quinta-feira, 15 de setembro de 2016

BoE aponta para novo corte na taxa básica de juros


Diferentemente da sinalização traçada pelos seus pares na Europa (BCE – Banco Central Europeu) e no Japão (BoJ – autoridade monetária local), o BoE (Bank of England – Banco Central britânico) se mostrou mais dovish na reunião de Comitê deste mês de setembro, encerrada hoje.

O Banco Central do Reino Unido vai continuar mantendo seu agressivo programa de compra de títulos públicos (no total de 435 bilhões de libras), além de manter seu novo plano de compra de 10 bilhões de libras em títulos corporativos.

A taxa básica de juros foi mantida na mínima história de 0,25% ao ano. Entretanto, em comunicado divulgado após a reunião de Comitê, o BoE afirmou ser provável que ocorra um novo corte na taxa básica de juros (para algo pouco acima de zero) ainda neste ano.

Mesmo considerando o impacto inicial do Brexit sobre a economia britânica como menos grave do que se esperava, os nove membros do BoE decidiram criar expectativa no mercado para mais afrouxamento monetário, mostrando uma postura mais agressiva do que se esperava da autoridade monetária britânica, fato que, definitivamente, não desagrada os investidores/operadores.

O BoE pode ter se incomodado com a forte desvalorização das Gilts (títulos do Tesouro Britânico) no curto prazo. O rendimento do título de 10 anos saiu de uma mínima de 0,52% ao ano no mês passado para 0,91% ao ano nesta semana. O aceno para novo corte na taxa básica de juros colabora para suavizar o movimento vendedor nas Gilts, ou mesmo forçar uma reversão na trajetória de curto prazo.


A bolsa de Londres reagiu favorável à decisão do BoE, subindo de forma expressiva, interrompendo a sequência de quedas nesta quinta-feira.


Nos Estados Unidos, o índice S&P500 também subiu forte nesta quinta-feira, mostrando reequilíbrio de forças no curtíssimo prazo.


No Brasil, o índice Bovespa subiu no pregão desta quinta-feira, acompanhando o movimento global. Mercado definiu ponto de apoio de curtíssimo prazo na faixa dos 56,5k. A manutenção dos preços acima dessa região nos próximos dias retira força da tendência de baixa de curto prazo iniciada na faixa dos 60,3k.
 

Um comentário:

  1. FI,

    É pelo jeito .. o mundo vai seguir essa fórmula até entra em colapso .. mais dinheiro!

    ResponderExcluir