sexta-feira, 28 de abril de 2017

Greve geral se transformou em feriadão violento


A greve geral convocada para esta sexta-feira contra as reformas da previdência e trabalhista pode ser considerada um fracasso. Bloqueios realizados por pequenos grupos em importantes vias das principais cidades brasileiras dificultaram a locomoção das pessoas aos seus locais de trabalho.

Em plena sexta-feira, véspera de mais um feriado, muitos brasileiros, que não aderiram ao movimento e saíram para trabalhar, optaram por retornar as suas residências em função da impossibilidade de locomoção. Com isso, o movimento nos centros urbanos caiu acentuadamente, dando um ar de feriadão.

Ao constatar que as aglomerações aparentavam volume significativamente baixo nos pontos de manifestações na parte da manhã (prenúncio de um fracasso), alguns participantes desses grupos resolveram lamentavelmente partir para a violência.

A classe média não foi para as ruas se manifestar, mas sim para tentar trabalhar, o que gerou grande alívio ao governo. Com apenas os sindicatos, movimentos sociais e partidos de esquerda tentando impedir o direito de ir e vir da população, o Congresso está com sinal verde para continuar tocando a agenda impopular de reformas.

Aproveitando a onda do fracasso da greve geral, Michel Temer também está com a faca e o queijo na mão para endurecer o jogo com sua base aliada. Os deputados que traíram o governo na votação da reforma trabalhista nesta semana tendem a ser punidos com a retirada de cargos de terceiros e quartos escalões.

No cenário externo, o Departamento de Comércio informou que o PIB (Produto Interno Bruto) dos Estados Unidos subiu apenas 0,7% durante o primeiro trimestre de 2017, impactado pela brusca redução dos gastos dos consumidores (que representam dois terços da economia). O resultado ficou muito abaixo das expectativas de economistas e analistas (em torno de 1,2%) e marcou o pior desempenho em três anos.

O número é o primeiro viés negativo econômico para Donald Trump e gerou preocupações entre investidores/operadores de que a redução de impostos, as desregulamentações e o aumento do gasto público podem atrasar ou mesmo se tornar inviáveis nos moldes atuais.

Wall Street recuou nesta sexta-feira refletindo a decepção com a atividade econômica. Entretanto, no acumulado da semana, os índices subiram, permanecendo colados nas suas respectivas máximas históricas.


O dólar contra cesta de principais moedas globais fechou mais uma semana em baixa e segue vendido no curto prazo, na mínima do ano.


A Treasury de 10 anos segue bullish, com intensa briga entre players de mercado pela média móvel simples de 200 períodos semanal, região de forte suporte e divisor de águas para o curto e médio prazo. A perda deste importante patamar de sustentação poderá acionar stops de posições vendidas ainda em aberto.


Na Europa, destaque para a disparada da inflação, dificultando que o BCE (Banco Central Europeu) continue fazendo vista grossa para manter seu forte programa de estímulo monetário.

A Agência de Estatísticas da União Europeia informou nesta sexta-feira que a inflação na zona do euro subiu forte no mês de abril, atingido 1,9%, máxima dos últimos quatro anos. A meta a ser perseguida pelo BCE é de 2%, restando, portanto, pouca margem de tolerância para os meses seguintes.

No Brasil, o índice Bovespa fechou a semana em alta, superando levemente a LTB dos 69,5k. Mercado tentando emplacar uma nova perna de alta, mas ainda barrado pela zona de congestão de curtíssimo prazo.


12 comentários:

  1. No meu trabalho ningu m foi trabalhar, todos apoiaram a greve geral, mas ninguém foi a manifestação.
    A greve me parece que teve sucesso, as manif atacões não!
    Em meu trabalho de umas 20 pessoas, só eu e outro fomos trabalhar, fui, mas sou contra reforma, creio que essa reforma deve ser melhor debatida está muito acelerada e preserva um monte de gente quem é do inss como eu

    ResponderExcluir
  2. Governo saiu fortalecido.

    ResponderExcluir
  3. Você viu a frase de efeito do Vagner Freitas, líder da CUT, dizendo que esta foi "a maior greve geral da classe trabalhadora"? Sério, se esta foi a maior greve da história do país, então eu tenho pena de quem participou das greves passadas. É de rir.

    ResponderExcluir
  4. Acho pouco provável que o governo tenha saído fortalecido! O que houve foi forte repressão policial. Parecia até o governo da Venezuela! Isso não é comum em um pais democrático como o nosso. Fora que houve grande apoio da mídia e esta, por sua vez, só focou nos protestos violentos, enquanto na grande maioria das cidades os protestos foram pacíficos. Não conseguiu nem 300 votos na reforma trabalhista...acredito que não conseguirá 308 na da previdência ou se conseguir será a custa de muitas concessões o que desfigurará a economia proposta. A estratégia do governo é minimizar os protesto, mas dificilmente deve funcionar pois a reforma é um suicídio para quem quer se reeleger em 2018 e tem a Lava-Jato na sua cola. O movimento atual de oposição do Renan é só a ponto do iceberg e deve incentivar muitos políticos a traírem o governo. Ficarei esperando o fracasso da reforma para operar vendido!Obs: Não sou petista, apenas tento ter uma leitura neutra da situação, pois minha intenção é ganhar dinheiro no mercado de ações.

    ResponderExcluir
  5. Tomara que esse fracasso de um novo folego para o Governo conseguir aprovar a reforma da previdência sem precisar fazer mais nenhuma concessão.

    ResponderExcluir
  6. Só terá sido um fracasso se você permaneceu em casa, trancado, em quarto escuro, sem contato com o mundo exterior ou se apenas assistiu ao documentário da rede golpista. As passeatas atraíram multidão. Vamos depor esse governo de merda e restituir a democracia no país.

    O Comuna.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A mortadela tá te fazendo mal cara;rsrsr

      Excluir
  7. Acho incoerente comunistas e petistas seguirem um site de investimentos financeiros e mercado.

    ResponderExcluir
  8. FI,

    O governo Temer tá forte desde o início, quer as pessoas gostem ou não.

    Desde o inicio do impeachment da Dilma eu tenho lido e escutado que o Temer já era, não vai aprovar nada, etc.

    Mas o que a realidade e oa fatos do mundo real mostram até agora? Que o governo Temer tem aprovado tudo, desde a PEC do Teto até a reforma do ensino médio, passando pelo sucesso das concessõea dos aeroportos.

    Socialistas e bolsonetes estão do mesmo lado tentando aparentar que só eles salvam o país: os primeiros com Lula e os últimos com Bolsonaro.

    Eu sigo atento à realidade e o que tenho visto é o falei acima.

    Abraço!

    ResponderExcluir
  9. Posso falar por BH. Tudo aberto e funcionando, restaurantes, padarias, supermercados, farmácias, lojas, enfim, tudo aberto. Onibus circulando normalmente. Afinal de contas que greve geral foi essa?
    O que parou em BH foi metro e o Judiciário. Só. O primeiro foi motivo de greve, já o segundo estendeu o feriado.
    Os (pequenos) grupos que tentavam fechar vias, foram retirados fácil fácil pela polícia. Nem atrapalharam o trânsito.
    No meu trabalho são 86, apenas 4 não foram trabalhar (dizeram que participaram do movimento, vai saber).
    Enfim, greve geral que de geral não teve foi nada.

    ResponderExcluir
  10. Fi,

    mundo engatando uma nova alta .. sendo puxado pelos eua ... acabaram todos os problemas economicos da europa ... china ... hehehe ... sei nao hein ..

    Abs,

    ResponderExcluir