segunda-feira, 8 de janeiro de 2018

Aleluia! Brasil está perto de criar o primeiro ETF de renda fixa


A trajetória para criação do primeiro ETF de renda fixa no Brasil tem sido bastante sofrida. Promessa do Tesouro Nacional dede 2013, o processo para criação do primeiro ETF de renda fixa no Brasil parece, enfim, ter avançado, podendo beneficiar parcela considerável de investidores, principalmente os de pequeno porte, além de aumentar a competitividade da indústria.

Os ETFs (Exchange Traded Funds) são fundos cujas cotas são negociadas em bolsa e suas rentabilidades acompanham desempenhos de determinados índices de referência. No mundo inteiro há mais de 6.000 ETFs à disposição dos investidores, entretanto, no Brasil, os ETFs negociados na B3 podem ser contatos a dedo. São apenas 15 no total, todos eles atrelados a índices de ações.

O edital para escolha do gestor do primeiro ETF de renda fixa no Brasil será publicado ainda neste primeiro trimestre. Após a seleção do gestor, haverá um prazo de até 18 meses para lançamento do ETF, mas a expectativa do Tesouro Nacional é de que o ETF de renda fixa já esteja sendo negociado em bolsa no final de 2018.

Há potencial de demanda significativa para o produto e a expectativa dos investidores é grande. Comparado aos fundos de renda fixa tradicionais, o ETF de renda fixa tende a ser lançado com uma taxa de administração muito menor. A outra grande vantagem é que através deste único ETF o investidor conseguirá ter uma posição diversificada entre vários títulos públicos de diferentes prazos de vencimentos.

A expectativa é que este primeiro ETF de renda fixa vá seguir algum dos IMAs (Índice de Mercado Anbima) já conhecidos no mercado. O IMA é uma família de índices de renda fixa que representa a dívida pública por meio dos preços a mercado de uma carteira de títulos públicos, com quatro subíndices: IRF-M (prefixados), IMA-B (indexados ao IPCA), IMA-C (indexados ao IGP-M), IMA-S (pós-fixados).

Além disso, há diferentes condições de prazo. O IRF-M 1 é composto por LTNs e NTNFs com prazo de até 1 ano. Já o IRF-M 1+ é composto por LTNs e NTNFs com prazo superior a 1 ano. O mesmo raciocínio vale para o IMA-B 5 (NTNBs com prazo de até 5 anos) e IMA-B 5+ (NTNBs com prazo superior a 5 anos).

Através do ETF de renda fixa, o investidor também conseguirá se expor a vários títulos públicos que não são oferecidos para compra na plataforma do Tesouro Direto e poderá negociar a qualquer momento, dentro do horário de pregão, fugindo das interrupções de negociações da plataforma do Tesouro Direto em dias de mercado volátil.

A carteira do IMA-B 5+, por exemplo, é composta por NTNB 15/05/2023 (peso 9,76%), NTNB 15/08/2024 (9,90%), NTNB 15/08/2026 (8,14%), NTNB 15/08/2030 (6,19%), NTNB 15/05/2035 (11,79%), NTNB 15/08/2040 (8,30%), NTNB 15/05/2045 (15,53%), NTNB 15/08/2050 (25,44%), NTNB 15/05/2055 (4,95%).

A alíquota do Imposto de Renda do ETF de renda fixa também deve ser diferenciada, sem incidência de come-cotas. A expectativa é que o imposto vai variar de acordo com a média de vencimentos dos títulos em carteira do índice. Quanto maior o prazo dos títulos, menor o imposto. Isso significa que o imposto sobre o lucro numa especulação de curto prazo num eventual ETF de um índice como o IMA-B 5+ poderá cair na faixa mínima de 15%.

Mercado

Poucas novidades no âmbito externo permitiram manutenção do clima favorável nas principais praças financeiras mundiais, mesmo com indicadores sinalizando sobrecompra a curtíssimo prazo. O Ibovespa fechou em alta pelo 11 pregão consecutivo, a mais longa sequência de ganhos dos últimos 7 anos, renovando máxima histórica.

O CDS (Credit Default Swaps, importante indicador de medição de risco) de 5 anos do Brasil segue ritmo semelhante, esboçando otimismo do mercado, encerrando aos 146 pontos nesta segunda-feira (menor patamar desde setembro de 2014), acumulando 12 pregões consecutivos de queda.

Ao menos por enquanto, o governo brasileiro desistiu de modificar a regra de ouro. A estratégia é focar na aprovação da reforma da previdência (que segue difícil) e somente voltar a discutir sobre a regra de ouro no futuro.

Na tentativa desesperadora de aprovar “qualquer coisa” sobre a previdência, o governo já estuda mais uma flexibilização na reforma, igualando as regras de aposentadoria dos agentes penitenciários a dos policiais federais e legislativos. Somando todas as flexibilizações concedidas até o momento, a economia de gastos prevista com a reforma no molde atual será de apenas 60% do valor estimado na proposta original.

Cenário externo

No fechamento do mês de dezembro/2017, as reservas da China atingiram maior nível desde setembro de 2016, aos 3,140 trilhões de dólares, com boa folga sobre o piso psicológico de 3 trilhões que havia deixado o mercado estressado anos atrás. A situação estável e tranqüila do Yuan reduziu a necessidade de o Banco Popular (Banco Central da China) queimar suas reservas para sustentar a moeda local nos últimos meses. No acumulado de 2017, o Yuan bateu o dólar em pouco mais de 6%.

Na Alemanha, a chanceler Angela Merkel demonstrou otimismo para o fechamento de um acordo com o partido social democrata e, assim, conseguir formar um governo de coalizão. O impasse persiste desde as eleições realizadas no fim de setembro do ano passado e pode estar perto de um desfecho.

Conte com a minha ajuda na hora de investir o seu dinheiro! Saiba mais clicando aqui.

3 comentários:

  1. Muito bom. Cada dia vejo mais pessoas se interessando pelos produtos vendidos na Bolsa de Valores. Talvez com a reforma da previdência essa tendência venha pra ficar. abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Independente da reforma da previdência, o mercado financeiro tem avançado nos últimos anos no Brasil, com uma variedade relativamente alta de produtos à disposição de qualquer investidor, bem diferente do cenário da década passada.

      Abs,

      Excluir
  2. e os bancões? vão perder os fundo de IMA-Bs da vida com taxa de 2%?
    acho que a criação passa a barreira do lob?

    ResponderExcluir