terça-feira, 13 de maio de 2014

Gritou, levou


O governo federal deu mais uma demonstração nesta terça-feira de total falta de planejamento. O aumento da carga tributária de bebidas frias (IPI e PIS/Confins), marcada para acontecer no dia 1 de junho, foi suspenso temporariamente pelo ministro da Fazenda, Guido Mantega.

A suspensão foi anunciada para evitar o aumento de preços dos produtos durante a realização da Copa e mais pressão sobre a inflação persistentemente elevada. "Temos grande preocupação que a inflação permaneça sob controle e esse setor pode dar contribuição importante. Fizemos um pacto de que não haverá aumento de preços durante a Copa e de preferência depois da Copa", disse o ministro da Fazenda.

Boatos circularam no mercado indicando que o setor iria reajustar os preços em 5% caso o governo não adiasse o aumento da carga tributária. A ameaça funcionou. Logo após o término da reunião com representantes do setor de bebidas frias e do segmento de bares e restaurantes, o ministro Mantega fez o anúncio da suspensão temporária da carga tributária.

O governo deixará de arrecadar cerca de 1,5 bilhão de reais e não explicou o que será feito para compensar o caixa. Esta é mais uma decepcionante demonstração do nível de gestão do governo e reforça a postura de manter políticas heterodoxas (ineficazes) de combate à inflação.

No mercado de capitais o índice Bovespa fechou o pregão em leve baixa de 0,27%, mostrando certa acomodação após a arrancada observada na última segunda-feira. Movimento natural devido aproximação com a linha de resistência localizada na região dos 54.3k. Mercado ainda mostrando força compradora no curtíssimo prazo, podendo invalidar a sinalização emitida na última semana.


Na Europa a bolsa de Londres subiu 0,31%. Paris avançou 0,25%. Em Frankfurt, o índice DAX fechou a terça-feira em alta de 0,54%. Os principais mercados europeus subiram influenciados pela notícia de que o Bundesbank (Banco Central da Alemanha) estaria disposto a apoiar novas ações de estímulo monetário na reunião do BCE em junho, desde que as projeções para a inflação sejam reduzidas.

Nos Estados Unidos o índice Dow Jones subiu pelo quinto pregão consecutivo. A máxima histórica foi rompida na segunda-feira, 12, com um marubozu de alta. O movimento reforça a tendência de alta de curto, médio e longo prazo.
  

Destaque na agenda internacional para as economias emergentes. O ministro da Economia russa, Alexei Ulyukayev, afirmou que o País deve entrar em recessão no segundo trimestre deste ano. O PIB (Produto Interno Bruto) da Rússia deve registrar queda de 0,1% entre abril e junho, depois de recuar 0,5% no trimestre anterior.

Na China, o vice-ministro das Finanças, Zhu Guangyao, reforçou as declarações do primeiro-ministro Li Keqiang, ao afirmar que o governo não adotará medidas de estímulo de larga escala para aliviar flutuações de curto prazo no crescimento. As declarações foram dadas depois da divulgação dos dados de produção, investimento e consumo abaixo do esperado pelo mercado.

11 comentários:

  1. FI, coloquei no tópico do dia 8, mas acho que você não viu: você acha que seria mais prudente ficar em LFT até 2015/2016, ganhando com a elevação da Selic por meio do TD, enquanto a bolsa tende a derreter, e aproveitar as ofertas após o aperto monetário no exterior? Um abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Opa! Desculpe amigo, não vi mesmo. Quando não respondo, podem me perguntar novamente, pois costumo responder todos no blog.

      Acho interessante manter posição elevada em caixa. Isso inclui LFTs do Tesouro Direto. LCIs, CDBs e fundos DI são outras opções bastante interessantes também. Provavelmente surgirão oportunidades nos próximos 12/15 meses para fixar taxa futura (LTN ou NTNB), alocar algo em renda variável, etc. Estas portas estão fechadas hoje. Interessante no momento apenas acompanhar oscilação do câmbio, para eventual posicionamento visando segurança. Parece estar atingindo um ponto de equilíbrio no curto prazo.

      Abs, bons negócios

      Excluir
    2. Muito obrigado! Um abraço!

      Excluir
  2. FI,

    Na sua opinião, qual é a relação entre um bull market no brasil e nos mercados estrangeiros (principalmente nos EUA) ? Seria possível ocorrer uma alta prolongada aqui (bull) enquanto que no mercado lá fora estivesse em queda (bear)?

    Digo isso pela ótica do longo prazo com possível encerramento do ciclo de alta nos EUA que vem desde 2008 em razão da desalavancagem do sistema em 2015.

    Agradeço,

    Miguel

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Miguel,

      No mercado tudo é possível. Aqui pode entrar em rali com Wall Street despencando. Entretanto essa possibilidade é muito baixa. Tanto por conta do quadro de aversão ao risco (global), quanto pelos fundamentos domésticos atuais.

      Na década passada, por exemplo, houve um descolamento, mas não direcional e sim de intensidade. A bolsa brasileira subiu muito mais do que os principais índices de Wall Street, influenciada pelo super ciclo de alta das commodities.

      Abs, bons investimentos

      Excluir
  3. FI, estou com um valor disponível, e estou na dúvida entre câmbio (que eu já tenho valor aplicado) ou fundo de preços/inflação.

    em um cenário até o final do ano, o que você acharia que poderia ser mais rentável?

    pelo que andei vendo, o fundo de preços já começou novamente a apontar pra cima

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tudo bom? Para investimento, nem um nem outro rsrs... É melhor reforçar o caixa. Fundo de preços/inflação é quase a mesma coisa que fixar uma taxa futura. Não estamos no momento de fazer isso. As taxas estão em correção no mercado. Quando voltarem a subir, atingindo patamares interessantes/esticados, será o momento de entrar. Já o câmbio seria uma opção de proteção ou especulação de curto prazo. Entrar na faixa de R$ 2,20 para segurar até o final deste ano pode lhe dar um rendimento semelhante ao almoço grátis (LCI, CDB, LFT, fundos DI), portanto não vale o risco. Mas se você quer usar o câmbio para se proteger no médio prazo (já estendendo para 2015), o patamar atual pode ser interessante para começar a montar posição.

      Abs, bons negócios

      Excluir
  4. Olá FI!
    A cada dia que passa vemos mais uma nova demonstração de incompetência dos membros do governo petista. Fico abismado com a (não só) ineficiência de quem diz governar esse país. Tenho muito medo da vitória do PT, pois mesmo com tantos escândalos e demonstrações explícitas e diárias de incapacidade administrativa e maestria em articular alianças e negócios (portos em Cuba e Uruguai) que só virão a prejudicar o nosso país.

    Ciclista Investidor

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Ciclista Investidor,

      Também tenho receio do futuro com a manutenção do PT no poder. É triste ver o quadro se deteriorando depois de uma oportunidade de ouro (super ciclo de alta das commodities na década passada). Estamos pegando o caminho errado.

      Abs, bons negócios

      Excluir