

    Miguel

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mais 4 anos neste modelo não dá. Mas temos uma esperança se o Henrique Meirelles ocupar o cargo do Guido Mantega na Fazenda com carta branca da presidente Dilma. O problema é ter esta carta branca pra trabalhar da maneira correta.

      Abcs, bons investimentos

      Excluir
  3. Fin? alguma palavra sobre a Petrosa?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Papel muito prejudicado pelo fluxo de saída de investidores (tanto nacionais, quanto estrangeiros). Muitas corretoras deram call de venda por conta deste último anúncio de sexta-feira.

      Abcs, bons investimentos

      Excluir
  4. Será que compensa cobrar um pouco de petrobras amanhã visando curto ou médio prazo (alguns meses)?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Papel vendido desde o dia 18/11. Para especular, é melhor operar na venda. Para operar na compra, numa situação dessas, deve-se priorizar operações bem curtas e nos pontos de suportes relevantes ou nas reversões nos gráficos de 15 ou 60 minutos.

      Abcs, bons trades

      Excluir
  5. Se quer fazer trade com a petro, compre amanha, coloque stop loss e alvo de lucro e pronto , não fiquem "achando".

    ResponderExcluir
  6. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. nem quero imaginar quantas ordens de venda tem abaixo desse suporte aí, mas a minha ta la

      Excluir
    2. Próximo suporte está na região dos 16,50. Mas antes disso pode dar um alívio no intraday (muito esticado).

      Abcs, bons trades

      Excluir
    3. Esqueci de dizer que era do suporte do ibov, Winz13. Vamos ver se o mercado respeita ou desce a lenha...e meu, cada vez que esse Mantega fala da vontade de se jogar de uma janela, deveríamos fazer uma vaquinha e pagar um curso de fundamentos da economia para ele, porque até um calouro de curso de economia sabe mais que ele.

      Excluir
    4. Há algum tempo venho observando que sempre quando as declarações do Mantega ganham repercussão na mídia o índice chama venda no mesmo horário rs...

      Abcs,

      Excluir
  7. Esse margarina fumou um bequezinho. A Petrobrás quebrando e o cara me vem falar de CIDE?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sinal de que a Petro já foi convocada para ajudar a contribuir com a meta de superávit primário no ano que vem. Mais uma intervenção que não deu certo.

      Abcs, bons investimentos

      Excluir