quinta-feira, 20 de outubro de 2016

Mario Draghi mantém o suspense sobre o futuro da política monetária


O encontro de dois dias do Comitê de Política Monetária do BCE (Banco Central Europeu) foi encerrado nesta quinta-feira sem apresentar novidades relevantes ao mercado.

A taxa de depósito foi mantida em -0,40%, a taxa de refinanciamento em zero e a taxa de empréstimo ficou estacionada nos 0,25%. O programa de compra de títulos seguirá respeitando o limite de aquisições mensais de 80 bilhões de euros. O BCE também repetiu a mesma orientação futura de reuniões anteriores, ao afirmar que continua esperar que suas taxas de juros permaneçam nos níveis atuais ou mais baixos por um período prolongado de tempo, e bem além do horizonte das compras de ativos.

Havia forte especulação no mercado sobre uma prorrogação do programa de compra de títulos de 80 bilhões de euros por mês, que, até o momento, tem prazo determinado para se encerrar já no mês de março do ano que vem.

Em entrevista coletiva concedida à imprensa após a reunião de Comitê, o presidente do BCE, Mario Draghi, não deu nenhuma dica sobre o futuro da política monetária e fez questão de ressaltar que os membros do Comitê não discutiram acabar com o programa de compras no mês de março e nem estendê-lo.

Obviamente um assunto de tamanha importância foi discutido sim na reunião de Comitê, até porque havia grande pressão do mercado sobre um posicionamento do BCE. O fato de Mario Draghi estar supostamente mentindo mostra que os membros do Comitê ainda não sabem o que fazer e/ou estão incertos quanto à eficácia do programa de compras.

Possivelmente o programa de compras será mantido no ano que vem, já que a economia na zona do euro permanece emitindo sinais decepcionantes de crescimento e inflação, com o risco de sofrer novas turbulências com o avanço nas negociações para concretização da saída do Reino Unido da União Europeia.

Entretanto, o formato do programa precisa mudar, já que o BCE está limpando rapidamente o estoque de ativos disponíveis no mercado europeu (incluindo títulos corporativos) que se enquadram às exigências de risco da instituição, além de estar prejudicando o trabalho dos fundos de pensão, estes cada vez mais pressionados a buscar risco para compensar a perda de rentabilidade com os yields ultra baixos.

A taxa de juros do título de 10 anos do Tesouro alemão fechou a 0,003% nesta quinta-feira, emitindo nova sinalização de esgotamento da força vendedora em região de resistência consolidada. Há nitidamente uma barreira, patrocinada pelo BCE, que está impedindo o avanço das taxas para o campo positivo.


Nos Estados Unidos, Donald Trump voltou a deixar cidadãos do mundo inteiro de queixo caído. No último debate presidencial realizado na noite de ontem em Las Vegas, o moderador Chris Wallace perguntou a ele se aceitaria o resultado da eleição se perdesse. Trump respondeu afirmando que iria analisar isso no momento, deixando o suspense.

A recusa de um candidato a se comprometer a aceitar o resultado de uma eleição presidencial é algo nunca antes visto não só na história dos Estados Unidos, mas na de países democráticos do mundo inteiro. A recusa é considerada um ato de desqualificação do regime democrático, desrespeito às normas e descompromisso com a transferência pacífica de poder.

Vários integrantes do Partido Republicano repudiaram a postura de Donald Trump, onde alguns membros temem não somente a perda da disputa presidencial, mas também a perda do controle no Congresso.

Depois de mais um vexame, Trump é considerado pelo mercado carta fora do baralho. As últimas pesquisas de intenção de voto apontam vantagem confortável de Hillary Clinton, candidata do Partido Democrata.

Desanimados com o futuro político dos Estados Unidos, os investidores continuam cautelosos no mercado de ações. O índice S&P500 fechou o pregão desta quinta-feira em leve baixa, mostrando nova fraqueza da força compradora, mas ainda acima da principal linha de suporte de curto prazo localizada na região dos 2,1k.


No Brasil, o índice Bovespa fechou o pregão em leve alta, recuperando perdas sofridas durante o dia. O candle desta quinta-feira emite suspeita de esgotamento da força compradora de curtíssimo prazo. O mercado pede para uma realização de lucros, mas o intenso fluxo comprador continua impedindo o fortalecimento das vendas.

  
Corre no mercado a notícia que, somente agora, os gestores dos fundos de pensão (altamente posicionados em LFTs do Tesouro Nacional) estão começando a montar posições em ações na bolsa de valores, numa decisão tática de reação ao início do ciclo de afrouxamento monetário.

10 comentários:

  1. Estão começando a montar posição?Então vai a 100k!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. rs... desde que os estrangeiros não descarreguem em cima dos institucionais.

      Excluir
  2. FI, vc deve ter se esquecido do Brasil, acabada a eleição Aecio disse que iria pedir o impeachment de Dilma e entrou com uma ação no TSE por descordar da vitória de Dilma, não discuto o mérito, só lembro que não é algo inédito.
    Assim como também não foi na Venezuela e em vários outros países.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, o PSDB acionou a justiça posteriormente por conta do abuso de poder e fraude de campanha. Entretanto, no momento em que foi confirmado o resultado das eleições, o Aécio fez um discurso reconhecendo sua derrota. É um ato simbólico, mas extremamente importante para a democracia. Isso ocorre em todos os países com regime democrático transparente. Quem perdeu, tem que reconhecer que perdeu. Ao se recusar aceitar o resultado das eleições, o candidato está automaticamente desqualificando o regime democrático.

      Excluir
  3. Muito bom FI ....

    Esses europeus são bem doidos ... mais dinheiro de novo.. para resolver o problema de falta de crescimento ...

    Abs,

    ResponderExcluir
  4. Mais um ótimo post, virou leitor assíduo do Blog. Parabéns.

    Agora, o que você acha que vai acontecer com o BCE se o FED resolver mesmo aumentar as taxas de juros em Dezembro e manter a sinalização de que ela vai continuar sendo elevada? Porque eu pelo menos não vejo com bons olhos o FED aumentando os juros enquanto BCE, BoJ e etc... vão em sentido contrário.

    Até porque como o Dólar é a moeda de reserva internacional, em última análise, quem manda nas taxas de juros é o FED.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. BCE, BoJ e BoE não vão poder pisar muito no acelerador com os juros futuros nos Estados Unidos rodando 2% ou mais (referência Treasury de 10 anos), porque tendem a perder fluxo para os Estados Unidos ou mesmo alguns emergentes. Na Europa já está difícil achar títulos corporativos triple A com juros positivos, pois o programa de compras dp BCE está limpando o estoque do mercado. O foco, portanto, é o deslocamento das taxas de juros das Treasuries. Se o FED conseguir subir a FFR (taxa básica de juros), mantendo as taxas futuras comportadas, não haverá problemas no curto prazo. Por outro lado, se as taxas futuras continuarem subindo nos Estados Unidos, alguns países podem sofrer com choque de fuga de capitais.

      Excluir
  5. FI alguns delírios , pesadelos ou presságios de um sonhador ...
    1-está alta do FED mais do q já anunciada pra dezembro , acredita já estar precificada ?
    2-Renan Calheiros tá sendo ameaçado , tem forte poder no Senado (vide a votação de não caçar os direitos políticos de Dilma , bastou ele sinalizar seu voto a manada pmdb foi junto ) , ou seja PEC do Teto no senado não parece que irá passar com tanta facilidade neste senario atual .
    3-toda boa piada tem seu momento de terminar e não perder a graça , alta muito expressiva da bovespa ,em dólar então ...sem comentários !
    Em suma ... Por hora Jogar a favor da tendência mas tbm vê uma grande possibilidade de em breve considerar "tirar o time" de campo para observar e então se posicionar ?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. 1) É mais do que sabido que a FFR subirá no curto prazo. Entretanto, não acredito em precificação de qualquer fato no mercado. São diversas variáveis responsáveis por causar impacto nos preços dos ativos, não podendo um único fator ser responsável pela tomada de decisão dos negócios. Até mesmo a forma como a informação é divulgada pode resultar em impactos distintos nos preços dos ativos.
      2) Acho que a PEC vai passar no Senado. O importante é aprovar, nem que seja por diferença de 1 voto. Temer mostrou que tem uma base muito forte, esse é o ponto mais relevante na minha opinião.
      3) rsrs... boa. Recomendo esquecer ou tentar adivinhar o que poderá acontecer no futuro. O importante é estar preparado para aproveitar as oportunidades, independente do que acontecer. Estar preparado para entrar e sair conforme estratégia operacional. O mercado define o timing e o investidor/operador define apenas o volume da operação.

      Excluir