segunda-feira, 9 de dezembro de 2013

Indicadores positivos da China sustentam repique


Os números positivos da balança comercial chinesa, divulgados neste último final de semana, ajudaram a sustentar o humor dos investidores/operadores nesta segunda-feira. No mês passado, o superávit comercial do gigante asiático atingiu 33,8 bilhões de dólares. Trata-se do maior número registrado desde novembro de 2009. Houve aumento de 12,7% nas exportações e 5,3% nas importações, comparando-se com o mesmo período do ano anterior. Os números são positivos e reforçam a expectativa de sustentação do crescimento econômico chinês dentro da meta estabelecida pelo governo (7,5% ao ano).

Por outro lado a inflação anual ao consumidor na China desacelerou inesperadamente para 3% em novembro, permitindo a manutenção da política monetária do Banco Popular (Banco Central chinês), que por sua vez se reunirá nesta semana para detalhar suas prioridades de política e reformas para 2014.

O Banco Popular está apertando as condições de liquidez no mercado de dinheiro (interbancário) com objetivo de reduzir os níveis da dívida e conter o crescimento do crédito. A queda da inflação permitirá que o Banco Central continue tentando reduzir a liquidez no sistema sem a necessidade de elevar a taxa básica de juros, ao menos no curto prazo.

Com a agenda macroeconômica positiva, o índice Bovespa conseguiu sustentar o movimento de repique de curtíssimo prazo, subindo 0,43% nesta segunda-feira. O pregão foi marcado pelo baixo volume financeiro e poucas novidades.


O mercado voltou a testar novamente a região dos 51.3k, que agora atua como zona de resistência dupla por conta da passagem da LTB intermediária dos 54.3k. Este é o principal ponto de definição de curtíssimo prazo, favorável para abertura de posições vendidas no próximo pregão. Mas em caso de superação desta região, o movimento de repique ganhará força, com indicação de aumento da força compradora (superando a força vendedora), fato que aumentará a durabilidade do movimento de repique.

Os mercados europeus também fecharam o primeiro pregão da semana em leve alta, estimulados pelos números da economia chinesa. A bolsa de Paris subiu 0,11%. Na Alemanha o índice DAX avançou 0,25%. A bolsa de Londres ganhou 0,11%.

Nos Estados Unidos o índice Dow Jones subiu 0,04%, num dia de pregão irrelevante e de baixo volume financeiro. Permanece com a mesma análise dos últimos dias.


11 comentários:

  1. FI hoje saiu a noticia de que o excesso de imoveis comerciais faz aluguel cair em sao paulo ja seria um sinal de alerta para o que esta por vir no mercado imobiliario? abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ciclo normal de mercado, está criando condições para uma correção sustentada nos preços. Isso deverá acontecer com o segmento de imóveis residenciais também, que passou por um boom de construção nos últimos anos. Continuo com a expectativa de uma correção gradual nos preços, refletindo principalmente os primeiros efeitos do ciclo de aperto monetário. Este quadro ficará mais visível na segunda metade de 2014.

      Abcs, bons negócios

      Excluir
  2. FI,


    Como vc ve o BBAS hoje? Tá descontado ou você acha que vai aprofundar o desconto ainda mais?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mesmo levando em consideração o alto grau de influência do governo na gestão da empresa, o papel ainda permanece descontado nos múltiplos atuais. No curto prazo o papel trabalha um movimento corretivo, ainda sem sinal de reversão, em linha com a incerteza que predomina no mercado com relação ao julgamento no início do ano que vem. Em caso de perda da linha dos 23,70 este movimento corretivo tende a se agravar, prolongando a tendência de baixa de curto prazo iniciada no início do mês passado.

      Abcs, bons investimentos

      Excluir
  3. Tanto ontem como hoje o volume está muitissimo baixo, vc tem alguma consideração sobre isso?
    Ronaldo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, o volume está muito abaixo da média. Creio que uma parte dos operadores já "fecharam o buteco" e só voltam no ano que vem. Upside deste ano foi muito bom na bolsa de Nova York e muitos se beneficiaram com isso. Além disso, estamos nos aproximando da reunião do FED, que ocorre na semana que vem. Então o mercado fica um pouco no compasso de espera quando a agenda macro está fraca. Um comunicado relevante do BC deve ser emitido, preparando o mercado para o tapering no primeiro trimestre de 2014.

      Abcs, bons negócios

      Excluir
  4. FI, boa tarde!

    Poderia explicar como governo Chinês fará ou está fazendo para reduzir a oferta de crédito na economia sem mudar a taxa de juros?

    Seria através do depósito compulsório ou os bancos lá são como a Caixa daqui, cabendo ao governo apenas decidir que o banco irá reduzir sua oferta?

    Abs
    Bal

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa tarde!

      Provocando/permitindo a elevação da shibor (taxa de juros do mercado interbancário). A estratégia de permitir a elevação da taxa de juros no mercado interbancário provoca um enxugamento de liquidez do sistema, deixando o crédito mais caro e seletivo. O Banco Central consegue provocar este aperto monetário ao deixar de entrar no mercado com as operações programadas de crédito.

      Abcs, bons negócios

      Excluir
    2. olá FI!

      Desculpe minha ignorância, mas como funcionam essas operações programadas de crédito que o governo chinês faz?

      Abs

      Excluir